:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Todos

Todos os posts do mês. Para selecionar uma seção, clique no menu ao lado.


.:: mês anterior :: :: :: :: October 2006 :: :: :: :: próximo mês ::.

31 Outubro

1374 almas salvas diariamente

Finalmente voltamos a ter estatísticas de visitação no botequim. Na semana passada, o número de insistentes diários foi o acima (já dissemos, parafraseando Mestre Almirante: nós só trazemos a pessoa amada em dois dias se pudermos devolvê-la em três). O horário com mais visitas: das 13 às 14 horas, o que significa que a audiência é uma cambada de vagabundos, sim, mas pelo menos usa a hora do almoço para flautear pela internet.
16:49:53 - Zeno - 6 comentários

Roll call, ou o epicentro paulistano

Quiz para os leitores:

Num mesmo lugar, numa mesma noite (ontem), estavam presentes, por ordem crescente de importância:
-Preta Gil
-Ruy Ohtake
-Marco Nanini
-Marina Lima
-Milton Hatoum
-Patricia Pilar
-dois dos três membros fundadores do blog Hipopótamo Zeno GmbH
-a comentadora mais perspicaz do citado blog
-and last but always first, Sabrina Sato.

Onde estavam estas pessoas todas? Cartas para a redação. O(a) vencedor(a) ganha uma sessão grátis de mud sex na Clínica Nínive ("Um sopro de Mesopotâmia em sua vida").
09:30:58 - Zeno - 18 comentários

Cobras criadas

FHC, cadê você?

Voltamos ao tema da reeleição no ofídico traço de LFV. Aliás, já citado aqui.
09:30:00 - Pinto - Comentar

"No momento, tô com uns projetos aí"

Ninguém pediu, mas a gente decidiu fazer mais uma tentativa (a primeira aqui e a segunda aqui) de googlar a expressão "eu mexo com", ausente nos últimos tempos aqui no blog mas sempre presente em nossos corações e bolsos pós-Rodada de Doha. Das 224 ocorrências da primeira experiência, pulamos agora para 529, com resultados igualmente perspicazes e grafias preservadas:

"Eu mexo com publicidade, mas fiz Zootecnia"

"Coisas como: eu 'mexo' com redes é que banaliza e desvaloriza o profissional"

"Eu mexo com rolamentos muito mais complicados em minha bicicleta"

"Ele disse '-Mas rapaz, se fosse pra mim, eu sou engenheiro de minas, está certo, eu mexo com bombas, vivo trabalhando com dinamite, mas com você?'"

"Quanto mais eu mexo com a Internet, mais sinto que a questão está em outro lugar"

"Primeiro eu mexo com uma parte mais concreta, que é o número, depois eu tento entrar com a simbologia"

"Todos se apresentaram: '—Eu sou especialista, mexo com plantas', afirmou um dos do governo; '—Eu mexo com animais', continuou outro; '—Olha moço, nós da Liga, mexemos com gente'" [Leia mais!]
06:01:00 - Zeno - Comentar

30 Outubro

O inferno e o subdesenvolvimento são os outros

"Siempre traté de vivir como um europeo, e Elena me obriga a sentir el subdesarollo a cada paso".

De Sergio, um personagem principal que parece saído do filme "Trinta Anos Esta Noite", do Louis Malle, dando uma opinião fora do lugar sobre sua namorada pouco cultivada, no filme cubano de 1968 Memórias do Subdesenvolvimento, de Tomás Gutiérrez Alea.
07:01:00 - Zeno - Comentar

Uma motocicleta vietnamita às segundas

eu e não-eu

(crdt da foto: hans kemp; da dica: laurent c.)

(a foto faz parte de uma série que publicaremos aos poucos se o provedor, a banda e o japonês dono do botequim permitirem)
06:42:00 - Zeno - Comentar

29 Outubro

Veja essa

Agora que Geraldo Racumin tomou onde as patas (perdão, leitores), faço minhas as palavras de Herbert von Karajan, no intervalo das refeições dos ensaios de Die Walküre. Dizia ele: "Agora, o coro vai comer".

