:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Todos

Todos os posts do mês. Para selecionar uma seção, clique no menu ao lado.


.:: mês anterior :: :: :: :: July 2010 :: :: :: :: próximo mês ::.

31 Julho

Dúvidas lítero-lupinas

Um Alain de Botton com testosterona? Uma enganação bem escrita (e bem traduzida, no caso da edição brasileira) ou um livro extremamente original, o mais original desses últimos tempos? O chimpanzé é o lobo do homem? Ficção ou romance? Filosofia séria ou paulocoelhice? Estas e outras dúvidas que se nos assomam só serão dirimidas quando ele, Zeno, a quem sempre recorremos nas ocasiões que desejamos saber se devemos ou não gostar de algo, emitir seu parecer.

Em tempo: sobre o livro que comprovou a viabilidade do mercado digital, exaltado pelo Matthew Shirts, Contardo Calligaris, Mario Vargas-Llosa e tantos outros leitores ludibriados, Zeno foi definitivo: "Uma bosta!".
16:05:02 - Pinto - 4 comentários

30 Julho

distraidasso.....só.........mas num era disso.....uq'era mesmo?

23:41:28 - George Smiley - Comentar

Essa é pra anaconda e pro franciel

17:24:37 - Lama - 5 comentários

Zeno, lembrei de vc

Pela Luz dos Olhos Teus - Vinicius de Moraes e Tom Jobim from jose eduardo on Vimeo.



Veio daqui: http://mundomocoh.blogspot.com/
09:49:21 - Lama - 3 comentários

28 Julho

A queda de preço do Viagra e suas consequências



Parece que música funcional emplacou de vez aqui no HZ. Com a entusiasmada aderência do nosso editor-em-chefe, que mesmo nessa friaca conseguiu a proeza de participar de uma rala-e-rola suarento, a "tendência veio para ficar", como observou o Pinto, nosso estilista-chefe.

Então, vão pegando aí o Martini Time, do Art Van Damme, a face civilizada da família. O disco é de 1953, mas tá fresquinho até hoje. Já o Art, papocou agora em fevereiro, com 80. Bom também, né?

P.S. O cabra da capa que está dando um trato na ruiva parece com o nosso editor, aquele cabelo partidinho, sabem? Não é, eu garanto.
[Leia mais!]

Digesan 10 mg

"Porque uma boa digestão é tudo na vida. É ela que dá inspiração ao artista, desejos amorosos aos jovens, idéias claras aos pensadores, alegria de viver a todo mundo, e permite comer bastante (o que é ainda o maior prazer). Um estômago doente leva ao ceticismo, à incredulidade, faz germinar os pensamentos obscuros e os desejos de morte."

Guy de Maupassant, Suicídios.
16:44:05 - Zeno - 1 comentário

Hiperestupefaciência

Lê-se na coluna do Quiroga de hoje: "É de fundamental importância enriquecer o vocabulário, porque isso significa ter uma mente mais ampla também, para poder assimiliar situações que antes eram inimagináveis. As palavras têm utilidade".

Lôco, né?

(crdt do título: marcos n.)
11:08:46 - Zeno - 2 comentários

Consultório Sentimental Jazzístico Hipopótamo Zeno

Então. Terça à noite. Você está numa pausa, no meio de um rala e rola animado e suarento com sua namorada, naquela conhecida troca de fluidos corporais feromônicos. Um silêncio aqui, um farol de carro que passa pela rua e se reflete na persiana acolá, você vira para ela e diz, pra puxar papo: “E o Dexter Gordon, hein?”.

Daí a clássica bifurcação: ou ela responde “Hein/Quem/Hã?”, e é melhor você trocar rapidim de namorada porque essa aí, francamente, é de quinta, ou então ela sussurra, meiga, “Maravilhoso/Adoro/Noooossa!”, e aí, meu amigo, o céu é o limite cromático dessa relaçã.

