:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Todos

Todos os posts do mês. Para selecionar uma seção, clique no menu ao lado.


.:: mês anterior :: :: :: :: July 2007 :: :: :: :: próximo mês ::.

31 Julho

Poema para uma manhã fria de terça-feira, noventa anos atrás


Mattina
Santa Maria La Longa il 26 gennaio 1917

M'illumino
d'immenso

Giuseppe Ungaretti

(no Leia Mais, a tradução)

[Leia mais!]
08:32:07 - Zeno - 11 comentários

30 Julho

Duas ou três coisas que sei dele

Cansei, benhê!

Puxando assim pela memória, eu me lembro que o incansável cidadão aí da foto é primo do João "Teste de Fidelidade" Kléber. Até hoje tenho dificuldade em discernir qual dos dois é o humorista. Lembro que o apogeu de ambos coincidiu com o reinado de Fernando Collor. Kléber era amigo de estimação do homem e desperdiçava seu talento somente no circuito Casa da Dinda; Dória Jr., não: aos 26 anos, emprestava sua jovem expertise ao país na presidência de um órgão de turismo, salvo muito engano a Embratur. Foi dele —ainda se não me falha a memória de jornalista recém-ingresso no curso— a sagaz sugestão de incrementar a economia do Nordeste com levas de curiosos para conhecer in loco os "flagelados da seca", talvez confinados num parque temático qualquer, construído especificamente para tanto. Olha que chance desperdiçada. E que talento precoce para organizar eventos temáticos. E nem se sonhava em apagão aéreo na época. O pessoal se cansou do Collor, a proposta do nosso empreendedor de visão não foi levada a termo, o grosso do Nordeste perdeu o bonde do desenvolvimento, e ao contrário de Campos do Jordão, Comandatuba e outros locais mais aprazíveis, mingua desde então.

CNN News Update: No Nassif de hoje um perfil esclarecedor sobre o empresário do Cansei. Vai juntando as peças —"fazendo a Gestalt", como dizem as pepsicólogas— e vê só que figura linda que dá: Nizan Guanaes, Jesus Sangalo (irmão da Ivete), Alencar Burti, Luiz Flávio "Renascer" D'Urso, o engomadinho aí de cima...
20:00:33 - Pinto - 48 comentários

Às vezes o xeque é mate

Cena clássica d'O Sétimo Selo, de 1956

RIP Ingmar Bergman (1918-2007).
14:41:53 - Pinto - 2 comentários

Dicas de etiqueta com Hipopótamo Zeno

Querido Hipopótamo, em férias em Bariloche, por conta do caos aéreo não pude levar minha cadelinha ao 6º Passeio de Cães de Campos do Jordão. Desejo agora mostrar toda minha indignação na passeata do movimento Cansei. Que roupa usar? (Pergunta de Bibsy Silva Aranha de A. Revotti)

— Querida consulente, como a pergunta restou vaga (se a roupa seria para si ou para a cadelinha) assumimos a primeira hipótese. Primeiro: não perdeste nada, que os eventos são a mesma cachorrada, só muda o cenário. Vá nua em pêlo, se possível com apliques de poodles de pelúcia no penteado (diz que é a última no salão Marco Antonio di Biaggi, ou pode recorrer a um pet shop de sua preferência mesmo). É muito mais eficaz para mostrar indignação e ainda deve render boa publicidade nas publicações oficiais: Caras e Veja. Na verdade, são a mesma revista com diagramação diferente. Quanto à cadelinha, sugerimos levá-la num bom agasalho. A meteorologia prevê muito frio para a data. Você vai se sentir em Campos.
12:19:11 - Pinto - Comentar

28 Julho

Pra fazer a cobra subir

Eva, não vi a vulva

Porque hoje é sábado, deixamos a distinta nanoaudiência à mercê da maldição bíblica encarnada por Mary-Louise Parker, depois do Blue Bus.
09:30:00 - Pinto - 9 comentários

27 Julho

Lembrete freudiano

"Todo ato é político."

Cansei. Vou pro Costão do Santinho, tipo.