Como a gente vive num país em que a imprensa não saber ser oposição, só situação, quero só ver o que mais vai ir vim, como dizem os paulistanos, por aí...

E por ora com licença, que vou ali ver se consigo que o Chalita escreva minha biografia.
22:28:23 - Pinto - Comentar

27 Outubro

Pega mas não rela

No tempo em que o diabo era menino e a saúde pública não tão boa como a dos últimos 8 + 4 anos, a abertura de um posto de puericultura era sempre motivo de comemoração, trazendo para o bairro ou vilarejo médicos ginecologistas e a distribuição de remédios para famílias com muitos filhos. Na cidade X, num bairro afastado Y, era dia de festa pela inauguração de um posto, com a fila imensa de mulheres à espera do atendimento. Passa o capiau, vê a fila e logo se anima: "Ei, comadre, qui é qui tão dando aí de graça?", e a senhora: "Dando, não, hoje nóis só tá mostrando".

(crdt: antonio n., pescador)
09:00:24 - Zeno - Comentar

26 Outubro

Falso dilema

“Não exagere em ironia, a maioria não entende, acha que você fala sério.”

Raymundo Faoro

crd:Direto da Olivetti, Mino Carta
22:51:10 - Mathieu - 2 comentários

Um cachorro-quente, um milk-shake e um presentinho

Eu me lembro da Lobrás.
18:00:28 - Pinto - 3 comentários

24 Outubro

A gente faz aniversário, mas quem comemora somos nós

Millôr, um hipopótamo
Na semana de aniversário do blog, recebemos presente da mui gentil leitora Iara, que disse ser o desenho do Millôr acima "a nossa cara". Da esquerda para a direita, eu sou aquele ali, o mais bonitinho.
15:02:00 - Zeno - 2 comentários

Ao Zeno, com carinho



Dossiê bom é assim: a gente tem, a gente mostra. E não cobra nada por isso.
12:08:53 - Pinto - 3 comentários

Enquanto corria a barca

Quatro paus?!?! Eu já desconfiava que não tem gente normal nesse setor. Uns cinco anos atrás, comecei a ver o LP “Coisas”, do Moacir Santos, à venda em lojas americanas por US$ 1,200. Poucos meses depois, nem por isso, só na base do leilão. E mais: a versão mono valia mais do que a stereo. Essa situação permanece mesmo hoje, quando o disco já saiu em CD, todo remasterizado etc., etc., o que só comprova a variedade de fetichismos abrigada pela humanidade.
Outra coisa: o caminho é de Peabiru; o disco é Paêbirú, com esses acentos todos que vocês estão vendo mesmo, num foi excesso da diamba, não (ver Tesouro da Juventude eletrônico). Explicações mais detalhadas podem ser solicitadas ao Lula Côrtes ou Zé Ramalho. Ou não.
[Leia mais!]

23 Outubro

Antes que a moda pegue

Deu no UOL: "China quer obrigar internauta a usar nome real ao criar blog".

Zeno se chama Zilda; Sorel, depende do dia (entre Rômulo e Sílvia). Jorge Risadinha e o DJ Mandaca são Joões e, suspeito, a mesma pessoa. O único com colhões de assumir o próprio Pinto (o alheio deixo para a audiência qualificada) sou eu mesmo.

Tenho dito.
20:09:21 - Pinto - 3 comentários

É melhor com a borboleta

Bicolíngua e bicoleta??!!
11:06:53 - Pinto - 7 comentários

Vou apertar, mas só vou acender em 1975

A gente fez aniversário e a Folha de S. Paulo resolveu contribuir para a festinha, publicando com um ano de atraso uma pauta que a gente, vírgula, nosso DJ Mandaca, havia dado aqui no botequim, o tal disco de maconheiro que ninguém lembra mais como chama direito. No Leia Mais, o artigo do jornal, publicado na Ilustrada de ontem. [Leia mais!]
07:29:14 - Zeno - 7 comentários

e la nave va

fellini é um cara que a gente vê
pelas 1ª vez calando fundo.
guarda
dá por já visto
fácil de explicar
óbvio.
pior:
italiano
chantagista
e ordinário.

isso, básico.

o pobrema é ver ele
depois duns anos.

