:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Todos

Todos os posts do mês. Para selecionar uma seção, clique no menu ao lado.


.:: mês anterior :: :: :: :: September 2006 :: :: :: :: próximo mês ::.

29 Setembro

Ô-lê-lê, Ô-lá-lá

Carimbó, Sirimbó, Siriá

Muito procurado, finalmente encontrado: Pinduca, um dos maiores expoentes da cultura musical paroara (não é o maior porque perde por alguns centímetros para a alta combustão de Fafá de Belém), em três momentos de glória:

Sinhá Pureza

Carimbó do Macaco

O Caçador, que o pessoal de Cabaceiras cantava para o expedicionário Zeno quando este desfilou a coleção primavera/verão da Mandi (Osklen? Forum? Calvin Klein? Victoria's Secret?) pela cidade.
15:09:42 - Pinto - Comentar

Como é que a gente não teve essa idéia antes?

A dica é do sempre alerta Sérgio Rodrigues, do NoMínimo:

"Eu na verdade não li este livro, mas…"

Coisas da era internet: o blogueiro que se assina Jon Swift – em homenagem escancarada a Jonathan Swift, o grande satirista irlandês – está começando a construir uma lenda como o mais, hmm, “cultuado” leitor-crítico a deixar seus comentários no site da Amazon. Vale a pena dar uma olhada – aqui, em inglês – nas curtas e ferinas “resenhas” de Swift, sempre iniciadas com o bordão “Eu na verdade não li este livro, mas…”.


As resenhas são sensacionais, nos moldes do que fazia o Heine: você elogia, elogia e elogia e o que resulta é a prova contundente de que o elogiado é uma anta cúbica. Mas o blog do cara, no mesmo estilo, é ainda melhor, tirando o sarro da direita americana usando o mesmo linguajar e as mesmas idéias dela. O texto "Not letting the terrorists win", por exemplo, sobre o que fazer para desagradar os terroristas, é de gargalhar.
13:53:55 - Zeno - 5 comentários

Nova pausa que refresca

Tem trailer novo do próximo James Bond na rede, Casino Royale (a estréia na matriz é em novembro), aqui.
Quando vi o primeiro trailer, bateu a desconfiança dupla: "O que é que esse pedreiro* tá fazendo no lugar do Bond?" e "Caceta, mais um daqueles filmes barulhentos que disfarçam a indigência com muita correria, quinem os do Pierce Brosnan".
Agora, não. O trailer investe no personagem, que é o que interessa, afinal (por que deixar de lado 40 anos de história em troca de uma ponte que explode ou de uma corrida interminável de moto?), o sujeito mostra uma canalhice e uma violência essenciais ao papel, e, bom, tem a Eva Green, né? Do que me lembro do livro, o primeiro escrito pelo Fleming e o primeiro que li, tinha muito carteado, muita cena de tortura da mocinha e uma seqüência impagável do Bond jantando com o M no clube deste (que era tão exclusivo que nem o Bond tinha acesso), com os dois elogiando as virtudes da cozinha inglesa (!?!). Tomara que tenham mantido isso no roteiro.

*com as desculpas à nobre classe, mal representada pelo narigudo em questão.
12:38:48 - Zeno - 3 comentários

paracuru, ce

localizado nosso correspondente em férias.
nada como uma liposinha pré-eleitoral.

28 Setembro

Uma breve provocação

Sirvo-me deste apenas para informar aos meus caros e meus ácaros que, depois de intenso calor equatorial em Belém, faço um pit stop sabático, cuíca domingático, no litoral fortalezense, donde não se estranhe minha ausência por aqui.

Água de coco? Caranguejo? Praiazinha alguém aí?
09:33:15 - Pinto - 9 comentários

27 Setembro

saco de tungstenio, um pensador gaélico

lula é um fenômeno, c/ perdão à filosofia e seus uso dessa má palavrágora.
vinha pensando nisso há dias, posto o monte de poste em tudo que é bloco aqui no bananão sobre o cara: não tem quem não, sobre a mediocridade dessa eleição; repara.
[Leia mais!]

