:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Todos

Todos os posts do mês. Para selecionar uma seção, clique no menu ao lado.


.:: mês anterior :: :: :: :: August 2006 :: :: :: :: próximo mês ::.

31 Agosto

Império do mal

Deu no Washington Post:

When the Machines Talk, They Talk About You

My Xbox 360 has a blog, and it's starting to get on my nerves.

While I was off on a vacation recently, the slick game console spent the week talking about me behind my back and posting snarky comments on the Web.

"I was ignored . . . all . . . freaking . . . day," it complained.

"What . . . are you off reading a book or something?" it remarked another day. "Come play games!"

Finally, things got a little spooky. "I have a bit of a temper if I am neglected," it warned.


Mais? Aqui.
12:10:24 - Mathieu - 5 comentários

Um mestre no centro da periferia

[Três notas da coluna de ontem (ah, sempre a nossa rapidez) do César Deserto de Giobbi, com grifos do blog:]

Ruth e FHC continuam com o mesmo prestígio, pelo menos na parcela de paulistanos que freqüentam os Jardins. Noite destas entraram no Piselli para jantar com a amiga Margarida Cintra Gordinho. Toda a sala se pôs de pé para cumprimentar o casal. E uma mesa que aguardava o café imediatamente decidiu-se liberá-la para que os recém-chegados não tivessem de esperar. Esse tipo de manifestação desinteressada, com gente que não está no poder, vem do coração mesmo.

Chico Buarque estréia hoje o show Carioca, em São Paulo, no Tom Brasil, com a temporada de quatro semanas totalmente esgotada. Por isso, já anuncia mais oito shows extras. Quem viu os ensaios conta que ele canta só cinco músicas do novo disco, que não é lá grande coisa. O resto do show tem tudo o que a gente quer ouvir.

Celita Procópio e Antonio Bias Bueno Guillon comentavam, na segunda, surpresos e satisfeitos, as multidões que têm freqüentado a FAAP para ver a mostra Deuses Gregos. No fim de semana foram contadas 9 mil pessoas, não só paulistanos, mas gente do interior e de vários Estados do Brasil. A loja do Museu de Arte Brasileira, da Fundação, teve de repor, várias vezes, seu estoque de catálogos e mercadorias gregas.
10:08:28 - Zeno - 13 comentários

30 Agosto

Diálogos natureba-empresariais

— Cê viu onde vai ser a Reunião de Metas da firma este ano?

— Não.

— Num daqueles hotéis ecológicos, sabe?

— Sei.

— Não tem nem banho de água quente, que é pra energizar o corpo logo de manhã, sabe?

— Sei.

— Em vez de ar condicionado, instalaram aqueles muxarabis que funcionam como ventilação natural, sabe?

— Sei.

— E o frigobar, que diz que faz mal ao meio ambiente, tipo, por causa daquele gás, né?, foi trocado por uma moringa em cada quarto, sabe a moringa, aquela de barro?

— Sei. Posso mandar meu corpo astral no meu lugar?
12:29:37 - Zeno - 4 comentários

A vida continua um espeto

Crua?

Sérgio Reis, seus amigos e sua picanha. Lôco, né?
06:19:00 - Zeno - 9 comentários

29 Agosto

A pausa que refresca

Finlandês vence torneio de arremesso de celular.

(da série: Como é que eu não tive essa idéia antes?)
11:49:00 - Zeno - 2 comentários

28 Agosto

Os Deuses Gregos da FAAP

Berlim

São Paulo


Primeiro, o axiomazinho de segunda-feira à noite: não se visita museu na própria cidade em que se mora. Desdobrando-o, a gente percebe que o problema se deve ao fato de o museu estar ali, à mão, bastam três estações de metrô ou 20 minutos de carro, e assim vamos perdendo as exposições por conta do "semana-que-vem-eu-vou" ou do "até-quando-vai-a-exibição?", ou mesmo do pilantrão "hoje-tá-chovendo". Tudo somado, podemos chegar com otimismo a 10 visitas ao museu principal da nossa cidade, umas 5 ou 6 ao segundo mais importante, e assim vai – e foram necessárias três décadas de existência pós-infantil pra chegar nestes números. Em conexão com nosso pitaco local, temos o argumento de alcance internacional: visita-se museu pra cacete quando se viaja, não só por causa do raciocínio clássico "não-sei-quando-volto-aqui", mas com os requintes de alguma perversidade universal que faz o sujeito, quando em viagem, entrar até em Museu da Cidade de X, reconhecidamente a modorra museológica por excelência, qualquer que seja o X, algures ou alhures (duas cidades famosas pelos respectivos museus), pra não mencionar as tristes viagens, tristíssimas, em que constatamos ter passado mais tempo dentro dos museus que na rua, do lado de fora.