PS - Recadinho pras viúvas do marido da dona Lu: tu perdeu, prêibói!
18:07:35 - Pinto - Comentar

26 Julho

Cansei, caaanseeeeeeeeeei, como é cruel cansar assim

Alvíssaras. Íamos já registrar aqui o nascimento do caubypeixoteano movimento "Cansei", que tem o shape de Nizan Guanaes pós-gastroplastia, o gumex de João Dória Jr. e o estofo "renascentista" de Luiz Flávio D'Urso, fora qualificações de outros menos votados. Mas o Mino Carta o fez antes e melhor.

Faux-pas: a crise aérea resultou em parir a criança na cinzenta cidade de SP, sob frio polar. Menos mal porque boa parte desses desceu a serra e interrompeu seus afazeres em Campos do Jordão só pra isso. Fossem outros tempos e aí teríamos como cenário Comandatuba —voando TAM— ou, quando menos, Mogi das Cruzes, onde Dória Jr. realiza o "Family Workshop". Com indefectível cobertura da "Caras".

Indignação cívica sim, mas sem perder a eleganância jamais!

Mais detalhes na coluna do César "Blow" Giobbi de amanhã e das próximas semanas.
21:08:26 - Pinto - 8 comentários

Quem sabe, sabe

Uma amêga da coluna assevera que querem demolir o tal "hotel" porque se trata de um puteiro. Se fosse uma sauna o troço ficava ereto.
16:10:48 - Pinto - Comentar

"Não é magia. É tecnologia!"

E duas manchetes que ainda veremos:

"Comissão de deputados que foi aos EUA acompanhar a caixa preta não consegue voar de volta ao Brasil".

e

"Ministro Jobim tem o início de suas investigações adiado por ter sido obrigado a pousar em Vitória, no Espírito Santo".
15:39:45 - Zeno - Comentar

Clube do Bologna

"Aceite o desafio de voar conosco. Você não tem escolha mesmo."

Manifestamos nosso desagravo ao presidente da TAM, Marco Antonio Bologna —cuja notável semelhança física com o governador do DF (e, por conseguinte, com a simpática Tartaruga Touché) só referendam uma decisão tomada, aliás, há tempos.

A premissa é a seguinte: não é porque a empresa vem tratando os clientes com essa tal negligência que faria algo parecido em outras áreas de sua atuação, como, por exemplo, a manutenção de suas aeronaves, não é mesmo?

Para o alto e avante, comandante Bologna! Não se deixe esmorecer por críticas e aleivosias todas vãs. Sob sua inspiração a TAM terá sido uma empresa única em toda a história dos negócios. Quebrou primeiro a concorrência para só então quebrar a si mesma.
14:51:39 - Pinto - Comentar

23 Julho

Crítica & Autocrítica

Analisando a cobertura (inclusive a nossa) sobre o precoce desaparecimento do senador Antonio Carlos, damo-nos conta de que, mais que de repente, o Brasil terá ganho um outro santo (orixá?) para fazer companhia a Frei Galvão no altar. Com a ressalva de que, no caso deste último, aquelas pilulazinhas de papel têm lá um efeito assim, digamos, duvidoso.

ACM, não. Sangue do senadô tem pudê.
21:29:56 - Pinto - 2 comentários

"Hipermercado liquida computadores a partir de R$ 999"

Quem publica isso como notícia publica qualquer coisa. [Leia mais!]
12:25:48 - Pinto - 5 comentários

22 Julho

Reverso da medalha 1 X 0 Reverso da turbina

Como diz o pessoal da TAM: "Nada substitui o lucro".

Este é o primeiro dos sete mandamentos da companhia. "Pense muito antes de agir" está, obviamente, em quinto lugar...

(D'après Terra Magazine)
11:00:27 - Pinto - 3 comentários

Antônio Carlos Magalhães, um visionário

Da coluna de Miriam Leitão, n'O Globo de hoje: "[ACM] se dedicava a entender também os aspectos técnicos das áreas que comandou, tanto na Eletrobrás quanto nas Comunicações. Foi um dos primeiros a falar de um aparelho novo, que parecia saído de um filme de ficção científica - o celular. Previu que viraria uma febre, e todo mundo sairia acompanhado dele. Hoje o Brasil tem 105 milhões de aparelhos andando por aí".