26 Setembro

Mais um relato da crise política atual

"Como muitas mulheres - como muitos homens - vivia mais ou menos indiferente à sorte do país. Antes mais do que menos.
Queixava-se do governo quando ávida encarecia; era esse o único aspecto da atividade pública que a interessava.
Os políticos, uns ladrões, e a política, um meio de exploração. Mas que lhe importava isso? Nascera a ouvir que o país caminhava para a ruína, e provavelmente morreria a ouvi-lo. Mas não acreditava. Escutara-a demais, essa sombria profecia, para lhe dar importância.(...)
Nunca pensara que o futuro dos filhos e o futuro do Brasil eram, em alguns pontos, estreitamente ligados."

Lúcia Miguel Pereira, Maria Luísa, 1933
17:52:39 - Zeno - 5 comentários

23 Setembro

jeunesse dorée

creiam-me, qdo eu falar que um cara é burro, saibam que sei do que estou falando.

e com autoridade adquirida já desde a mais tenra idade. [Leia mais!]

22 Setembro

Este post tem como...

... único objetivo jogar para o arquivo, leia-se tirar da home, aquele lá embaixo com mais de 300k de imagens.
14:59:02 - Mathieu - 1 comentário

E assim evitar...

...o estouro de banda e de nossas já pauperizadas contas bancárias.
14:58:00 - Mathieu - 2 comentários

Fundo de poço

Isso é que é largura de bunda, digo, banda

Adesg informa: devido a restrições orçamentárias, recebemos orientação expressa de comprimir as imagens deste botequim. As iluminuras postadas doravante vão parecer assim. Estudamos também reduzir o horário de abertura e fechar as portas da 1 às 6 da manhã.

Caso as medidas não dêem resultado, os posts serão cort
12:33:11 - Pinto - 3 comentários

Efeméride

Completaram-se ontem 100 anos da descoberta da doença de Alzheimer, mas nós aqui da redação... hã... bem, nós nos esquecemos de... de que mesmo?

Bom, de qualquer maneira acho que vou tratar disto, o que quer que seja, de uma forma bem educativa, na próxima novela das oito.
09:30:00 - Pinto - 1 comentário

21 Setembro

Jurisprudência – parte 2

— Cê viu que merda esse negócio do vídeo da Cicarelli?

— Como assim?

— Isso não podia ter acontecido, cara.

— Por quê? Cê tá do lado dela, acha que ela foi vítima de invasão de privacidade ou algo assim?

— Se antes já era difícil convencer a mulherada a transar na praia, agora, então, ficou impossível.

(crdt rapaziada amiga do sorel)

(da série "Mas qual é o problema da areia, querida?")

(da série II "Trouxe até champagne e dois copos!")

(da série III "Lindo o pôr-do-sol hoje, cê não acha?")

18:29:55 - Zeno - 7 comentários

Jurisprudência

Reunido em sessão extraordinária, o conselho editorial deste blogue decidiu emitir moção de apoio a Daniella Ciriricarelli, que "vai processar todo mundo", segundo a aterradora manchete d'O Globo, pelo vídeo em que é flagrada protagonizando uma cópula submarina.

O conselho foi unânime em achar que, se assim não procedesse, a intimidade (Rá!) de La Foderelli estaria irremediavelmente prejudicada, prevalecendo o argumento de que ela celebrizou-se justamente pelas trepadas que deu por aí, dentro ou fora d'água.

Para ler escutando Jatinhos do Forró interpretando "Lapada na rachada" —porque, como diriam Dona Beja e Clodovil, cada um dá o que tem.
16:00:00 - Pinto - 5 comentários

“Cê”, de cincronia


Ouvido, soa mais ou menos assim: “Estomavir, Estomavir”, parecendo o jingle de alguma beberagem anti-dispéptica. Mas é apenas o Caê cantando “Por Quê”, de seu último disco, “Cê”.

Ele repete 28 vezes, com sotaque lusitano, “Estou-me a vir”, para concluir, perplexo: “E tu como é que me tens por dentro? Por quê não te vens também?”

Ó, quer saber? Dessa vez tô do lado do Caetano. Não foi por falta de aviso.

Todo homem tem seu preço

Vamos combinar que certas coisas vocês só vão ler aqui no HZ.

