:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Todos

Todos os posts do mês. Para selecionar uma seção, clique no menu ao lado.


.:: mês anterior :: :: :: :: June 2006 :: :: :: :: próximo mês ::.

30 Junho

Isso sim é geografia

— Você acha mesmo que tem um complô pra favorecer a Europa nessa Copa?

— Claro que não. Taí a Argentina, que é européia desde criancinha, e rodou bonito.
20:12:02 - Pinto - 1 comentário

Isso sim é jornal

E jornal bom é assim: o Bild, imbatível no quesito "tablóide-espreme-sai-sangue", dá em sua edição on-line, pós vitória contra los hermanos, a manchete "Siiiimm! Estamos na semifinal!!". Além disso, tem cinco outras chamadas sensacionais: uma tal Anita, modelo/atriz/gostosa, segurando uma toalha e a manchete "Anita, jogue a toalha!"; Pamela Anderson, "perto de fazer 39 anos", flagrada fazendo sexo numa discoteca em Londres; quebra-pau, com ataque de garrafas e tudo, numa festa em Berlim, envolvendo a banda Black Eyed Peas, favoritos aqui do blog; uma pesquisa profissa prum ranking das mais belas praias alemãs (não vale rir); e, por último, uma prostituta berlinense que declara, nestes dias de Copa, receber mais de 300 fãs de futebol diariamente em seu prostíbulo, sendo que ela, pessoalmente, atende entre 10 e 12, num público "internacional como nunca". Seguem as análises da moça: "Tive um brasileiro aqui, ele parecia que não ia acabar nunca. Nada mal foi o holandês: ele gostava de brincar com a língua. O italiano foi esquisito: só se interessou pelos meus peitos. O croata só precisou de dois minutos. O turco gostava da posição de frango assado. O francês foi um verdadeiro gentleman, doce e amoroso - mas não conseguiu uma ereção. O americano ficou falando sozinho o tempo todo. O polonês queria que a coisa fosse mais bruta. E o mexicano conseguia ficar horas transando, mas não gostava de preliminares". E o repórter pergunta: E os alemães? E ela, doce: "São meus preferidos. São meus campeões mundiais de sexo oral".
19:04:35 - Zeno - 2 comentários

Da série: e daí que a Alemanha ganhou?

Começou o jogo e eu não sabia pra quem torcer. É difícil se solidarizar com nosso grande rival portenho, o time da Alemanha é aquela sem-gracice de praxe, enfim, tanto se me fazia. Jogo chato, "tático", no jargão (que é também quando as equipes "se estudam", ai, ai), los hermanos fizeram um a zero e eu continuei indiferente. Mas quando a krukada achou aquele gol ao final, chacoalhando o glorioso Estádio Olímpico, dei pulos na sala e acabei descobrindo que tava torcendo pros alemóns. Veio a prorrogação, o jogo e os jogadores se arrastaram até o fim, vieram os pênaltis e eu vibrei a cada defesa do caloroso Lehmann. No fim, entendi: eu queria mesmo era que os setenta mil crucrutões presentes ao estádio se emocionassem, vivessem a tal "catarse" (atenção, editor, pode cortar se quiser), pudessem contar aos netos e bisnetos que estiveram lá, no Estádio Olímpico ex-nazistão-agora-Jesse-Owens, e viram a seleção deles fazer o milagre de derrotar os calientes argentinos. No jargão, agora filosófico, um cruzamento raro e benjaminiano de Erfahrung, a experiência coletiva normalmente vedada em tempos reificados (perdão), e Erlebnis, a experiência particular, desprovida de sentido ou importância, que é a nossa refeição diária em épocas bicudas e inexpressivas como a de hoje.

Mas o futebol pode nos redimir. Amanhã, quando tocar o hino brasuca antes do jogo, meus olhos vão se umedecer. Se o time, depois, se encarregar de secá-los, o problema é dele, não meu.
15:52:27 - Zeno - 5 comentários

27 Junho

Fala a anta, c.q.d.

"A história não fala de jogo bonito, a história fala dos campeões. Por que o Brasil tem que jogar bonito e os outros não? Se a gente puder, a gente joga. Apreciamos o jogo bonito. Agora, queremos muito mais ser campeões do mundo do que jogar bonito. A História não fala de jogo bonito, fala de campeões mundiais e nós temos cinco."
— Carlos Alberto Parreira. Completo, aqui.