O narigão de cera acima é só pra poder dizer: o Pergamon Museum, em Berlim, é o museu que mais visitei na vida. Por vontade própria, pra levar amigos, pra impressionar garotas, porque não tinha coisa melhor pra fazer, porque tinha um bar ali perto que era sensacional, enfim, feitas as contas eu perdi as mesmas e nem sei quantas vezes estive lá. Houvesse alguma justiça neste mundão iníquo, o Pergamon entraria fácil pro Ranking Inexistente de Melhores Pilhagens Da Humanidade, junto do British Museum, do Louvre de Paris e de mais algum museu americano recém-chegado. Dá gosto ver a industriosidade dos arqueólogos alemães do XIX metendo a mão nas cumbucas alheias e históricas, trazendo tudo etiquetadinho e numeradinho através de "arranjos com as autoridades locais", eufemismo pra grana ou afano puro e simples. As cumbucas do Pergamon, aliás, são dignas de serem vistas, bem como a estatuaria vinda de tudo quanto é lado dos tais berços de civilização (gregas e cópias romanas, mas também muita coisa assíria e persa; uma das três grandes alas do museu é pra Arte Islâmica, por exemplo). Mas ninguém vai ao Pergamon só pra ver as cumbucas ou as estátuas. Vai-se ao Pergamon pra ver as três grandes atrações do museu: o Altar de Pergamon, o Portal do Mercado de Mileto e o Portal de Ishtar (Babilônia), três gigantescas construções trazidas pedra a pedra, inteirinhas, pra Berlim, e tô pra ver algum coração cínico ou entediado que não se emocione diante destas maravilhas de dez, vinte metros de altura, oferecendo cursos instantâneos de beleza, harmonia e proporção só pelo simples estar-diante-delas. Proporção. Eis a palavrinha pra chegar à exposição da FAAP, que ainda não vi mas que só posso recomendar com o devido grão de sal. Leio nos jornais que algumas peças – estátuas e vasos – foram trazidas, e partes da frisa que compõe o Altar de Pergamon também. Pra receber os pedaços da frisa, foi construída uma versão modificada e em escala menor do Altar, a fim de mostrar mais ou menos como é que era a coisa. Como no conhecido critério epistemológico criado pelo Chico Anysio, é um troço tipicamente "vampiRo brasileiro" – tudo fora de escala, fora de proporção, ajambrado e marretado pra engabelar nossos pobres jornalistas repetidores de press release e as velhinhas reacionárias de cabelo azul de Higienópolis (as fotinhos acima expõem as diferenças). Tem de ir? É claro que tem, diz meu anjinho iluminista sentado no ombro esquerdo. É pra falar mal? Opa se é, já que a exposição atira no próprio pé em sua missão precípua (perdão) de educação dos olhos, que podem sair de lá achando que os gregos, ah, os gregos, nem eram tão bons assim nesse negócio de justa medida, né? É certo que os gregos sobreviverão e não ficarão chateados com tais juízos, mas isso não melhora o fato de que a FAAP meteu a mão em cumbuca não-grega, pública e brasuca, pra financiar a exposição e a vinda das peças. E sempre pode piorar: um almoço ali por perto, no restaurante que o Pinto jura que é o melhor de SP e que só em algum delírio não-helênico a gente cogita concordar.
20:21:00 - Zeno - 21 comentários

Você tem fome de quê?

— Vamos comer?

— Alguma coisa ou alguém?
15:00:00 - Pinto - Comentar

Sempre o mesmo assunto

Por falar em citações, poeminha pra segunda-feira:

O amor, a poesia, as viagens

Atirei um céu aberto
Na janela do meu bem:
Caí na Lapa — um deserto...
— Pará, capital Belém!...

Manuel Bandeira
07:54:45 - Zeno - 5 comentários

27 Agosto

Citações

Do sempre batuta Sérgio Rodrigues, falando da gente, ou quase.
16:07:46 - Pinto - 1 comentário

Belém, terra de contrastes

McDia Tristonho
15:52:17 - Pinto - 2 comentários

24 Agosto

O jacu, um injustiçado

Meu louro, o urubu

Amigos, isso aí é um mutum em big close.