Por exemplo, prezada leitora vai fazer festinha de aniversário e quer saber quanto custa contratar artista pra animar a bagaça. O HZ tem a resposta.

Se o gosto da freguesa pender mais para o pop, podemos sugerir um show da Ana Carolina: R$ 85 mil, mais 17 passagens a partir do Rio, mais uma a partir de Salvador. Mas por R$ 20 mil ela pode levar o Arnaldo Antunes. Ou o Edson Cordeiro, por R$ 8 mil. Tudo depende do gosto e do bolso. Se o maridão resolver abrir a burra, chama logo o Jota Quest: só R$ 110 mil, mais vinte passagens de BH, mais duas do Rio. Aí, pra agradar o distinto, a patroa pode completar com um show da Kelly Key (R$ 20 mil); ou melhorar a qualidade do whisky e chamar a Gretchen (R$ 5 mil) ou a Rita Cadillac (R$ 4 mil).

Se a idéia é botar fogo na festa, melhor chamar a turma do rock. Barão Vermelho sai por R$ 60 mil, mesmo preço dos Titãs, mas tem que comprar 18 passagens a partir do Rio. O Rappa já vai pra R$ 130 mil mais 21 passagens de quatro lugares diferentes do Brasil. Pitty só R$ 60 mil, Supla, R$ 10 mil, Supla e João Suplicy, os mesmos R$ 10 mil, Supla, João e Eduardo não tem preço.

Se você ainda é ligada naquele lance nacional-popular, temos diversas opções de samba e axé. O Zeca Pagodinho vai custar ao bem-amado R$160 mil, mais passagens pra metade da população de Xerém: 30 cabras. Seu Jorge já sai mais em conta: R$ 75 mil. Baratinho mesmo é o Salgadinho – R$ 10 mil, dá até pra incluir nos quitutes da festa. Babado Novo (R$ 220 mil) e Chiclete com Banana (R$ 160 mil), só se você for do ramo certo da família Setúbal.

Quando o Pinto foi inaugurar a laje do pied-à-terre que ele comprou lá no Capão Redondo quis chamar o Fundo de Quintal: custaria R$ 25 mil, o que inviabilizaria a construção do puxadinho que sediará o headoffice do HZ GmbH (a maioria preferia Inc., mas o moço-que-nos-ajuda é germanófilo, fazer o quê?).

A festa temática tá mais pra Sodoma&Gomorra? Tati Quebra Barraco sai por R$ 38 mil. Já o Gaiola das Popozudas, só R$ 8 mil, uma pechincha. Pro Calcinha Preta baixar na sua festa, vão te cobrar R$ 60 mil, mais 32 passagens a partir do Ceará. Já o Bicho de Pé custa R$ 7 mil, e essa diferença prova o quê?

Bom, o cardápio é extenso e oferece mais opções nas áreas de “MPB e Romântico”, “Reggae”, “Blues”, “Sertanejo”, “Country”, “Regional”, “Clássico e Instrumental”, “Infantil” e “Humorista”.
Vai pedir o quê, freguesa?

19 Setembro

Carandirúlicas

Atualizando as dicas do post anterior, se namorar com coronel sempre peça a notinha fiscal.
19:00:14 - Pinto - Comentar

Rasgueira

E por falar em Quinteto Irreverente, este sábado passado testemunhou o encontro presencial e síncrono de duas cúpulas (atenção, revisor) blogueiras, a nossa e a deles, num improvável boteco chamado Rasgueira num improvável bairro chamado Campo Belo, numa improvável esquina das ruas Gabrielle D'Annunzio e Vicente Leporace. Para garantir a convivência pacífica entre o escritor italiano e o saudoso radialista, muitos chopes, caipirinhas e cerveja preta (já que o Perozzi estava amamentando). A denunciar a idade dos blogueiros tiozinhos, travessas e mais travessas de torresminho, lingüiça e mandioca frita, que ninguém ali leva muito a sério o conversê saúde da geração que os sucedeu. Segundo a descrição do próprio Perozzi, presentes ali estavam "um frade maconheiro, um juiz de bridge, um cineasta maldito, um cabo eleitoral da ZL, um sósia do Lião da Saúde e esta força da natureza que vos fala. Todos já meio carecas, enchendo a pança de feijoada, ouvindo um chorinho no Rasgueira. Ninguém trabalhando demais, reparou nisso?". Enfim, fica a recomendação da feijoada profissa do boteco e do chorinho bem tocado, mas cuidado com mesas excessivamente animadas e repletas de tiozinhos senis e assanhados.

