:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


.:: post anterior :: :: :: :: navegue pelos posts :: :: :: :: próximo post ::.

Ensaio sobre a Cegueira (2008)

Vi e gostei.

posted at 08:49:14 on 02-10-2008 by Zeno - Category: Filmes esquisitos


Comentários

AP wrote:

então vamos lá...comentários, comentários...
02-10-2008 09:02:23

Pedro wrote:

Poderia ser menos Saramago e mais Meirelles, mas apesar disso é um bom filme. E tem a Julianne Moore, que vale por um bifinho.
02-10-2008 09:46:36

luiz franz wrote:

Tô dubio(já pode sem acento ou só em janeiro?)a respeito.
É bom filme, bem feito.
Mas me deprimiu. Já tô velho demais pra ver tanta degradação.
Filminho bom que vi esta semana foi o italiano Meu Irmão é Filho Único.
02-10-2008 19:36:42

Daniela wrote:

Também gostei. Li outro dia que uma associação de cegos lá dos Estados Unidos está processando o Meirelles por retratar os cegos como pessoas más.
Não sei se é pra rir ou pra chorar.
03-10-2008 14:12:26

Pinto wrote:

Putz. Um filme que ate a Associação dos Cegos acha ruim...
03-10-2008 17:42:08

Pinto wrote:

Pensando melhor: o tal protesto é meu candidato a piada pronta do ano.
03-10-2008 17:55:17

Zeno wrote:

Sobre o filme, uns poucos pitacos:

--não li o livro, e me espantei com um bando de gente boa dizendo nestes últimos dias que era um dos melhores Saramagos. O espanto é por conta de uma lembrança meio embolorada, à época do lançamento, de um outro bando de gente boa, críticos e que tais, corroborando, com o livro, a tese de que o bom Saramago, definitivamente, era coisa do passado (mais precisamente, Convento, Ricardo Reis, Jangada, por aí). Graças a esse recado, abri mão rapidim do trabalho de lê-lo.

--das três, digamos, "partes" do filme (a descoberta e desdobramentos, a internação e a saída para a cidade), a primeira não é muito bem-sucedida, a segunda é longa demais e a terceira é de tirar o fôlego. Nesta, nem um ranço sequer daquele medo de que parecesse filme de zumbi, nadica (e o problema, ninguém atentou para o fato, não é que cegos claudicantes pudessem se assemelhar a mortos-vivos, e sim que estes têm uma tradição muito boa no cinema, o que poderia criar problemas não desejados para o Meirelles). Em compensação, é na longa segunda parte que se dá a melhor seqüência do filme, o estupro coletivo, filmado com mão de mestre. Quanto à primeira, não sei bem por que não convence totalmente: talvez os sinais de contágio devessem ser mais insanos, ou mais "epidêmicos", ou simplesmente é a apresentação tateante (perdão) que não funciona.

--o pior, de longe, é o off do Danny Glover. Cada vez que ele aparece, tentamos fechar os ouvidos pra que ele não afunde o filme, nem sempre com sucesso. É no off final, aliás, que aparece a única frase piegas de todo o filme, aquela que fala dos cegos e do voltar a ver, "sempre fomos cegos", etc.

--acho, sinceramente, que nós nem começamos a arranhar as sutilezas narrativas do filme, com pelo menos uma dúzia de soluções visuais engenhosíssimas que passam despercebidas, distraídos que estamos em acompanhar o plot. Os fades invertidos e alguns enquadramentos "errados" são só a ponta do iceberg. O filme está dizendo em voz baixa que nós devemos a ele umas duas ou três revisões, pra que a conversa melhore de patamar. O comentário do Pedro, acima, vai ao ponto: para o bem do filme, a gente só tem a ganhar prestando mais atenção ao Meirelles do que ao Saramago.
04-10-2008 11:29:23

Pinto wrote:

De cinema não entendo, mas de Saramago acho que sim. O melhor do "Ensaio" realmente não é dele, é o prefácio, do Eclesiastes: "Se podes olhar vê, se podes ver repara". É um livro... menor do Saramago, mas entrego: tô curiosíssimo para ver o filme, porque o achava inadaptável para a tela. Qualquer tela.