Quem achava que a expressão "cagada de jacu" era o epítome da metáfora para uma lambança precisa ver do que o mutum é capaz.

Depois vejo se posto umas fotos de peixe-boi e do maior jacaré do mundo, que mora aqui vizinho, no Museu Goeldi, e não tem sequer um nome pra chamar de seu. Sugestões nos comentários, por favor.
15:42:26 - Pinto - 5 comentários

Programa do Raul Gil



1970. Primeira aparição do rapaz na TV, primeira aparição do YouTube por aqui. É justo.
01:32:37 - Sorel - 12 comentários

23 Agosto

Travel & Leisure with Hippo Zeno

Quando os Adams saíram de férias

Onde andam a Architectural Digest, a Wallpaper e a Caras que não dedicam uma linhazinha sequer ao hotel onde me escond..., digo, hospedaram aqui em Belém?

A foto aí acima não deixa dúvidas. Mas, se deixar, repare de novo: o tom amarelo-ovo da parede não combina com a textura do verde-bandeira? E o azul (roxo? lilás? grená?) dos vitrais, não é o complemento perfeito das colunas revestidas com papel de parede? O esmero nos detalhes fica por conta dos biscuits e pelas flores de plástico dos arranjos. Os quadros vão do naïf ao retratismo holandês em menos de dez segundos.

O ecletismo arquitetônico segue no consultório psicológico anexo, cuja sala de espera é também o hall do hotel. Seriam os consulentes também hóspedes? Et pour cause?

Bom, por ora é isso. Um dia ainda volto falando do serviço, que, digamos assim, complementa a ambiance. Os ovos mechidos e o mingal de tapioca do café já enfrentei e estou aqui para contar a história. O peixe crocrante ainda não tive oportunidade, mas quem sabe um dia...
20:53:04 - Pinto - 10 comentários

A havaiana do Cohen

Por falar no Cohen, vocês já ouviram sua pupila Anjani? Ela toca e canta em alguns álbuns e gigs do caso do Pinto desde 1984. Havaiana (num é sandália não, ô Zeno), estudou na Berklee, tocou em New York, até trombar com o mais velho. Um dia, fuçando nas coisas dele, achou dois versinhos: "there's perfume burning in the air/bits of beauty everywhere". Pediu pra musicar, ficou tão bom que o Cohen liberou a bagaça toda. Virou disco em maio desse ano, Blue Alert, de onde vou tirar três faixas: a do título (5,4MB), The Mist (3MB) e Crazy to Love You (4,6MB).

Mais sobre a moça, aqui.

Sou alto, loiro, tenho olhos azuis e gosto de RPG

Não é todo mundo que tem à disposição um Personal Nerd Advanced Consulteitor pra indicar os caminhos e as mumunhas tecnológicas que irão chacoalhar o restante da humanidade não-antenada daqui a três ou quatro anos. Nós temos, mesmo porque se trata do fundador do bloguezinho aqui, o indômito e pouco assíduo Sorel, nossa pitonisa no Oráculo de Googles que é a internet. Senhores, bem-vindos ao futuro: Second Life.
07:56:09 - Zeno - 11 comentários

22 Agosto

As aves que aqui gorgeiam gorjeiam

Profundamente condoído com estado do Pinto – atualmente cumprindo temporada de exílio no extremo Norte do País – providenciei três do Leonardo Cohen para mitigar a dor do coleguinha de redação: Heart With No Companion (2,9MB), Hunter’s Lullaby (2,3MB) e Dance Me To The End of The World (4,4MB), todas do disco Various Position, de 1984.

21 Agosto

First We Take Manhattan, Then We Take Berlin

I'm Your Man

Leonard Cohen, remexendo o mofo da seção Iluminuros. Como diria o vate Beirando Nirlão, é nossa idéia de elegância.
14:00:00 - Pinto - 6 comentários

Viagra com desconto II - Dilatando horizontes

Estarás à direita e à esquerda de deus pai todo poderoso

Hay que brindar la revolucion química pero sin olvidar la santa catuaba.