Nota: 9 pra feijoada, 9 pros músicos e 10 pro Wittgenstein, que não tem nada a ver com isso mas era um sujeito batuta.
10:32:48 - Zeno - 4 comentários

Freud explica - parte 2

Não sei quanto à seleta audiência, mas eu só consegui entender o desenrolar da polêmica dos dossiês graças à seqüência de fotos publicada pelos argutos repórteres do Quinteto Irreverente. Cliquem, senhores, cliquem.
09:42:22 - Zeno - 1 comentário

Jabá cinéfilo



Eu não vi, mas minha esposa Íris garante que é muito bom. Estréia em novembro. E o site, com uns flashs bonitinhos, é aqui.
09:36:22 - Zeno - 6 comentários

18 Setembro

Freud explica

Assistindo agora há pouco aos telejornais sobre os "dessuês", em mais um ato falho do ministro Contumaz Bastos, o inconsciente grita:

O problema não é exatamente o naipe dos bandidos, mas a qualidade das vestais.
20:17:29 - Pinto - Comentar

Reverberando a do Sabino*

"É um lugar fantástico, Nova York. Estarei disposto a filmar lá quando a tela de cinema se tornar vertical".

Michelangelo Antonioni

*que dizia que a melhor maneira de conhecer Nova York é andar de maca.
08:46:59 - Zeno - 2 comentários

17 Setembro

Deus? Não, obrigado.

Para protestar contra infundadas declarações do Papa, que oportunamente citou um texto medieval (o-ho!) sobre uma certa violência inerente ao Islã, muçulmanos já atacaram quatro igrejas e, supostamente, teriam atirado numa freira.

Até agora.
17:54:36 - Pinto - Comentar

15 Setembro

Virundum

Eu me lembro em criança de ouvir "os lençóis macios, a mantissidão" naquela canção do Roberto.

Só descobri que era "amantes se dão" muito depois.

Aí outro dia comentei isso aqui e três marmanjos admitiram que escutavam o mesmo até ontem!
15:23:57 - Pinto - 13 comentários

tostines

bom, é isso.
meu travessoeiro é a história, cheio/a de ácaros intrigueiros, mas meu descanso.
a-gente pretender reto mas acaba churchill, como, tb., me diz-se um amigo bêbadosamba, vezgo e lúmenproletariat.
gostei paca.
pulei 'pa drento', como dizia-nos um bedel d'antanho.
ágora güentem grass.

grande mastroianni
[Leia mais!]

14 Setembro

Ao mestre com carinho

Ela é fanha. Ele é esganiçado. Uma combinação perfeita. Natalie Merchant, minha paixão de longa data, e Michael Stipe, idem, atualizando a trilha do filme. Eu adoro, mas tenho impressão que o mestre DJ Mandacaru não.
18:01:29 - Pinto - 2 comentários

Sai, capeta!


Crazy Baptism - video powered by Metacafe

Uma homenagem ao ataque spâmico-evangélico que sofremos hoje. Disclaimer: assim como os safanões, o "auto clero" não é de responsabilidade nossa. Deve ser coisa do Tinhoso.

(crdt : chiquinho)
14:22:33 - Pinto - 6 comentários

Entreouvido no hotel

— Cadê o fulano?

— Ainda deve estar nos braços de Morfeu.