Pois bem. Pra impressionar esta segunda namorada, sugerimos a seguinte gravação de But Not For Me (manja? “They’re writing songs of love, but not for me”), feita pelo Dexter no dia 20 de julho de 1967, em Copenhagen. Como eu não sou nenhum DJ Mandacaru, apenas fantasio o contexto da bagaça: turnê pela Escandinávia, pra pagar o aluguel e as biritas injetáveis, acompanhamento de músicos “locais” (a clássica cozinha de bateria, baixo e piano em versão lars, sven ou nils), platéia receptiva naquele mar de cabeças loiras tentando acompanhar os compassos. Nosso herói expõe logo de cara o tema em míseros 30 segundos, daí destroça tudo pelos próximos cinco minutos e descansa no sexto, à espera do Criador. Continua a descansar no sétimo, no oitavo, no nono e no décimo, e só se digna a voltar no décimo primeiro minuto depois que o baixista terminou aquela petulância que ele chama de solo. Aí a festa vira carnaval da Sapucaí, com direito a arroubos do batera (que atravessa um bocadinho lá pelos 13 minutos e tanto), retomada do tema principal e um arremate que é um primor de sutileza – dá até pra imaginar os caras se olhando durante os últimos compassos pra acertar o petit finale.

Não, não, não precisa agradecer pela dica. Mande um e-mail pra gente contando detalhes picantes da sua noite amorosa. Nosso Redator Chefe Pinto vai escolher os melhores e encaminhá-los para a saborosa seção Fórum da Ele & Ela.

(este post é dedicado a Renato K. e Franciel C., casal jazzístico que não ousa dizer seu nome)
01:55:01 - Zeno - 9 comentários

25 Julho

Diálogos Quincunciais da Redação

-- Minha mulher pediu que eu fosse mais compreensivo e paciente, por conta do inferno astral dela.

-- A minha também. O problema é que ela acredita em horóscopo chinês.
12:06:38 - Zeno - 3 comentários

Diálogos Cinéfilos da Redação

-- Ô, George, cê viu quem foi o escolhido para fazer o seu papel na nova versão do "Espião Que Sabia Demais"? O Gary Oldman!

-- Esse aí não tem nem o rôle nem o physique.
12:02:43 - Zeno - Comentar

24 Julho

Parem as máquinas!

Furo exclusivo do HZ: São Paulo demite Ricardo Gomes e anuncia a contratação de Dengoso.
18:11:52 - Zeno - 2 comentários

23 Julho

Explicando melhor a Bernadette Peters

21 Julho

Era uma vez



Se eu fosse vocês, já iria separando um dinheirinho: dia 20 de agosto estreia Era uma vez, versão brasileira do musical Into the woods. A garantia de uma boa história é a seguinte: músicas e letras de Stephen Sondheim. A garantia de que a bagaça vai ser bem tropicalizada são duas: Felipe Senna e Armando Bravi Filho, dois craques na área.

Enquanto a hora não chega, vão se divertindo com a gravação do original cast de Noviorque, onde o musical estreiou em 1987 e se segurou em cartaz por 764 apresentações. Eu só tenho pena da atriz que vai fazer o papel que foi de Bernadette Peters. Pedreira, viu? [Leia mais!]

19 Julho

Um dia escrevo quinem esse cara

Interrompo momentaneamente minhas merecidas férias para trazer à nanoaudiência qualificada deste blog um trechinho do livro que andei lendo nestes dias de sol e chuva. Ganha um doce, ou um beijo de língua do Pinto, quem adivinhar o autor:

“O conjunto residencial Rossmore Arms era uma pilha melancólica de tijolos de um tom vermelho-escuro, construída ao redor de um imenso pátio. Tinha um saguão revestido de veludo, contendo apenas silêncio, plantas crescendo em vasos grandes, um canário entediado dentro de uma gaiola do tamanho de uma casinha de cachorro, um cheiro de poeira de tapete velho e a fragrância enjoativa de gardênias murchas há dias”.

(do nosso enviado especial ao litoral, a 9600 kbps)
22:53:00 - Zeno - 8 comentários

16 Julho

rango

poesia é um átimo.

e a atma era ótima.

e é um istmo entre a hora e o que vem
pela eterna frente
que nunca mais veremos depois.
é o ponto do tempero, fácil de perder, uma coisica a mais
e já era, perdeu-se o prato.

e viva a julia child, do 'julie e julia', delícia de filme,
que sabe tudo de vida e comida.
e nos tem feito engordar feliz.

e viva meu sogro, pinto, que enveiéce digníssimo
e cada vez que nos visita aqui,
me amadurece uns 10 séculos.

que sorte conhecer gente assim.