(crdt do slogan: xicoedu)
11:24:38 - Zeno - 2 comentários

Walt Disney, um comunista

E pra encerrar a rodada, cortesia da assídua captcha, mais uma do You Tube: o Manifesto Comunista do Karl (dos Irmãos, ainda nosso predileto) ilustrado em desenho animado (e bota animado nisso).
09:10:34 - Zeno - 1 comentário

Jiffy Express de volta

Outra cortesia de um visitante: publicamos em março de 2004 a transcrição de um sketch do Saturday Night Live chamado Jiffy Express (clique aqui para ler). Graças à dica do Rafael, que não conhecemos nem é parente, agora dá pra ver o vídeo no You Tube. Melhor clicar logo, que outros quadros do SNL já foram retirados antes por problema de direitos de transmissão.
09:02:16 - Zeno - 1 comentário

Nota social

Recebemos no fim de semana comentário de um visitante que divulga um fotolog de Cabaceiras, Paraíba, já cantada mais de uma vez em verso, prosa e pixel aqui em nosso botequim. Há, na cidade, um telecentro muito bacana com dez máquinas ligadas em rede e com velocidade de conexão de 128 kbps, iniciativa, se a memória não falha, do Sebrae. Quando estivemos por lá, e os cínicos de plantão já podem reclamar da pieguice iluminista, era comovente ver o público navegando e pesquisando na internet, aprendendo a mexer com os programas e os sites de hospedagem, mantendo páginas pessoais, etc. Não sabemos se nosso visitante bloga do telecentro, mas de qualquer maneira fica o convite para que outras pessoas que mantenham páginas pessoais por lá divulguem os endereços para a nossa nanoaudiência sulista. Se o Serra não ficar chateado, claro.
08:19:59 - Zeno - 2 comentários

20 Agosto

PCConha

Eu me lembro que todo assaltante era maconheiro e vice-versa. Eles sopravam aquela fumacinha pela fechadura da porta, a gente adormecia e eles faziam a limpa na casa inteira. Ô tempo bom!
10:26:33 - Pinto - 5 comentários

17 Agosto

Super-homem

(mesa de bar)
— A minha porção mulher é peteca!
(risos)
— Essa é velha! A minha se chama Pamela, e tem até biografia!
(risos)
— Biografia, não. Prontuário!
(risos)
— E você, não tem porção mulher, não?
— Tenho, mas ela só dá expediente de sexta a domingo.
09:03:55 - Zeno - 10 comentários

Vermelho e branco

Rogério Ceni é um jogador que desperta instintos primevos, com defensores e detratores que mudam de lado conforme o jogo e a paixão. É uma injustiça. Ele deveria ter apenas detratores. Como o jogo de ontem no me ne frega um cazzo, pra usar a mimosa expressão italiana, fica registrada nossa homenagem ao Internacional por conta do título, claro, mas muito mais pelo Luís Fernando Veríssimo, ilustre torcedor colorado. Se ele torcesse pro Corinthians, eu era até capaz de começar a gritar "Timão, ê ô" por aí. Não, não era, mas o que seria do futebol sem a hipérbole?
08:10:22 - Zeno - 4 comentários

16 Agosto

Escrotidão

Meninos eu ouvi, na propaganda eleitoral daqui de Nova Déli, que é como os detratores se referem a Belém:

"Fulana de Tal é mãe de quatro filhas. Apenas duas são biológicas. As outras duas são universitárias".

Perguntas:

1. É involuntário?
2. É ato falho, humor ou crueldade?
3. "Apenas" seria para se referir à idade das filhas, supostamente mais novas?
4. É coisa de marketeiro ou de lavra da própria candidata?
5. Quando a mãe tem alguma dúvida, pergunta para as universitárias?
6. Cursariam elas, as universitárias, biologia?

Mais suposições nos comentários, por favor.
22:10:10 - Pinto - 6 comentários

Da série "Eu queria mesmo era governar este país"

Problema na educação em São Paulo se deve à migração, diz Serra

O candidato tucano ao governo de São Paulo, o ex-prefeito da capital José Serra, participou de entrevista ao vivo nesta quarta-feira ao programa SPTV, da TV Globo de São Paulo. Na entrevista, Serra creditou os maus resultados da educação no Estado aos "migrantes" e se esquivou da pergunta sobre sua permanência no governo de São Paulo até o fim do mandato caso seja eleito em outubro.

Questionado sobre o mau desempenho do Estado de São Paulo em avaliações nacionais de educação, o tucano creditou os maus resultados aos migrantes que vêm para o Estado. "Diferentemente dos Estados do Sul [que foram os primeiros colocados na avaliação], São Paulo tem muita migração. Muita gente que continua chegando... Este é um problema", afirmou. São Paulo tem uma grande população de migrantes nordestinos, especialmente na capital
.