— O nome do rapaz é esse?
11:26:40 - Pinto - 2 comentários

13 Setembro

Finalmente um blog que desagrada a todos

O primeiro adesivo abaixo já está circulando por aí. Os outros dois são de autoria do inesgotável Sylvain Barré, que espera ganhar muito dinheiro com a venda deles no Mercado Livre:

lula

geraldo

serra
16:36:25 - Zeno - 6 comentários

A verdade nua e crua na França

(Como fazer uma mulher feliz, par Mademoiselle Oprah Zeno) Il me semble que ce n'est pas compliqué! Pour rendre une femme heureuse, il vous suffit d'être:

1. ami
2. compagnon
3. amant
4. frère
5. père
6. maître
7. éducateur
8. cuisinier
9. charpentier
10. plombier
11. mécanicien
12. décorateur
13. styliste
14. sexologue
15. gynécologue/obstetrician
16. psychologue
18. psychiatre
19. thérapeute
20. audacieux
21. organisateur
22. bon père
23. très propre
24. sympathique
25. athlétique
26. doux
27. attentionné
28. galant
29. intelligent
30. drôle
31. créatif
32. tendre
33. fort
34. compréhensif
35. tolérant
36. prudent
37. ambitieux
38. capable
39. courageux
40. déterminé
41. fiable
42. respectueux
43. passionné [Leia mais!]
15:47:44 - Zeno - 7 comentários

Sacrilégio na Alemanha

Parem as rotativas! Parem as rotativas que o caso é de excomunhão!

Acabou de dar (epa!) na ediçao online do Globo:

Papa abençoa órgão com seu nome e pede harmonia dos católicos.

Em verdade vos digo, irmãos: meu Pinto jamais se chamaria Ratzinger!
15:23:32 - Pinto - 3 comentários

Não pode reclamar. Foi avisado.

E por falar nisso, diz que o último torpedo (telefônico, não o obus) recebido pelo coronel antes de passar desta pra pior foi "Tô chegando. Já ligo". Ele só não percebeu a assinatura: a Indesejada das Gentes.
15:01:38 - Zeno - 6 comentários

Estivemos detidos para averiguações

Parece ter sido o cartão de crédito do Zeno, e não o assassinato do coronel, o verdadeiro motivo pelo qual este blogue esteve fora do ar durante todo o dia de ontem. Parece que já está tudo bem, mas vá saber.

De qualquer forma, o episódio ensina:
1) jamais use cartão de crédito, mas se usar, pague a fatura.
2) jamais namore com coronel, mas se namorar, nunca discuta.
10:24:50 - Pinto - 2 comentários

11 Setembro

Festival de Veneza 2006

O vencedor do Leão de Ouro deste ano é o cineasta chinês Jia Zhang Ke, com o filme Still Life (Sanxia Horen). Pra quem, compreensivelmente, não está ligando o nome à pessoa, colocamos no Leia Mais três capsules escritas por Jonathan Rosenbaum de três filmes dirigidos por Zhang Ke nos últimos anos. Há alguns meses, encomendamos os filmes em DVD para nosso comentarista viajante Tio Ethan, que, em ato de generosidade autodirecionada, comprou os filmes e resolveu guardá-los para si. Um típico negócio da China. [Leia mais!]
09:21:10 - Zeno - 4 comentários

09 Setembro

O tapa na pantera, uma reedição

"O que faz mal é o papelzinho"

(crdt : renato aparecido)
10:10:43 - Pinto - Comentar

06 Setembro

Música é cultura

Quando a gente achava que Michael Jackson já tinha dado tudo que tinha que dar, eis que surge o Brega do Rubi.

Esta pequena amostra do que o tecnobrega é capaz tem apenas 3Mb fica à sua disposição pelos próximos sete dias. Não perda nem morta!
15:00:57 - Pinto - Comentar

Confissão spâmica

Eu devo ter sido um sujeito muito do mal em alguma outra encarnação (a atual não se discute, craro) pra ser punido com os e-mails de uma, hã, lista de discussão sobre os desmandos da arquitetura e da política brasileira com ênfase na contribuição inestimável que a vanguarda russa dos anos vinte trouxe ao, hã, debate em questão. Do contrário, não receberia e-mails que terminam assim: "a importância da circulação livre das idéias, a importância de saber relativizar os conceitos e valores sempre inseridos no ambiente político-histórico-cultural-artístico em que nos encontramos". Matar passarinho com bodoque é sempre passível de punição, nesta ou em outra vida, aqui ou em Vladivostok. Mas se existe justiça, a divina, alguém tem de castigar com a mesma propriedade um sujeito que escreve "inserir" em qualquer frase, seja o assunto que for. O particípio "inserido", então, merece dividir cela com a Richthofen. No mínimo.
06:45:00 - Zeno - 20 comentários

05 Setembro

Diálogos escritoriais

— Nem adianta ligar. O telefone daqui tá quebrado.