s'eu fosse o balzac

[sabe...?
aquele gordinho de bigodinho..., meio mal vestido, bocudo metido, decadente, realista (político), eterno (artístico: escreveu um troço chamado 'comédia humana', 90 e tantos livros que adiantaram tudo que vc. vê hoje - prezado e 'tinindo de novo' leitor - inda lá pelos 1850's; e que qdo li caía na risada de ver tanta conhecidencia c/ tudo qu'eu andava vendo naquelas hora - 1980's - e depois)]

foi uns dos 1o. cara a me dizê c/ clareza prá prestábem atenção praonde o jornalista tá apontando e daí, intão, olhar pro lado certo (sacumé?). [Leia mais!]

15 Julho

Segunda feira negra



Essa aí que passou. Aqui, foi-se o Paulo Moura. Dele estão dando conta o Abracadabra (som) e o Passarela (informação e tubos). Mas lá em Miami, também finou-se a Olga Guillot, aos 87. O noticiário foi discreto para uma cantora tida como a Rainha do Bolero a partir da década de 50. Cubana, resolveu se mandar quando o pessoal desceu da serra. Deixou mais de 60 discos gravados, dos quais fiz uma coletânea enxutíssima. Deve ser ouvida longe de objetos perfurocortantes, vidrinho aberto de prozac à mão. [Leia mais!]

14 Julho

L'audace, toujours l'audace


O rapaz foi ressucitado numa mesa de desocupados, que tenazmente se dedicavam a liquidar um pernil de porco de se comer de joelhos, de responsabilidade do nosso monge tibetano Lama, que apesar de vegetariano agasalha bem seus amigos carnívoros, no simpático mosteiro de Dameanna, encravado no vale Maddalehna, primeiro à direita de quem entra na Cordilheira do Himalaia saindo do Paquistão, e eu não sei mais como terminar essa frase.
A bem da precisão, a lembrança foi de um gaulês (ou normando, fica difícil diferenciar depois de alguns copos de leite de iaque): Michel Polnareff era a trilha sonora de sua adolescência. Como os infantes da mesa fizeram cara de paisagem, fomos obrigados, ele e eu, a um rápido French Idole, interpretando Love me, please love me. Duvido que tenha dado certo. Vai com o original.
[Leia mais!]

12 Julho

Jabá do bom: Linkania - Uma teoria de redes

jaba

Poderia justificar esse jabá dizendo que ele é um dos fundadores dessa bagaça, que foi por causa dele que eu abri esse blogue e puxei a fieira dos desocupados que aqui escrevem, ou que seu livro anterior (Marketing Hacker) explicou com uns 5 anos de antecedência boa parte do que hoje conhecemos como web 2.0 e redes sociais, ou dos seus artigos no Le Monde Diplomatique Brasil, ou dos seus bloques, do Metareciclagem e que a capa do livro é um quadro que ele mesmo que pintou e depois mandou escanear, ou que eu escrevi a orelha com a Drica e recebi uma pequena fortuna pelo trabalho (pronto, agora a Drica vai querer a parte dela), ou que ele tem uma qualidade comum às pessoas geniais (um mau humor atávico) ou que, por mais incrível que pareça neste mundo onde pululam idéias novas, as dele são realmente novas. Mas não. Prefiro um argumento fundamental: a mãe dele, Dna Ada, já confirmou sua presença.

PS: a terceira pessoa que no lançamento me procurar e dizer que viu o convite aqui no blogue, ganha um livro, autografado e sem pegar fila.
12:04:10 - Lama - 1 comentário

dos pesos e dos medidas

e não era o dunga, era a era:
...

e, p/ quem não sacou a clicada nos 3pontin, segue um esclare-cimento no [Leia mais!]
11:22:14 - George Smiley - Comentar

10 Julho

prudencia e água benta nunca é demais

zeno mgbh, no interesse dos criente, é membro ativo do conselho dos melhores fundos de pensão.
6 pensão uq^.? a coisa é séria aqui.
10:13:33 - George Smiley - Comentar

08 Julho

gato e sapato

eu me lembro de qdo ganhava roupa, que legal...
quase sempre de algum irmão, filho, parente, maior sempre, 'que é p/ usar até qdo vc. crescer'.
e assim, desmilingüido, vivi menor do que era mesmo...