é q'nem o kurozawa.

q'ela falou que os 2 cunversa.

imagina o papo.
e mais num (in)dig(n)o. [Leia mais!]

22 Outubro

Escrevendo verdades n'água desde 2003

The Eye of The Hippo

Num dia como hoje, precisamente hoje, logo hoje —cúspide de libra e escorpião, um perigo!—, os sócios idealizadores deste grêmio pândego-lítero-etílico-colo-reto-procto resolveram fundar um blogue ("O que é fundar um blogue comparado a fundar um banco?", indagaria Brecht) com a ambição tão comedida quanto diletante de fiscalizar e aprimorar a humanidade e tudo que dela possa servir (disfarçar-se?) de legado, observando à risca aquela máxima: "Houveram erros no passado, no futuro não haverão mais".

Mil e noventa e cinco dias, mais de 2.500 posts (cerca de 2,3 por dia, calculo eu) e umas 2.600 garrafas de uísque depois (média diária de 2,4 garrafas, mais ou menos uma para cada post), o propósito inicial não apenas é descumprido com esmero persecutório, como o passar do tempo nos tem mantido distantes de uma posição digna de suborno na exata proporção em que minguam nossas contas bancárias. Assim é que os founding fathers do Hipopótamo Zeno já sequer dignam-se de lembrar de uma efeméride tão momentosa: o aniversário de três aninhos desta bagaça —se bem que pode ter sido qualquer coisa entre Alzheimer, coma alcoólico, dementia praecox ou pura indolência mesmo.

Coube a mim, tardio membro ad-hoc do conglomerado Flußpferd Zeno GmbH, imbuído do papel de Grilo Falante, fazer as vezes.

Durma-se.

Podemos estar lhe auxiliando em algo mais? O Hipopótamo Zeno agradece a sua atenção, tenha um bom dia!
00:01:00 - Pinto - 5 comentários

20 Outubro

Em busca do Zeno perdido

Dileto quadrúpede aquático,

Valho-me da moderníssima tecnologia digital para solicitar, mui respeitosamente, que o senhor envie novamente seus contatos para minha caixa postal.
O motivo não é nada nobre, ou é excelente (Libações báquicas, por supuesto), pois como arengou certa feita do alto de seu púlpito o sábio Bispo Warburton, de tão saudosa memória: "Orthodoxy is my doxy, sire; heterodoxy is another man's doxy".

Meus mais elevados protestos de estima e admiração

Hunter, aquele que caça.
17:39:22 - hunter - 5 comentários

Elis in Tokyo

Inspirado no post abaixo e dando prosseguimento à seção Bootlegs (com meinha arrastão branca) do HZ, um show da Elis Regina, no Denen Colosseum (Tóquio), dia 25 de julho de 1979. Era a “Brazil Night” do Live Under Sky. O show foi transmitido por uma FM japa e, de lá, devidamente imortalizado para uma bolachinha prateada.
Elis está com aquele que foi seu melhor grupo: César Camargo Mariano (teclados), Helio Delmiro (guitarra), Luizão Maia (baixo), Paulo Braga (bateria) e Chico Batera (percussão).

Anotem aí o track list e vejam se vale a pena baixar: o RAR ficou com 45MB.