— O que aconteceu?

— Você escuta direitinho o que a pessoa do outro lado diz, mas ela não escuta nada do que você fala.

— Sei. Vulgo Casamento.
19:06:58 - Zeno - 3 comentários

Carlos amava Dora que amava Pedro que amava tanto...

No Ceará é assim:

O candidato à reeleição, Lúcio Alcântara, é do PSDB, partido do Alckmin, mas apóia o Lula.

Tasso Jereissati, inimigo do Lula, é presidente do partido do Lúcio, mas apóia seu adversário, Cid Gomes, do PSB, aliado do Lula.

Então temos: Cid, que disputa com o Lúcio, apóia o Lula e é apoiado pelo Tasso, que é inimigo do Lula e presidente do Partido de Lúcio, que vota no Lula.
16:42:00 - Pinto - 3 comentários

04 Setembro

Um Garoto da pesada



Aníbal Augusto Sardinha, o terceiro da troika. Nasceu em 1915, Sampa, e inventou o jeito moderno de tocar violão no Brasil. Aos 11, ganhou concurso em programa de auditório e virou o “Moleque do Banjo”. Aos 18 já era conhecido como Garoto e tocava, além de banjo, cavaquinho, bandolim, violão-tenor, guitarra havaiana e violão. Fez sua vida profissional entre Sampa e Rio, mas houve uma curta temporada nos EUA, onde acompanhou Carmen Miranda. Entre suas músicas mais conhecidas, estão Duas Contas e Gente Humilde, com letra póstuma de Vinicius de Moraes, além de São Paulo Quatrocentão, que sua avó deve conhecer pois vendeu mais 700 mil discos na época. Bateu com as sete aos 39. Defeito na bomba. [Leia mais!]

Chico Devagar, Devagarinho

Deu na Ilustrada:

O senador Eduardo Suplicy janta hoje com eleitores no Tom Brasil, para arrecadar recursos. Os 2.000 ingressos estão à venda por R$ 50, R$ 100 e R$ 500. (...) Suplicy consultou o TSE para saber se artistas, como seus filhos, poderiam cantar no jantar. Não. Mas ele, Suplicy, pode soltar a voz. Deve atacar de "Blowin" in the Wind".
-------------------------------------------
Me disseram que o Zeno tá na fila pra comprar o ingresso desde a madrugada de ontem.

03 Setembro

Refeição & sobremesa

Eu ia linkar o post do sempre batuta Xico Sá sobre as opções de comer bem pagando um preço justo em São Paulo —muitas das sugestões apontadas por ele, aliás, já são freqüentadas pela imparcial equipe de degustadores aqui do blogue—, mas me dei conta que bom mesmo são os comentários ao post, que não têm nada a ver com o tema "comida boa e barata".

Ou melhor, talvez tenham.
13:36:33 - Pinto - 7 comentários

01 Setembro

Sangue de Sarney tem poder

Democrata só ao sul do Tocantins

A nanoaudiência que me desculpe por trazer o chiqueiro para o living, mas é que aqui vizinho, do outro lado do rio (Amazonas), no Amapá, uma blogueira está infernizando a até então fácil recondução ao Senado de José Sarney.

Em Macapá, onde um jornal já havia sido proibido de divulgar o resultado de uma pesquisa eleitoral desfavorável ao candidato ao governo apoiado por Sarney, agora é ninguém menos que o UOL que por repetidas vezes tem tirado do ar o blogue de Alcinéa Cavalcanti. Ela foi quem iniclamente postou a foto acima, de uma pixação de muro comum na cidade.

Até o libertário, urbano e civilizado UOL seria suscetível aos tambores de Codó, aqueles mesmos que teriam provocado uma indigestão fatal em Tancredo Neves?