Agora queria mesmo ver neguinho fazer, por exemplo, a "Jangada", com efeitos especiais à "Independence Day" logo na abertura, com um sujeito do quilate de um Will Smith no papel principal. Isso aí sim seria roteiro adaptado! Uma bela resposta ao Danny Glover. Para Julianne Moore, ninguém menos que Jessica Alba. E Michael Bay na direção. Aí sim!
04-10-2008 11:41:33

Zeno wrote:

Não! Tudo menos o Michael Bay!
04-10-2008 11:46:09

Pinto wrote:

Me lembro daquele filminho da turma do South Park, quando numa cena de romance o casal canta algo do tipo: "I need you like Michael Bay needs directing lessons".

Troco o Bay por qualquer ator do gênero Ben Stiller/Owen Wilson/Jason Schwartzman/Adam Sandler —que para mim, ali[as, são a mesma pessoa canastrona. Topas?
04-10-2008 11:49:41

Zeno wrote:

Boa essa do South Park...

E duas pessoas que leram o livro me disseram que a primeira parte é mais apavorante, por se deter com vagar na descrição detalhada da loucura que é uma cegueira repentina, e que a segunda parte é mais cataclísmica, com a sensação reforçada de que o mundo inteiro está de ponta pra baixo (o que não fica muito claro no filme, com a insanidade mais "localizada" no presídio). Outro bom pitaco, cortesia do Sorel, é de que o cego de nascença, no livro, fica caracterizado como uma espécie de burocracia governante, aquele conjunto de funcionários que permanece grudado ao poder não importa quem ocupe o cargo principal. Isso, no filme, tbém não tem o mesmo peso/ênfase.
04-10-2008 11:52:57

AP wrote:

Pinto, 'sculpelá', se vc entendesse de Saramago saberia que existe um filme Jangada de Pedra, mal feito por sinal, que vi na Mostra em 2004 (talvez?). Quem entende sabe........
Não quero criar disputa, tá, só acho que vc é um pouco metido e arrogante e tem dia que isso me chateia uma pouquinho, um pouquinho, não muito muito, tá? Mas preciso falar, ok? Afinal te leio e discordo.
Então, se vc "entendesse" de Saramago saberia, pelo menos, respeitar o "Ensaio sobre a Cegueira", tanto o livro quanto o filme. Na minha opinião o melhor de todos é O ano da morte de Ricardo Reis. Quando li eu ainda não conhecia Lisboa e imaginava o hotel no largo do Camões. Até hj quando passo alí me lembro da primeira vez que pisei naquela Rotunda. O mais importante pessoalmente é "Memorial do Convento", porque foi o primeiro que li, e ainda estava começando com essa mania de querer virar historiadora...acho que Saramago tem limites, não merece tanto assunto, a inspiração dele acabou. Mas por falar em Portugais, queria saber o que vc acha do Tabuki, vc leu/viu Réquiem?
04-10-2008 20:38:41

Pinto wrote:

Madame,
Tens razão. Mas é fase. Contudo prefiro a mnha versao do Jangada. Meu preferido e o Memorial, mas tenho um especial apreco pelo Evangelho tambem por razoes pessoais. Tudo bem, o Kazantzakis ja tinha feito coisa parecida, e o filme do Scorcese e uma beleza de roteiro adaptado (alem da trilha maravilhosa do Peter Gabriel). Jesus chorando suas pitangas com Judas e ele: "E eu aqui, que estou lhe traindo?!" Muito bom. Mas nao vi nem li o Requiem do Tabuki nao. Ele morreu?
04-10-2008 22:58:12

Pinto wrote:

(Isso foi uma tentativa de piada, ta? To fudido de trabalho, meu menino esta nos deixando louco aprendendo a andar e minha senhora deveria estar repousando por mais 30 dias, deitada, mas nao consegue parar nem 30 minutos. Basicamente isso...)
04-10-2008 23:00:36

AP wrote:

Tem razão, depois que postei, pensei... "E o Evangelho"? "Ah, mas o Scorcese veio antes, não é uma idéia original". Andar... dizem que é das experiências mais siginificativas do ser! Bons passos pro menino!
05-10-2008 04:43:22

rudimar wrote:

cara o livro é o maximo, e nao precisa entender de literatura para perceber isso, basta ter bom gosto.
31-08-2009 20:10:35


Incluir comentário

Este post está fechado. Não é possível adicionar novos comentários a ele ou votá-lo