(crdt : uol. mais, aqui)
14:48:13 - Pinto - 6 comentários

13 Agosto

Um post meta-qualquer-coisa

É difícil fazer piada com o assunto. Na verdade, é até fácil: bastava reproduzir o texto do PCC com um aviso ao final, dizendo que nosso blog foi obrigado a veicular a mensagem por conta do seqüestro de um dos redatores, levado para Belém, Pará, Massachusetts. O problema é que se trata de um novo patamar de discussão, patamar pro qual ainda não dispomos de conceitos apropriados. Em outros termos, tem algo aí nessa história do jornalista da Globo que merece uns tratos à bola, merece um certo vagar conceitual (perdão) que ainda não está disponível (não, Jabor não!!), até pela premência, mas que fica como provocação para a nossa nanoaudiência. Ontem à noite, por questão de minutos, não vimos o pronunciamento do tal DVD do PCC, já que estávamos zapando na mesma hora, pulando de uma insignificância à outra, mas a sensação de hoje de manhã, ao ler o jornal, foi a de insuficiência epistemológica, pra dizer o mínimo. E se os caras seqüestrarem o Chico Pinheiro, ou um dos trigêmeos do Bonner, dá pra reivindicar exibição de vídeo no Jornal Nacional, horário nobre, visto por trocentos milhões de espectadores? Depois de dobrarem os joelhos do Estado, no que diz respeito à manutenção mínima da garantias de ir e vir, agora o PCC dobrou uma das 5 ou 6 maiores redes privadas de televisão do mundo, e ainda por cima com direito ao ato falho freudiano e frankfurtiano da década (do século?), confundindo iluminismo e ilusionismo. Meus caros e minhas caras colegas de trabalho, é preciso reforçar não os muros e as cercas elétricas, mas um bom punhado de neurônios pra entender que a conversa mudou de parâmetro. Uma vela pra santo também ajuda.
22:29:31 - Zeno - 9 comentários

11 Agosto

Estive em Belém e me lembrei de ti

Siamo tutti bene

O cartão postal, dedicado à distinta nanoaudiência, retrata um barzinho aqui do lado cujo slogan é "Ambiente de gente inteligente". Resume mais ou menos tudo por aqui.

(crdt foto : ele, o pinto)
14:22:54 - Pinto - 1 comentário

Cuidados com a língua (uma série)

— Onde é o acento de "Tucuruí"?

— No c*, pardal!
10:10:03 - Pinto - Comentar

10 Agosto

Viagra com desconto

Como o assunto "blog" (aspas digitais, por favor, segundo Mestre Almirante) anda na "crista da onda" (idem), e como fomos acusados repetidas vezes de "tiozinhos" (idem idem) nos últimos tempos, gostaríamos de requentar marmita e republicar um texto de janeiro de 2004:

Os blogs e a Terceira Idade

Deu no New York Times, edição catatau domingueira de 11 de janeiro de 2004: num artigo – mais um – sobre a onda de blogs que empesteia a Web e a influência deles em novas formas de comportamento adolescente, a autora, Emily Nussbaum, cita projeções da Perseus Development Corporation que apontam para um total aproximado de 10 milhões de blogs mundo afora até o final de 2004, ou 129 Maracanãs lotados, segundo a conhecida unidade de medida brasileira para estatísticas desta magnitude. Do conjunto de blogueiros em atividade hoje, noventa por cento têm idade entre 13 e 29 anos; mais especificamente, 51% têm entre 13 e 19 anos. Em nome dos dez por cento restantes, achamos por bem tomar este momento histórico em nossas mãos e bradar nossas reivindicações: pelos descontos reais e progressivos em farmácias e drogarias! Pela meia-entrada para idosos em todos os eventos culturais, incluindo as aulas de hidroginástica, o show do Iron Maiden e o do Snoop Doggy Dogg! Pela livre circulação da terceira idade não apenas em ônibus e vans, mas também em táxis, vespas e na balsa Guarujá-Bertioga! Velhusco unido jamais será vencido – se o lumbago permitir. Ou ainda: entre nós e a revolução, só a artrite é um real impedimento.
13:47:40 - Zeno - 6 comentários