Barba, , cabelo & bigode

CNN News Update: a moça agora atende nesse endereço aqui.
17:28:21 - Pinto - 3 comentários

Segundão



Só pra aproveitar o embalo: quatro faixas com o segundo dos três maiores violonistas brasileiros de todos os tempos na minha arrotante opinião.
As faixas estão no LP Berlin Festival – Guitar Workshop, lançado em 1967, que eu saiba nunca relançado em formato digital. Do workshop também participaram Jim Hall e Barney Kessel (foto do alto), Elmer Snowden (embaixo, à esq.), o Baden Powell (centro) e o Buddy Guy.
Separei as três do Baden: Garota de Ipanema (1MB), Samba Triste (1,7MB) e Berimbau (1,6MB), tudo ao vivo, tudo da maior qualidade.

De contra-peso, Manhã de Carnaval (2,6MB), com Jim Hall e Barney Kessel.

Maria Antonieta baixou em mim

Como diz o cefalópode, estou convencido de que este é o país da demanda reprimida. Nada já funciona direito, e pior fica quando alguém propõe uma "inclusão" de qualquer tipo. Exemplinho trivial: experimente tomar o Metrô em São Paulo, preferencialmente a Linha Vermelha, horário comercial. Com a economia de centavos proporcionada pelo Bilhete Único, foram mais 300 mil passageiros que deixaram de lado os ônibus e surgiram do nada dentro dos vagões. E não serão aquelas baias de contenção no embarque que vão resolver o problema. Resultado: o que já era precário beneficiando uns poucos ficou inviável para todo mundo.

Aqui em Belém, pelas mesmas razões, ultimamente ando tristão enxergando essas inviabilidades em tudo que é coisa. Incluiu, ferrou. É muito sofisticada a estrutura social desse país. É tudo tão bem arquitetado para segregar que chego a duvidar da autoria: é tão bom que nem parece produto nacional. Mas aí o contingente de excluídos cresce, fermentando que nem massa, e lá vem mais uma "inclusãozinha", digital que seja. E eu? Eu vou adaptando a máxima da louca do título ao contexto paroara: "Nâo tem peixe? Comam filhote!".

Pronto, falei. Deve ser efeito do calor...
11:41:05 - Pinto - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro do uirapuru.
10:56:53 - Zeno - 9 comentários

Trilha sonora de uma morte anunciada

Pinho nobre

Conheci o Raphael Rabello por volta de 1984. Estava de saída do Vou Vivendo (boteco de São Paulo, que já não mais existe), quando um grande amigo (o pianista “Tio” Laercio de Freitas) nos convidou: "Vão embora, não, que o Zé Menezes está chegando com o pessoal da Camerata Carioca". Era meio de semana, eu tinha que acordar cedo no dia seguinte, mas o "Tio" não é de fazer convite pra escutar besteira. Tomamos mais uns chopes (não, não comemos dois pastel) até a chegada do Zé com um garoto que eu nunca vira antes. Acomodamo-nos num mesão redondo -- de sapo só minha mulher eu, o resto tudo fera: Heraldo do Monte, Paulo Bellinatti, Edson José Alves. O violão foi passando de mão em mão (mais na mão do Zé, aos 63 anos inegavelmente o patriarca da mesa) até chegar no tal garoto, que ainda não abrira a boca. O moleque começou a tocar e aí quem não mais abriu a boca foi o resto da mesa. Ao lado dele, o Zé Menezes, com ar orgulhoso e sorriso sacana, como quem diz: "Por essa vocês não esperavam, né não?".

Começou ali uma paixão que perdura até hoje. Já incomodei amigos em Nova York para procurar o disco que ele gravou com o Romero Lubambo. Tenho disco do Ney Matogrosso só porque o Raphael toca nele. Quase cometi a bobagem de levar gravador para show da Gal só para registrar os trechos em que ele tocava. Praticamente, não houve vez que o Raphael viesse tocar em Sampa que eu não estivesse na platéia, inclusive naquele dia de 1989 em que a Monique Gardenberg subiu no palco do Teatro Cultura Artística para comunicar que ele não iria se apresentar, conforme o programa, porque havia sofrido um acidente de carro, nada muito grave, o Heraldo do Monte iria substitui-lo. Fiquei apreensivo, mas não arrasado, como ficaria se soubesse da tragédia que estava se iniciando. [Leia mais!]

.:: mês anterior :: :: :: :: September 2006 :: :: :: :: próximo mês ::.