1 – Introdução
2 – Cai Dentro
3 – Amor Até o Fim – Mancada
4 – Samba Dobrado
5 – Na Baixa do Sapateiro
6 – Comentário
7 – Madalena
8 – Agora Tá
9 – Ponta de areia - Fé Cega, Faca Amolada - Maria, Maria
10 – Upa, Neguinho
11 – Maria, Maria (reprise)
12 – Comentário final

A deselegância nem sempre tão discreta das meninas

Bota fora

Por que cintas caralhas d'água© as paulistanas gostam tanto de usar estrupícios iguais a estas botas aí de cima?
08:20:00 - Pinto - 13 comentários

19 Outubro

A história do samba, vista do morro (de Saint-Victoire)

Junte um pesquisador paulista branquelo, um diretor cênico russo, uma coreógrafa gaúcha, um elenco de mais de 100 pessoas e um francês navajo pra filmar tudo e o resultado, o espetáculo Um Minuto de Silêncio, pode ser visto hoje, terça, quarta e quinta da semana que vem no Sesc Anchieta, às 21 horas.
13:47:47 - Zeno - 1 comentário

Um tijolinho a mais para sua estante

Eu moro aqui

Já que há tempos não se resenha um livro nestas plagas, aqui vai o começo de uma história: "A linha de sombra", poemas de Emily Dickinson do Conrad, chega pelo correio com a capa recoberta em cimento. Um bibliófilo patológico é morto em circunstâncias estranhas. Una essas duas pontas e entregue-se ao instigante A casa de papel, do argentino-uruguaio Carlos María Domínguez, que escreveu um dos melhores livros do ano até aqui.

Brauer, o bibliófilo em questão, dono de uma biblioteca gigantesca, criou um peculiar sistema de classificação fundamentado em algoritmos matemáticos e idiossincrasias de fazer inveja ao nosso Zeno, conforme quisemos demonstrar aqui. Dentre esquisitices tantas, classificava Dostoiévski ao lado do argentino Arlt, por afinidade de enredos, mas não junto ao compatriota russo Tolstoi. E, por próximos que fossem, jamais punha lado a lado autores que não se bicassem, como Martin Amis e Julian Barnes, amigos e depois rompidos, e Borges e Lorca, a quem o portenho uma vez tachou de "um andaluz profissional".

Trecho fundamental: "Nós, leitores, espiamos a biblioteca dos amigos, mesmo que seja só como distração. Às vezes para descobrir um livro quer queríamos ler e não temos, outras para saber de que se alimentou o animal que está à nossa frente".

Se "A casa de papel" tem um defeito é o de ser curto. Acaba-se e fica-se querendo mais. É delicioso. Em compensação, custa só um pouquinho mais que a Men's Health.

Quanto ao Zeno, já avisou que não atende nem telefone este fim-de-semana porque quer rearrumar as prateleiras. TOC contagia mesmo à distância.

(crdt pela indicação: o sempiterno férdinand côstes)
13:29:21 - Pinto - 5 comentários

Viagra com desconto para chamadas locais

(versão I)
— E aí, vamos na festa da namorada do X?

— Ah, não. Que é que eu vou fazer numa festa cheia de meninas de 20, 25 anos?

— Bom, se você tem de perguntar, é melhor não ir, mesmo.

(versão II)
— E aí, vamos na festa da namorada do X?

— Ah, não. Que é que eu vou fazer numa festa cheia de meninas de 20, 25 anos?

— Que nada, é só encarar a coisa como uma versão ao vivo daquelas edições especiais da Sports Illustrated.

(crdt parcial: sorel)
13:18:33 - Zeno - 4 comentários

18 Outubro

To piauí or not piauí

Dando prosseguimento à série de resenhas de banca de jornal, temos o lançamento da piauí, a revista do churrasqueiro com conceito*. Para usarmos as categorias epistemológicas consagradas pelo mestre Daniel Piza, dividamos (ops) os artigos em três grandes grupos e dois subgrupos:

Gostamos: da reportagem sobre Fidel, do guia turístico da Molvânia, dos quadrinhos do Brecht.

Gostamos muito: das fotos espetaculares do Orlando Brito, do incontornável, mas às vezes preguiçoso texto do Lessa, do perfil do operário que caiu do andaime e do registro do voto do Roberto Jefferson (aliás, a seção Esquina promete ser a melhor dentre as seções fixas da revista).

Não gostamos: do texto do Ian Frazier, do conto do Rubem Fonseca, do papagaio do Pompeu de Toledo, dos quadrinhos do hipopótamo (questão de demarcação de território), do diário da novaiorquina.