Por isso é que a campanha da Nike, que aliás o patrocina, chama-se justamente Joga Campeão.
18:59:56 - Pinto - 15 comentários

Anotações de uma pessoa meiga

- Parreira é o triunfo do futebol em três vias autenticadas, com firma reconhecida.

- Merece todo nosso reconhecimento um sujeito que obtém o mérito de botar peia no Ronaldinho. Depois da Copa podia virar técnico de rodeio.

- Murrinhas como são, ele e Zagallo continuam guardando todo o ouro do Brasil no banco.

- Kaká jogou um cocô.

- Ronaldo devia rescindir o contrato com a Nike a assinar com a Jacuzzi. Aquela banheira, tamanho GG, em que ele joga deve ter hidro.

- Roberto Carlos já pode comparecer ao natural a qualquer baile de carnaval de Veneza.

- Babão Bueno como sempre narrou um jogo diferente do que foi transmitido pela TV, mas é sempre bom reparar nos recursos, fundamentados em números até, que encontra para justificar toda e qualquer bobagem que diz. Um craque.

- Por seu turno, ou pára de ser sincero ou Casagrande corre o risco de ser escalado para o banco de reservas da Globo já na próxima partida.

- Já que não sabe usar os pés, exceto quando defende no susto, Dida deveria tentar carreira no handebol ou no basquete.

- De Lúcio já se disse aí embaixo.

- Cafu, já bateu teu recorde, filho, pede para c* e sai.

- Ainda bem que o adversário era muito fraco, mas vai ser triste pegar Inglaterra ou Portugal e o brutebol de Felipão nas quartas.

Como disse, ignore tudo isso aqui que são anotações de um meigo que entende muito pouco do assunto.
14:04:37 - Pinto - Comentar

Intermezzo

Infeliz de uma seleção cujo melhor jogador é o Lúcio.
12:55:26 - Pinto - 4 comentários

Suiça e Ucrânia sem CPMF

ah, que saudade do Menem

(crdt: sempre ele, Daniel Paz, no Página 12 argentino)
11:25:50 - Zeno - Comentar

"Jesus, Jesus, Jesus é um gatinho!"

Meninos, quase não acreditei quando vi na minha TV de ectoplasma (cheia de fantasmas) as cenas do que se chamou de "1ª Rave Católica do País", ou melhor, "ElectroCristo".

Foi dia 23, ali na represa de Guarapiranga, sob os auspícios —como diria o Amaury Jr.— da Renovação Carismática Católica, uma espécie de Opus Dei que ousa dizer o nome.

Mais estupefacto —de novo, o Amaury— fiquei ao ouvir o comentário de um dos organizadores: "Aqui é só diversão: não tem bebidas, não tem sexo, não tem drogas".

Pelo que a gente anda auscultando por aí —alô, Amaury!—, esse pessoal vai na contramão da história. Consta que a vida nos seminários é bem mais roquenrou.

Nota social: Padre Pinto foi a ausência mais sentida do evento; Shelita foi a presença mais notada.
11:19:06 - Pinto - 5 comentários

26 Junho

Quiz sobre a Copa

Perguntas que eu gostaria de mandar pra alguma das 73 mesas-redondas sobre a Copa:

— como é que ninguém fala do Rummenigge? Catzo, Copa na Alemanha, festividades e cerimônias oficiais a granel, o mala do Beckenbauer em todos os jogos, desrespeitando regras básicas da física, e ninguém se lembra de perguntar por onde anda o bendito Rummenigge? Fulanim entrevista até o funcionário da empresa telefônica que instalou os cabos de conexão de internet pra que o Ronaldinho Gaúcho jogasse o Fifa Soccer on line, pô!

— alguém sabe por que aquele meliante do Kily Gonzales, dublê de meia atacante e candidato a jogador mais mau caráter que já vi (só perde o título pra outro hermano, o cabrón sanguinário Simeone), não foi convocado pressa seleção argentina?