Ronald McDonald mora em Oslo, Pará

Da conhecida série Estatísticas Sem As Quais Não Viveríamos: segundo o banco suíço UBS, as cidades mais caras do mundo são Oslo, Londres, Copenhage, Zurique, Tokyo e Genebra, com cálculos feitos a partir do custo de uma cesta com 122 produtos (e que reflete preferências européias de consumo, não servindo como metro mais adequado para Ásia e América Latina). Se contabilizados custos de aluguel, aí Londres e Nova York lideram a lista. Das 12 cidades com maior poder de compra da população, sete são européias - Zurique, Genebra, Dublin, Luxemburgo, Berlim, Munique e Frankfurt -, três são americanas - NY, Los Angeles e Chicago - e duas da Oceania, Sidney e Auckland (neste critério, Tokyo só aparece na 24ª. colocação). Finalmente, segundo o divertido Índice Big Mac, são necessários 13 minutos de trabalho prum morador de NY comprar um sanduíche, 15 prum de Zurique, 17 prum berlinense, 25 prum moscovita e 38 prum infeliz morador de Shangai. Este só não é mais infeliz que um colombiano, último da lista, que precisa suar a camisa por 97 minutos (a média global é 35) pra se refestelar com os dois hamburgers, alface, queijo, molho especial etc.

(crdt faz)
13:29:52 - Zeno - 2 comentários

09 Agosto

Moacir Santos (1926 – 2006)

Dia 26 de julho, o cabra completou 80 anos, mas da sua vida os necrológios já deram conta (tem um bom aqui).

A morte do Moacir Santos, domingo, em Los Angeles, me pegou de gancho. Era um dos músicos brasileiros que eu mais admirava, um cara assim do tamanho do Jobim. Seu disco “Coisas”, de 1965, é uma obra-prima sob qualquer aspecto – arranjos, composições, execução. Se fundarem uma Igreja dos Moacir Santos Últimos Dias, eu serei o primeiro a carregar o andor.

Gravou pouco – cinco discos, dos quais apenas o “Coisas” foi relançado em CD aqui no Brasil, graças ao trabalho de dois músicos, Mario Adnet e Zé Nogueira, ambos fissurados na obra do maestro. Foi deles a iniciativa de gravar um CD duplo e um DVD (“Ouro Negro”, imperdível, peça pro seu filho ou dê pro seu pai) com uma orquestra de craques tocando músicas do velho.

Dos outros quatro – lançados apenas nos EUA e em vinil – separei duas faixas de cada pra vocês apreciarem a beleza que era o Moacir.

De “The Maestro” (Blue Note-1972): Nanã (5,2MB) e Bluishmen (4,6MB).
De “Saudade” (Blue Note-1974): Suk Cha (3,8MB) e Amphibious (3,2MB).
De “Carnival of the Spirits” (Blue Note-1975): Kamba (4,1MB) e Coisa n2 (4,3MB).
De “Opus e No1” (Discovery-1978): Make Mine Blue (3,7MB) e Love Is a Happening Thing (3MB).

Eu me lembro do nascedouro da marketagem

Eu me lembro que, na campanha à presidência de 1989 do finado Covas, um marketeiro esperto do PSDB saiu-se com o seguinte slogan: "Covas 45. Deram a 45 pro homem certo".

Isso saiu do ar tão rápido quanto entrou, evidente que foi a impropriedade.

Eu só me lembrei disso agora porque, como tudo parece que sempre tende a piorar, alguém bem que poderia sugerir aos tucanos paulistas um slogan avisando que a 45 agora parece estar de posse do homem errado.

Né, Marcola?
14:17:48 - Pinto - Comentar

Theresa Russell, uma legítima paraense

viúva negra

A moça, já nem tão moça assim (nasceu em 1957), alegrou a vida de muita gente nos anos oitenta, em filmes sempre abaixo de suas virtudes (um pouco o que acontece com a filmografia da Isabella Rossellini). Seu único defeito é ser casada com Nicolas Roeg, diretor de quinta categoria que se disfarça de cult e bota a própria mulher peladona em seus filmes. Mas esta é sua (dele) maior qualidade. Parece que ela vai aparecer no Homem-Aranha 3, como esposa de um dos vilões. Em dupla homenagem a meu passado (como leitor de gibi e apaixonado por ela) já reservei ingresso.
06:23:00 - Zeno - 3 comentários

08 Agosto

Trypanossoma? Cruzes!