Lôco, né?
09:40:03 - Zeno - 1 comentário

20 Julho

Publique-se o joio

São exageradas as notícias sobre a crise aérea no País. O avião (da FAB, olha lá!) que transportou o esquife do senador ACM de São Paulo à Bahia, com toda sua família e correligionários a bordo, aterrissou sem problemas.
23:19:13 - Pinto - 2 comentários

Esporte é vida

Benzadeus
20:36:32 - Zeno - 9 comentários

Etilíricas do Pan

bar na vila olímpica

ela isotônico

eu i só tô nico tínico
20:35:00 - Zeno - Comentar

De como a imprensa distorce os fatos

Top, top, top!

— E o Antonio Carlos?
— Sifudeu, ó!
12:55:37 - Pinto - 5 comentários

18 Julho

Couve-Flor (RJ)

Agora que o nosso resenhador oficial de restaurantes está ocupado com líquidos e substâncias pastosas impróprias ao consumo humano, resolvi assumir a cadeira, a faca e o garfo e continuar nossa combalida seção gastronômica – já que a de bares, a Busca do Graal, anda mais fantasmagórica que fantasmagoria escocesa em peça shakespeariana. O Couve-Flor é um restaurante a quilo bacana, no Horto, manjado e conhecido por qualquer carioca que tenha mais de vinte pratas no bolso e não tenha preconceito contra réchauds e balanças. Alguns pratos surpreendem (chuchu batidinho, refogado com camarão e coentro, sensacional), nos fins de semana a oferta é mais inusual ainda, frutos de mar e que tais, há uma miríade de sobremesas deliciosamente esquisitas e, além disso, o entorno do restaurante já vale a esticada, cheio de casas e ruas agradabilíssimas a convidar para um passeio digestivo. O que talvez nem todo mundo saiba é que o restaurante tem uma filial que fica dentro da PUC, na Gávea, igualmente recomendada. Peço desculpas ao público leitor feminino para me dirigir exclusivamente à metade mais burra da audiência: o Couve-Flor da PUC deve ser o restaurante com a maior quantidade de peito bonito que já pude testemunhar nestes anos de divagação gastronômico-gustativo-sensorial. Não quero que me tomem por algum pervertido ou obcecado pela específica área anatômica, longe disso e de qualquer discriminação de outras áreas (as ancas, ah, as ancas – mas divago). É que bastaram algumas idas ao restaurante para que o princípio indutivo da constatação ("Nossa, que peito bonito!", "Olha, mais um ali", etc) se transformasse em evidência fenomenológica irretorquível ("Caralho, estão em todos os lugares!"). Claro que nossas leitoras poderiam protestar: "Mas isto lá é uma razão para se recomendar o restaurante?". Evidentemente que não, cara amiga, e é por isso que eles vêm sempre em pares, sempre dois bons motivos para entreter o olhar enquanto o garfo se ocupa de outras coisas. Os preços são um ou dois tostões acima da média dos quilos vagabundos, as filas nos horários de pico (sem trocadilho) podem atrapalhar, mas a paisagem em dobro compensa.

Cotação: 8 miojos
22:59:27 - Zeno - 5 comentários

Som e fúria

Ontem foi um dia estranho, que começou com a morte do pai de um grande amigo e foi aos trancos até o final da tarde, com o celular que não parava, com amigos querendo notícias de outros amigos que estavam em Porto Alegre e que voltariam para São Paulo, talvez ontem mesmo, talvez num vôo hoje, eu pensava na ironia de ter embarcado em Congonhas exatamente 24 horas antes do acidente, depois de ter decidido adiar e depois antecipar minha viagem, que poderia ter acontecido na terça, no meio do furacão, e que poderia ter sido pela TAM (cheguei a comparar preços com a Gol), e que as estatísticas de segurança de avião são aquelas reconfortantes mas as minhas pessoais são bem menos, já que a cada sete dias da semana eu passo dois em Congonhas, no mesmo horário do acidente de ontem. Hoje de manhã, como que a dar o recado mais antigo, belo e verdadeiro no mural trivial desta nossa vidinha, recebo a notícia de que o filho do Pinto, aqui do blog, finalmente resolveu, depois de semanas ensaiando, conhecer a luz de um mundo estranho, injusto, e que é constantemente melhorado a cada nascimento. No meio do turbilhão das últimas horas, pelo menos uma esperança permanece: que o menino pareça com a mãe.
09:46:27 - Zeno - 7 comentários