— e mais uma, pra finalizar: será que só eu estou interessado nisso?
22:51:22 - Zeno - 4 comentários

Para ajudar na escolha do seu candidato

O brasileiro não sabe nem pregar cartaz, como diria Pelé

Votamos com este aqui.
20:41:21 - Pinto - 1 comentário

Mais Copa

Brasileiros para estrangeiros

Está rolando pela internet um divertido email que
busca facilitar a pronúncia do nome dos nossos
jogadores para os gringos. Confira:


ESCALAÇÃO DA SELEÇÃO BRASILEIRA

1 - Did are
2 - Car full
3 - look see you
4 - who one
5 - when mear son
6 - who bear to car loss
7 - add dream an no
8 - car car
9 - Who now do ( Few now mem no )
10 - Who now dream you gay you show
11 - Zero bear to
12 - who jerry scene
13 - see seen you
14 - Crisis
15 - lowis on
16 - G you bear to
17 - June in you
18 - Mean arrow
19 - G you bear to silver
20 - Rich are dream you
21 - Fried
22 - July seissor
23 - Who bean You

Coach : Car loss all beer to pair here a

(afanado do blog do Torero no UOL)
17:40:48 - Zeno - 1 comentário

Promessa é dívida

Que tal nós dois numa banheira de espuma?

Taí: Christiane Torloni, capa da Playboy de décadas atrás, quando a brigada de makup artists e personal stylists da revista não deixava as peladonas a cara das próprias mães, às vezes avós.

Há quem a ache parecida com um traveco (ele), há quem quisesse ser uma carpa (eu).

(crdt da imagem : gafanhotada de um site que se chama "esperma". pode?)
17:11:26 - Pinto - 7 comentários

Equitação à beira-mar

Sensacional trecho da entrevista da não menos sensacional Christiane Torloni (ainda me lembro daquela Status de mil novecentos e bandeirinha, em que ela exibia suas qualidades a fundo...). À revista Caras, claro, que andava tão sumida por aqui, mas jamais dos nossos corações. O grifo é nosso:

– Como mantém a forma?
– Faço natação quando o tempo permite. E spinning duas vezes por semana. Há dois anos pratico yoga. Adoro ashtanga e a power yoga. E monto, atividade que pratico com mais frequência desde que estou com o Ignácio. Fazia windsurf, mas montar e velejar exigem ambientes diferentes.


Perguntas que a revista não traz respondidas:
— onde, o que, ou quem monta La Torloni?
— por que ela não experimenta levar Ignácio à praia?
— já ouviu falar de cavalo marinho?

Em tempo: a atriz vai completar cinqüentinha e é séria candidata a nossa próxima Iluminura, superando boa parte das que já foram publicadas.
11:00:00 - Pinto - 6 comentários

25 Junho

¿Va a ganar Argentina y vamos a festejar con cerveza brasileña? Es joda

E a disputa Brasil e Argentina prossegue com nossos amigos publicitários, mais uma vez cortesia do jornal argentino Página 12.

Trechos da entrevista com Alvaro Fernadez Mendy, diretor de criação da Lowe em Buenos Aires:

Quiero que lleguen a la final con la Argentina, para ganarle en el último minuto con un gol que le pegue al arquero en el hombro, y que se queden llorando tres días.

(...)

Salís a la calle y todos te dicen que quieren que pierda Brasil. Salí del Mundial y con Brasil está todo bien. A mí me encanta. Hay comerciales de cerveza brasileña jodiendo a la Argentina, al fútbol argentino: en una, se ve un partido entre Argentina y Brasil en que el arco se achica y se alarga para que no entren goles. En otra se dice: Animal como zaguero argentino.

(...)

Yo estoy hablando de mí, digo que quiero que pierda Brasil. Y no me parece justo festejar las desgracias de Brasil con una cerveza brasileña. Con otra sí, con cualquiera.
18:51:37 - Zeno - 2 comentários

Um animal do ludopédio

O técnico Marrentão, tendo ao fundo a campana gaúcha

Rendemos nossas homenagens ao técnico Felipão, que botou os gajos em campo para jogar o verdadeiro rúgbi, aplicando na péssima seleção da Holanda um ippon, digo, uma goleada de 1 X 0.