e que qdo vinha sapato então, tinha que botar algodão na ponta, p/ não dobrar o bico.
e toca os dedão ficar tudo drobado.
mas me vinguei um dia, c/ uns 'de festa', lá pelas tanta, todo mundo já de pileque, me mandei de fininho e fui c/a turma pro rolemã, todo elegante.
foi um espetáculo a volta, c/ a sola e os calcanhar tudo aparente, tomei um putesporro mas dormi feliz.

e bem me lembro qdo fui, lenta e firmemente, passando o tamanho das roupas, até que as de hoje 'é p/ qdo vc. diminuir'.
e até os terno então, que toda vez que ponho um, é 5 minutos e já fica q'nem de detetive americano saindo de briga no beco.

06 Julho

Genérico do Chaco



Pros carpideiros da Larissa, deixo aqui uma substituta, também paraguaia, com mais roupa, nem por isso menos encantadora.
O patrocínio é do excelente Bau de LongPlaying, onde vocês vão se esbaldar, tenho certeza.
[Leia mais!]

05 Julho

ciao nureto, piva

catzo,
mais um do tempo que ego,
pelo menos,
inda competia de igual pra igual c/ a obra.
ó *.

*assim, picadinho, q'nem o manda anda mandando.

02 Julho

saibam todos os que esta virem que

perdê uma copa
aqui
é uma coisa disgraçada

Da Espanha pra Itália é um pulinho



Ele pode até refugar, mas quem me deu o toque foi o o Pinto. Fã modelo rasgando-as-prega de filme brasileiro, ele me chamou a atenção da musguinha que tocava no final de "Saneamento Basico - O Filme", Dentro Al Cinema, do GianMaria Trovesi.
Acionei a sucursal cangaceira di Roma e, seis meses depois (cês vão aperrear italiano?), chegaram as cinco bolachinhas do carcamano. Delas, separei uma - "Da Questa Parte del Mare", de 2006.
No meu modesto entender, vale o esforço pra baixar.

01 Julho

A Guerra do Paraguai não acabou

Eu acho que sei o que levou o Jorjão a se esvair em lágrimas hoje à tarde: um videozinho no Tubo de Vocês com a Berta tocando um dos movimentos do Concerto de Aranjuez com a Amadeus Orchestra. Eu não costumo andar nessas paradas aí, não, até porque o som é precário mesmo pra quem começou ouvir música em rádio AM no interior do Ceará. Mas tá valendo. Tem mais Berta tocando La Catedral, mais um choro improvisado com o Hamilton de Holanda, mais uma cacetada de coisas se tu tem paciência de ouvir música por um tubo de lata.

Meu negócio aqui é outro. O Concerto de Aranjuez é uma das peças musicais que mais me toca e eu não quero nem saber por que. Uma das gravações que mora na edícula do meu coração é a do crioulo marrento. E eu não vou entrar em detalhes porque o HopiHari francês tá botando pra fudeau com esse negócio de carregar arquivo que não pode. Ouçam e me digam se não é motivo pra sair correndo até a Americanas mais próxima pra comprar o Esboços da Espanha.
========================
Plantão HZ informa: quem não conseguiu baixar no local indicado pode tentar aqui:
http://www.megaupload.com/?d=BS7ZR79N

diálogos botuinsanos

- vi sua foto de recém-formado na carteirinha...
- ...?!
- te achavam bonitinho na época...?
- quem?
- elas, oras...
- não, 'magina, só depois de muuita explicação...

A outra paraguaia tocando o paraguaio

"El DJ sempre me dice cuesas lindras"
O editor-em-chefe que me perdoe, mas se eu precisar de um só motivo para torcer pelo Paraguai a Berta Rojas é suficiente (e eu não estou falando de mastectomia). Se vocês tiverem interesse na vida da moça, os links dão conta. Na bolachinha em anexo, Dona Berta esmerilha a obra do conterrâneo Agustín Pío Barrios, uma das interpretações mais bacanas que já vi aí nessa área. Só procês compararem, botei La Catedral com o David Russel (10MB), o atual queridinho do violão clássico na cena mundial, com o John Williams (17MB) e com o dono da música, em uma gravação histórica (11MB). Me digam se a Berta num peita.

[Leia mais!]

.:: mês anterior :: :: :: :: July 2010 :: :: :: :: próximo mês ::.