16 Julho

Declínio do Império Romano

À beira do fiorde

Com vocês, Julie Edge, ex-miss Noruega, ex-Bond girl, aqui bravamente mostrando que a erupção do Vesúvio foi mesmo muito injusta, em Up Pompeii, de 1971.

(crdt: um sensacional site de fotos dos anos setenta, aqui)
11:04:19 - Zeno - 5 comentários

Agora vai!

Pode ter passado despercebido da nossa nanoaudiência, mas não dos nossos atentos olhos munidos de lentes Vagiflex, que vêem de longe e de perto com nitidez ginecológica: nossa mais ácida comentadora, algoz do pobre Pinto em dezenas de posts, correspondente do blog em praias portuguesas e espanholas (com a alcunha Encarnação dos Prazeres), enfim, a minha, a sua, a nossa AP foi citada na coluna do também nosso César Giobbi no sábado último, a propósito de evento histórico-lítero-social cheio de frufrus. "E daí?", dirão os céticos. Ora, se nosso guru anda mencionando comentadora do blog em sua coluna, não tardará o dia em que o hipopótamo, em seu lustro barrento, abrilhantará as páginas do Estadão (como já fez um dia ) e, cuíca, do programa semanal televisivo do moço na TV Cultura. Desde já indicamos o Pinto para ser entrevistado naquele formato "Você finge que aperta o cronômetro do xadrez e eu finjo que sei distinguir bispo de rainha".
00:03:15 - Zeno - 3 comentários

15 Julho

Copa América 2007

"Tem grande audácia;
E à têmpera indomável de su'alma
Alia uma prudência que encaminha
O seu valor a agir com segurança.
Só nele vejo alguém cuja existência
Me atemoriza; o gênio que preside
À minha vida inclina-se ante o dele,
Como o de Marco Antônio ante o de César,
Segundo contam."

Shakespeare psicografando, em 1606, a confissão de um espírito argentino em Macbeth (tradução de Manuel Bandeira).
22:08:54 - Zeno - 4 comentários

13 Julho

Cinema é a maior diversão

"Você por aqui, Gandalf?!"

Do cartaz de divulgação do filme "O dono do mar", baseado no livro homônimo do mesmo autor de "Marimbondos de fogo", citamos a foto acima e o texto abaixo:

"Poucos escritores criaram imagens com tanta cor."
Marcelo Rubens Paiva

"Obra monumental."
Claude Lévi-Strauss

"Estou perplexo."
Darcy Ribeiro


De nossa parte, fechamos com o Darcy.

Porque só é possível filosofar no Maranhão.
17:16:20 - Pinto - 1 comentário

12 Julho

Clássico jogando em casa

Uma sãopaulina de 11 e um palmeirense de 42:

- Mas pai, você está torcendo pra Argentina?
- É pra final ficar mais animada, com o México vai ser sem graça e...
- Mas a Argentina???
- É que a Argentina... a Argentina...
- É o Corinthians do mundo?

(homenagem torta pra um que, em 11 anos, vai ter tb um(a) mestiço(a) de 11, quiçá, palmeirense)
00:48:03 - Sorel - 4 comentários

11 Julho

Lançamento

Encontra-se disponível nas melhores casas do ramo "De tudo que mora em mim", novo livro de poesias do meu, do seu, do nosso Gabriel Chalita.

É dedicado à "diva inspiradora, musa transcendente, mulher olímpica" Bibi Ferreira.