Meus caros e meus ácaros,

Acho que escapei do açaí com Chagas, mas não sei se escapo do calor. Hoje oficialmente começou a temporada de chuva de mangas, que é mais ou menos tudo o quanto tem caído do céu por aqui.

Amanheci hoje, às seis da manhã, ao som do toc-toc e da algazarra de umas quinze ou vinte moças que vieram para um concurso de beleza, que de todos os lugares do mundo haveria de ser realizado aqui neste hotel, estilo A Família Adams em Everglades. Havia umas três ou quatro moças até bonitas. O toc-toc eram os saltos dos tamancos. A algazarra pensei que era a tal revoada dos papagaios.

Estou aos poucos me acostumando com o falar local. Conjugam tudo direitinho e a gente se sente até meio humilhado ao ouvir um "Entendeste?" assim inadvertido. Porém, ao contrário do Rio, onde o caso reto predomina, em Belém sempre se usa o pronome "te" no lugar do "tu", num caso flagrante de hipercorreção, se não me falha a memória da empulhação lingüística: é "Vou pedir pra te fazer", "Pra te ter uma idéia" e por aí vai.

Toma essa pra tu, Zeno.

Aí outro dia pedi uma sugestão do almoço e meu anfitrião me disse: "Um peixe bom pra te comer é a pescada amarela". Bom, ele podia ter dito pirarucu, pacu ou outro desses que rimam feio. Humilhação, sim, seria isso.

Vou parando por aqui que a canseira é muita e o trabalho maior ainda. Volto a qualquer momento em edição extraordinária com mais um boletim da terra onde nasceu Jesus.

Vosso,

Pinto.
22:28:45 - Pinto - 7 comentários

Mais piada pronta

vou barulhar

E foi escolhido o nome para o mascote dos Jogos Panamericanos. Cauê, que, segundo a descrição, "é nome próprio derivado da saudação tupi Auê, quer dizer 'Salve'". É o Preza Presidente, na cabeça, novamente. Te cuida, Heloísa Helena.

(adição: pra ver o mascote em plena atividade Salve, cortesia dos Malvados do Dahmer, clique aqui )
10:15:09 - Zeno - 5 comentários

07 Agosto

Salve-nos das esposas, Preza!

Mais uma missão para o Capitão Presença: Mulher denuncia marido que levou pés de maconha para casa.

(quem é o Capitão? Ora, nosso futuro presidente da república; para doações, clique aqui)
16:18:48 - Zeno - 3 comentários

Um blog que bomba

"Meu negócio são notícias quentes", como já dizia o Marcello Mastroianni numa cena da Dolce Vita do Fellini. Mais quente que isto, impossível: Lourival Sant'Anna, repórter especial do Estadão, blogando direto de Beirute.
11:43:27 - Zeno - 1 comentário

06 Agosto

Sem perder a majestade

Amiga irmã dona de casa, para embelezar seu domingo é que dedico estas belas páginas musicais desde Belém do Pará:

Todos estão surdos

Quero ver você de perto

Mucuripe

Pra ser só minha mulher

Lady Laura

e, último e não menos importante,

Amor perfeito.

Só crássicos!

Obtidas de uma série de quatro cedezinhos com tudo que o Rei Roberto gravou, desde as bossas de 59, quando ainda cantava imitando o outro Rei, o João. Fico devendo estas porque estou centrado na fase brega, culpa dos eflúvios da ambiance.

(crdt : férdinand costes)
12:33:46 - Pinto - 3 comentários

04 Agosto

Superman - O retorno

É uma broca? É um tatu?

(legenda: Mesmo os heróis têm dias ruins)

(escultura: Marcus Wittmers)

(crdt: martino m.)
10:26:11 - Zeno - 3 comentários

03 Agosto

Eu me lembro

Eu me lembro do caranguejo paguru e da actínia, mas nunca vi nem um nem outro e não me lembro bem como chamava aquele teretetê deles.
10:30:00 - Pinto - 1 comentário

Olhar, escutar, ler

— Aí ele pegou, virou e falou:

— (interrompendo) Nessa ordem?
09:41:11 - Zeno - 2 comentários

A primeira vez da Garota

Começa com o Tom dedilhando uns acordes e o João murmurando:

“Tom e se você fizesse agora uma canção
Que possa nos dizer
Contar o que é o amor?"


O Tom topa com ressalvas:

"Olha, Joãozinho
Eu não saberia
Sem Vinícius pra fazer a poesia..."