Portugal lembrou assim os velhos tempos do Grêmio, que sob seu comando nocauteava todos os seus adversários com lances nunca vistos fora de um ringue.
18:01:08 - Pinto - 16 comentários

Do que me ufano (ii)

Senadora Heloisa Helena, um Lula piorado, avisando que o bicho vai pegar

Não se deve descrer da mídia nacional, pois ela dá espaço equânime a todas as tendências políticas, sobretudo quando a ordem é tentar levar o Molusco para o segundo turno.
17:15:07 - Pinto - Comentar

23 Junho

Do que me ufano

Senador Artur Virgílio, reserva moral da nação, sempre em defesa do interesse público

Não se deve perder a crença no Brasil em função de seus maus políticos pois sempre se pode se fiar na qualidade de suas vestais.
21:00:31 - Pinto - 5 comentários

Jornalistas, futuros blogueiros

E por falar em imprensa, os jornais de hoje têm posts prontos a granel:

Moradores dos Jardins se reúnem para um mutirão chique
"Inspirados nos movimentos de mutirão das periferias e no trabalho de ONGs que lutam pela revitalização do centro, os moradores dos Jardins estão se articulando para evitar a degradação do bairro. (...) 'Na periferia, pedreiros, eletricistas e pintores se juntam para construir casas em mutirões. Aqui no bairro, vive uma multidão de talentos, com diferentes especialidades, que estaremos reunindo para encontrar soluções'. (...) 'Se não nos mexermos, o destino é o caos. O celular é uma boa ferramenta. Queremos que todos os que moram aqui fotografem os problemas do bairro e encaminhem para o movimento', afirmou uma das lideranças."

Matou a mãe por causa de mistura
"O professor Paulo Sérgio Baisi, 46, matou a facadas sua mãe, Bássima, de 80 anos, quando ela preparava seu almoço. (...) Ele não queria comer a comida que ela lhe preparava. Disse que não gostava e apanhou a faca, atacando-a pelas costas. Depois ateou fogo no corpo, chamou os bombeiros e foi dormir."

E, por último, do Página 12, da Argentina:
Una picadura japonesa despertó al Brasil
10:53:52 - Zeno - 12 comentários

22 Junho

Réquiem para uma imprensa defunta

Direita Leitura morreu, mas juro que não fui eu. Foi só o Mendoncinha fechar as burras a a revista logo foi para a UTI. Estou deveras triste. Costumava lê-la junto com a Caras Capital ®, que aliás passa muito mal, e tirar a média para ter noção do que poderia ser um noticiário equilibrado em português nativo. Triste porque a revista era bem escrita, os textos eram fundamentados, em que pesasse um certo vedetismo do editor. Triste porque num país em que nem o órgão oficioso da direitona consegue juntar um troquinho e deixar a lojinha aberta, alguma coisa está mesmo fora da ordem. E tristérrimo por saber que quem vai ocupar o espectro deixado é, na falta doutra, ella, cuja tiragem, como propalado, supera The Economist.

Que ao menos a Carta não sucumba, porque Raros Amigos eu não consigo nem me imaginar folheando.
10:37:17 - Pinto - 12 comentários

21 Junho

Essa estranha atração

Não bastassem os adeptos da Dieta do Dr. Atkins, agora são os fãs de Patrick Dimon que recorrem a este prestigioso blogue à procura de informações sobre seus ídolos.

A resposta é de sempre: agradecemos a preferência, mas não sabemos informar. Temos indícios para crer, aliás, que o cantor e o doutor sejam a mesma pessoa.
18:47:47 - Pinto - 13 comentários

Duas notas futebolísticas

Na cobertura da Copa da Fôia (onde mais?), Clóvis Rossi prova que é possível escrever (mal) sobre (mais) um assunto sem saber nada dele. E ainda ganhar a vida assim. Periga virar nosso ídolo, e olha que concorre com Daniel Pisa na categoria.

As crônicas de Pedro Bial na Grobo (onde mais?) dão uma saudade daquelas do Armando Nogueira. E, com Francisco Cuoco fora da novela, Bial assume a liderança isolada da canastrice na telinha. Quem o viu consolar o Zagallo chorando sabe que ele é capaz de qualquer superação.
13:08:28 - Pinto - 7 comentários

Etilíricas da Copa I

bar com telão

eu "-Definição?"