Sei...
13:48:34 - Pinto - 4 comentários

10 Julho

The God (a.k.a.) Father

Interrompemos nossa programação normal para prestar uma homenagem a um dos membros (noblesse oblige) aqui da catrevagem do HZ.
Enquanto a hora H se aproxima e as unhas vão se reduzindo a fiapos de cartilagem, a redação dedica ao quase papai uma pérola (de Mallorca, mas, enfim, uma pérola) do cancioneiro popular.
É Sempre o Papai! homenageia o esteio da célula familiar (de antigamente, digo), com uma batelada de músicas autocongratulatórias, que fortalecem o ego do infeliz, mais abalado que ministro em manchetes de jornais.

Deixamos à cachorrada que habitualmente vem procurar prosa aqui nos comentários a decisão: Papai do Ano, Pinto ou Renan?

A homenagem à mãe ("Com o avental todo sujo de ovo", pode, Pinto?) vai na próxima semana, que ela tá ocupada com coisa mais importante. [Leia mais!]

Nunca é tarde para uma campanha digna

Que Cristo, que nada. Juntemo-nos à Acrópole e a Alhambra e brademos o grito de injustiça:

Borba Gato para Patrimônio da Humanidade!

(crdt o americanista e santoamarista mateus s.)
13:19:56 - Zeno - 4 comentários

Medos privados em lugares públicos (2006)

Junte um diretor de oitenta e tantos anos que já fez de tudo na vida, incluindo uma dúzia de obras-primas desde os anos cinqüenta (duas delas resenhadas aqui), um conjunto de atores de primeiríssima e um texto redondo quinem o escocês que um dos personagens bebe aos galões: o resultado é essa maravilha de filme, que proporciona aqueles sorrisos de prazer estético durante a projeção, provocados por cenas de inteligência explícita na tela. Resnais põe a câmera sempre no lugar certo, sem dificuldades, e quando usa virtuosismo, o faz de maneira discreta e inesperada: bom exemplo é a seqüência próxima do final, na imobiliária - um cenário tantas vezes filmado sempre do mesmo ângulo -, em que Resnais retira a parede dos fundos da imobilária, bota a câmera de modo a filmar os atores não mais de frente, enquadrando os móveis, as janelas e as mesas a ressaltar o absurdo cômico do arranjo espacial do escritório e dos personagens. A seco, se inquirirmos o desenho traçado pelos seis personagens ao longo do filme, nenhum deles é particularmente interessante, e é só mais uma qualidade do filme o despertar nosso interesse por personagens a princípio pouco facetados (talvez pecado de origem da peça inglesa que serviu de base ao roteiro, do mesmo autor que Resnais filmara antes no díptico Smoking/No smoking). Um e outro reparo podem ser feitos, a começar por um enxugamento que seria bem-vindo das 54 minisseqüências que compõem o filme (não, não contei; quem fez isso foi o sempre preciso Jonathan Rosenbaum em sua crítica ao filme), mas são picuinhas numa obra que esbanja inteligência. Rosenbaum, aliás, faz um comentário interessante sobre o uso aparentemente contraditório do formato cinemascope no filme, já que 99% da ação se passa entre quatro paredes, o que tornaria desnecessária a generosidade do retangulozão de 1 para 2:35 do scope. Meu palpite é que se trata de mais uma virtude pública do filme adaptada a lugares privados - saia de casa, caro leitor, cara leitora, e vá agora mesmo para o cinema público mais próximo para ver com os próprios olhos e neurônios.
10:38:41 - Zeno - 1 comentário

"Onde está a neve do ano passado?"

E essa história de que nevou em Buenos Aires pela primeira vez desde 1918 me lembrou daquele chiste da época do quebra-quebra financeiro do Menem: "Você sabe o que o argentino tem mais do que o brasileiro?", "Não", "Tem mais é que se fuder".
09:53:10 - Zeno - 3 comentários

06 Julho

Pausa para reflexão

10:19:37 - Pinto - 7 comentários

03 Julho

Tem gente que se supera

Ele e ela.
14:58:47 - Pinto - 1 comentário

Falta de higiene

Mais pornografia no noticiário esportivo: tcheca Vaidisova elimina Mauresmo.

Vê no que dá gostar de tênis? Eu disse "tênis"!
14:25:26 - Pinto - Comentar

.:: mês anterior :: :: :: :: July 2007 :: :: :: :: próximo mês ::.