O poeta devolve a bola pro João:

"Para essa canção
Se realizar
Quem dera o João para cantar...''


Que resolve a pendenga assim

"Ah, mas quem sou eu?
Eu sou mais vocês
Melhor se nós cantássemos os três..."


E os três mandavam ver:

"Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça..."
[Leia mais!]

02 Agosto

Mais esquisitices geniais

Ao contrário da tia do post abaixo, eu não estapeio a pantera, que quando faço me dá ganas de matar e roubar, mas tenho impressão de que se estapeasse mesmo comporia coisas assim:

Running to the station holding hands
Now the volcano is flowing red
Something there will change us into sand

Now we'll be forever holding hands
Lava and tephra will form our bed
Now the royal flames of Pompeii bless
All our senses...


E, delírio final, ainda poria um título como Pompeii Am Götterdämmerung (7Mb, macacada), condizente com uma banda que se chamasse Flaming Lips.

E me pegaria ouvindo, uma vez atrás da outra, emocionado como há muito tempo não ficava...
12:32:45 - Pinto - 1 comentário

Qual era o assunto deste post, mesmo?

Não me lembro, mas acho que ela sabe.

(crdt sumida giu)
10:05:37 - Zeno - 3 comentários

O Canadá, hein, quem diria?

Já se sabe há muito que a Internet é reduto inesgotável de maluquices de todo tipo, incluindo a mais nova onda do momento, os tais blogs, como bem destacou a revista Época desta semana. Mas maluquice mesmo é o trabalho insano feitos por estes canadenses aqui: DVDBeaver. Eles rastreiam tudo quanto é lançamento em DVD no mundo inteiro, incluindo o mercado asiático, e têm uma newsletter mais insana ainda que tenta dar conta dos filmes todos. Mas o melhor mesmo, troço realmente admirável, é a seção do site chamada DVD Comparisons, onde eles analisam diferentes versões do mesmo filme lançadas em mercados como o francês, o americano e o inglês. A comparação tem coisas técnicas, como tabelinhas de bitrates e quejandos, mas também traz lado a lado imagens capturadas das versões e minúcias de mutilação de enquadramento, adulterações de brilho e contraste, etc, além de um exaustivo levantamento de extras e bônus. Vale o clique nem que seja pra ver como era a aparência da Internet em 1995, já que o site tem um layout confusamente hilário.
09:39:55 - Zeno - 3 comentários

01 Agosto

Açaí, guardiã, zum de besouro, um ímã

Estimado Zeno, dileto Sorel, querido Mandaca,
Meus caros e meus ácaros,

Dá pena tirar a foto dessa moça do topo do blogue, mas a vida tem que continuar. Passo aqui muito breve apenas para dizer que tenho violado constantemente a regra do duplo amido nas refeições. Não posso fazer nada se as farinhas do local são tão indescritíveis e ubíquas.

A propósito, logo mais testo uma tapioca que comprei para pôr no açaí fresquinho que vende aqui do lado. Não darei notícia se: 1) tiver morrido de azia ou 2) o fruto for proveniente da região de Santarém, onde há um surto de Chagas transmitido justamente dessa forma.

Por conta desses e de outros excessos —limitei minha ingestão de proteínas ao filhote, o delicioso peixe que nem parece de água doce— é que preciso controlar o apetite, do contrário retornarei a SP mais gordo que o torresminho da feijoada de sábado, do qual, aliás, me recordo até agora.

Ainda não consegui comprar os CDs do Pinduca, ainda aguardo as artes do nosso DJ. Porém está prometida para amanhã uma visita à casa do ídolo, com direito a autógrafo e foto. Prometo publicá-la. [Leia mais!]
16:30:00 - Pinto - 2 comentários

Algumas manchinhas dão charme*

amiga da amiga, cês não conhecem não

Com vocês, Milena Cestari. Quem? Parece que ela é amiga da Joelma, de Belém. Enfim, uma pessoa altamente recomendada. Mais dela aqui e no Google, né mané?

*copyright daquele desodorante esquisito pra sovaco feminino.
08:15:00 - Zeno - 11 comentários

Ainda o mesmo assunto

— Bacana essa tua estante. É italiana?

— É. Da Ordinare.

(o assunto? aqui e aqui)

(crdt nena)
07:03:00 - Zeno - Comentar

.:: mês anterior :: :: :: :: August 2006 :: :: :: :: próximo mês ::.