Indiferentes: as reportagens do telemarketing e do brasileiro seqüestrado no Iraque, o horóscopo, a macaquinha africana.

Melhor texto da revista: Danuza Leão sobre o estilista Guilherme Guimarães.

E um pitaco sobre a indiferença que alguns textos da revista despertam, mesmo que não incluídos na categoria epistemológica respectiva: talvez pela presença do João Moreira Salles (que escreve bem à beça, diga-se) à frente do projeto, acontece aqui o mesmo problema que acomete boa parte dos documentários vistos nos últimos tempos: a falta de transcendência. Em casos bem-sucedidos, o registro colado, rente aos fatos, recortando em minúcias tal ou qual evento ou série de eventos documentados (pode escolher o assunto, o leque de filmes recentes é bem amplo) produz como resultado algo mais que não o tal registro, um pulo do gato dialético (ops) que alterna imanência (ops) e transcendência, que é mais que a soma dos pedacinhos, que está atento ao objeto mas com uma piscada universalizante e, mais importante, que não permite ao espectador que veja o andaime que produz o tal pulo de uma coisa à outra. Quando não dá certo, ficamos vendo um desfile de irrelevâncias que só na cabeça do diretor ou do autor do texto têm importância, como se aquele amontoado meio paratático de elementos guardasse um significado importante que os citados esperam que brote também na cabeça do espectador/leitor por obra do Espírito Santo.

*crdt cam seslaf
11:14:47 - Zeno - 11 comentários

Quem avisa a mídia é

Deu no Uó: Só 'fato espetacular' tira vitória de Lula, avalia diretor do Ibope.

Aguarde para breve mais um fato espetacular nas capas dos principais jornais e revistas do país.
10:25:46 - Pinto - 5 comentários

A vida, o espeto e a grelha

Depois da picanha do Sérgio Reis, passo pela banca dia desses e descubro que há uma nova revista de churrasqueiro, tal de Men's Health. Penso que o mercado não deve ser tão pequeno assim e me encanto com a poética chamada da capa: "Sete sinais claros de que ela é boa de cama". Pra quem não está em situação financeira privilegiada como a nossa e quer economizar os R$9,95 do exemplar, segue o resumo:

1-Ela fala do mesmo jeito que você.
2-Ela devora a comida.
3-Seu sabor favorito de sorvete combina com o seu.
4-É ela quem sugere o restaurante.
5-Ela sabe quem é Sid Vicious, meaning não é jovenzinha.
6-Ela sabe beijar.
7-Ela dança bem.

Não perca na semana que vem a resenha de outra publicação afim, a Você S/A.
07:16:56 - Zeno - 7 comentários

Zeno e a arte da conciliação dos extremos

É lícito ter dúvidas em quem votar, se Lula ou Alckmin. Mas o sujeito que larga disciplicentemente sobre o sofá da sala um exemplar da piauí junto com um da Men's Health —não vou diZEr o NOme para não passar por convidado indiscreto— não vai ter esse dilema, e muitos outros (todos os outros, aliás), resolvido nunca.

E agora, se me dão licença, vou ali ver se caso ou compro uma bicicleta.
01:01:16 - Pinto - 1 comentário

17 Outubro

Receita de omelete sem quebrar os ovos

Continuando nossa série de posts culinários, ontem à noite, no Roda Viva, tivemos a receita de como jantar meia dúzia de jornalistas sem precisar pagar sequer os 10% pro garção.
09:05:48 - Zeno - 6 comentários

16 Outubro

Direto de Leeds

Foi minha filha que me apresentou. Vocês já devem ter visto ela aqui. Há semanas ela aparece nos top 10 de direito por aqui (essa mesma, prefiro ver ao vivo), já ganhou prêmios da MTV e de desconhecida não tem nada. Pelo menos, não para o pessoal com 20 ou 30 anos a menos do que eu, que estou chegando agora.

O nome, as roupas, a voz, tudo lembra as garotas negras da Virginia, mas ela é filha de um indiano e uma inglesa de classe média, da cidade de Leeds. O encaixe perfeito das peças que montam a garota-negra-de-R&B-que-cantava-na-igreja me faz pensar se tudo não passa da boa mão de um produtor atento. Mas isso, o DJ Mandacaru explica pra gente depois.

Com vocês, Corinne Bailey Rae. Like a star.

12:33:08 - Mathieu - 16 comentários

15 Outubro

Domingão

Procuro receitas que contenham algo do tipo "retire as salsichas da lata e bata no liquidificador" ou ainda "besunte o frango com a mistura de maionese e creme de cebola e leve ao forno".

Gratifico bem.
14:37:18 - Pinto - 8 comentários

11 Outubro

Terra arrasada e roubada


Esse post foi inteirinho roubado, afanado, tungado, subtraído subrepticiamente - enfim, vocês entenderam - de um blog. O problema é que não me lembro de qual.

O arquivo traz o Thomas Stearns Eliot recitando, de sua própria lavra, The Wasteland (11MB), um dos mais poderosos poemas que já li, um dos mais difíceis também. Se alguém quiser acompanhar a leitura com o texto na mão, é só dar um pulo aqui. No pé, há dicas preciosas para entender algumas partes mais obscuras do poema.

Bom, o post roubado é o seguinte:
[Leia mais!]

09 Outubro

Coma mais folhas

O sapo vinha cantando alegremente...

(crdt : renantinha)
16:42:30 - Pinto - 5 comentários

Considerações eleitorais pós-1º turno

- Classe média, imprensa de média e eleição de média são iguais em qualquer canto. Tudo é uma questão de escala.

- Se eu encomendar —e pagar— uma pesquisa a um desses respeitáveis institutos de pesquisa "desejando" ser visto como um marciano, de pele verde e antenas, 70% dos entrevistados serão capazes de me ver assim. Para ter o efeito desejado, a pesquisa será publicada por um respeitável órgão de imprensa a tempo de ser "retificada" antes de um, digamos assim, segundo turno, quando será finalmente explicado que berimbau e gaita são dois instrumentos diferentes, que os entrevistados estariam senis e míopes, que eu fora apresentado com máscara e chapéu etc. etc.

- Pior do que a situação do Legislativo, que a gente não sabe mas pode entrever, é a do Judiciário, que a gente não sabe e não pode nem saber.

- "Desleia" ("desouça" ou "desveja", conforme o caso) um jornalista ainda hoje e fique melhor informado.

- Na real, ninguém está relamente empenhado em modificar a infra-estrutura de ignorância que sustenta isso aí, mas o sujeito que defender voto distrital mereceria sua consideração nas próximas eleições. Não é nada, não é nada, tornar majoritária aquela lambança proporcional já seria um adianto...

- No segundo turno, vote como quem dá descarga e contabilize o menor prejuízo ambiental possível por ter apertado aquele botão.
15:32:08 - Pinto - Comentar

Segundo Turno - Parte II

Eu me lembro de uma instituição televisiva: o Domingo Maior, depois do Fantástico, especialista nas Obras Completas do Charles Bronson: Desejo de Matar I, II, III e pode botar etc aí. Ontem o Domingo Maior mudou de canal, passou na Bandeirantes. E foi sensacional. Cês não acharam, não?
09:03:04 - Zeno - 12 comentários

07 Outubro

aonde nenhum homem jamais esteves, sequer o kim

casório, data estelar 23421089408475298.
atendendo ao reclamo da direção da frata estelar, relato os eventos ocorrentes durante preparativos nupciais no planeta Erra, sistema Molar Z4´4019874-25817, quadrante Zonoeste da Via Wískea, setor Caicó4. [Leia mais!]

06 Outubro

coqueiros de paracurú derrubados insolam turistas

nada constra os optei sechual da redação ensandecida, e inconsequentes e arguto/as lleeiittoorree/aass.
mas ñ custa ir blogando aê, até essa arenosa penetração na intimidade alheira e vezeira ir descendo devagarinho.

Maratona Pão de Açúcar Königsberg-Niterói

"Corro porque sou kantiana".

Fernanda Young, explicando a razão pela qual é viciada em corridas, jogging e similares. Quer mais? Aqui.
11:56:35 - Zeno - 7 comentários

05 Outubro

Posando para a lente da verdade

Um banho de democracia
10:51:38 - Pinto - 4 comentários

03 Outubro

Mary Poppins não morreu

Diante do momentoso momento político que atravessamos, não poderia o Tio DJ Mandacaru se furtar (mesmo porque, se for esse o caso, prefiro furtar a outrem) a colaborar com o aperfeiçoamento democrático da (sei do cacófato) nação. E essa colaboração, como não poderia deixar de sê-lo, apesar de não recebido um tusta da valorosa Empresa Brasileira de Correios (e, de saudosa memória, Telégrafos), é de caráter eminentemente musical.

Trazemos agora, para a edificação da juventude estudiosa do nosso Brasil, um apanhado de alguns dos melhores momentos da verve criativo-musical do nosso querido povo, dessa vez a serviço dos mais altos valores político-partidários que engrandecem a nossa Pátria.

São poucas obras, apresentadas ao mundo em algumas encruzilhadas específicas: as campanhas de João Goulart à vice-presidência do País, do Brigadeiro Eduardo Gomes (“Vote no Brigadeiro/É bonito e é solteiro”) e do impoluto Adhemar “Casa da Eni” de Barros, além de uma lenha no plebiscito do parlamentarismo.

As letras são auto-explicativas, mas sempre haverá de haver alguma avozinha disposta a esclarecer algumas passagens mais obscuras.

As canções são tão ricas que cada candidato que sobrou pro segundo turno pode vestir a carapuça que bem lhe aprouver.

Tá tudo aqui, e, como dizia o Robespierre, é bom suá.

A frase (da série: Ereções 2006)

"São Paulo é a nossa Flórida."

(crdt : el pulpo)
10:25:13 - Pinto - 1 comentário

02 Outubro

Segundo turno

"Errei sim, mas não manchei meu nome. Os jornalistas como os pecadores podem arrepender-se e redimir-se do pecado. Imaginei que Lula ganharia no primeiro turno, não contei com o desempenho paulista, como de hábito primoroso, como confirmam alguns dos primeiros governos da República e a Revolucão de 32. E que Revolução! Dá orgulho ser paulista, confere hombridade ao cidadão cioso do seu nascimento na terra de Piratininga, rincão dos Bandeirantes. Não deixo de anotar o extraordinário desempenho de um dos maiores heróis deste recanto abençoado, o formidável, brilhante (notabilíssimo pianista), atlético (saltador emérito), iluminado político (sobretudo de noite, se munido de lanterna) Paulo Salim Maluf. E não era Fernando Henrique Cardoso quem recomendava a presença na ribalta de um eletricista?

Deu no blog do Mino. Mais aqui.
20:36:24 - Mathieu - 2 comentários

Pitaco em eleição própria

Sapo de dentro observa: tudo bem não gostar do Lula, do PT, do dossiê e o escambau. Mas soltar fogos de artifício durante mais de cinco minutos, ontem à meia-noite, quando saiu a confirmação de segundo turno, peraí, né? Classe média paulistana animada é isso aí. Mais animado só o Estadão de hoje, com a manchete "Segundo Turno" que escapou por um tantinho assim de vir acompanhada dos pontos de exclamação subentendidos.
12:53:10 - Zeno - 4 comentários

Pitaco na eleição alheia

Sapo de fora observa o seguinte: o governador do Rio Grande do Sul passa doravante a se chamar Germano Boquirroto. E Denis Rosenfield perde o emprego de Papagaio Oficial de Pirata.
11:03:18 - Zeno - Comentar

.:: mês anterior :: :: :: :: October 2006 :: :: :: :: próximo mês ::.