ela "-Polegadas?"
11:38:16 - Zeno - 8 comentários

Etilíricas da Copa II

bar pseudo-brasileiro

ela caipirrriña

eu miscigenation
11:37:52 - Zeno - 1 comentário

Etilíricas da Copa III

bar berlinense cool

eu martini

ela dry
11:37:22 - Zeno - Comentar

Etilíricas da Copa IV

bar bierhaus

ela canecão

eu "-Salsichinha?"
11:36:52 - Zeno - 2 comentários

Etilíricas da Copa V

bar imbiss

eu bratwurst

ela pretzel
11:36:25 - Zeno - 2 comentários

Etilíricas atrasadas da semana passada I

bar da marcha evangélica em sp

ela aijoelha

eu aijesuis
11:35:25 - Zeno - Comentar

Etilíricas atrasadas da semana passada II

bar da parada gay em berlim

eu "ihr seid zu ruhig"

ele "sei ruhig"
11:34:56 - Zeno - Comentar

Etilíricas atrasadas da semana passada III

bar da parada gay e da marcha evangélica em sp

eu ajoelho

ela reza
11:34:01 - Zeno - Comentar

20 Junho

Televisão, caixinha de surpresas

E já que o assunto é esse, meninos eu ouvi: o inolvidável Kléber Machado, reserva do Galvão Bueno (reserva tá com tudo!), pedindo para ver o "peruzão do goleiro da Polônia" em rede nacional, via Embratel.

Eu acho que o desejo tinha algo a ver com a bola debaixo das pernas do rapaz.

Ainda bem que o guarda-metas não era o da Costa Rica, adversária no jogo em questão. Chamar o "Peruzão do Porras" ao meio-dia, na frente das crianças, é demais.
20:44:29 - Pinto - 7 comentários

Nossa homenagem à seleção canarinho (a de 82)

Vocês não sei, mas desde então continuo preferindo perder com o Telê.
18:33:25 - Pinto - 3 comentários

Nossa homenagem à seleção canarinho

Zico telefonou e pediu uma ajuda a Parreira:

"O Brasil já está classificado, o Japão não, bem que você podia dar u'a mão...".

"OK, Zico, o que você quer? Que eu escale os reservas?", perguntou Parreira.

E Zico, assustado: "Não, Parreira. Os reservas, não!!!".

(tirado do blog do juca kfouri)
13:24:40 - Zeno - 4 comentários

19 Junho

Diálogos via e-mail, em homenagem à Parada Gay

— Rapá, instala aí no seu Vaio o Skype que eu quero inaugurar minha webcam.

— Tá me estranhando, zifio? Sou espada, pô!

(crdt: pinto, o folgazão cheio das liberalidades)
09:28:31 - Zeno - 4 comentários

Kinoshita

Olha, resumindo é o seguinte: é seriíssimo candidato a um dos melhores japas de São Paulo, o que não é pouco mérito. Porque, encravado na Liberdade, é sofisticado e se mantém fiel às origens, não se mudou para o Itaim. Porque a ambientação é sóbria sem ser severa. Porque o sunomono (aquela banal conservinha da entrada) logo anuncia a que se vem. Porque o mais simples sashimi tem um sabor de outro mundo. E porque a picanha marmorizada (à guisa de um wagyu) marinada no missô, selada e servida com shimeji (se não souber o que é não merece ir a um bom japonês), coberta com uma cebolinha (couve?) congelada-e-frita e um molho à base de mel com pimenta foi a delícia culinária do ano, pelo menos até agora.

Mas o bom mesmo é o chef do lugar. Nascido no Japão e criado em Engenho de Dentro, Rio de Janeiro, Murakami-san já viajou boa parte do mundo e não perdeu nem a ginga nem os esses chiados, adquirindo um talento cênico suficiente para envolver a clientela sem jamais ser chato. É uma atração à parte sua passagens pelas mesas para conferir a quantas anda a refeição, dar um ou outro palpite e, sobretudo, bater papo, discorrendo sobre a arte de fazer um bom dashi, sobre aquele filme do Kobayashi (atenção, Zeno!) ou só jogando conversa fora mesmo, entremeando as frases com um "Yééééish!" aqui, um "Show!" e um "Do caralho!" acolá. Isso por si é uma atração à parte, mas se a sua mesa tiver sido ornada com um formoso arranjo da rarísisma Flor Carmesim do Cerrado, então, a noite terá sido perfeita.

Nota: olha só, déish miojosh, malandro!

Serviço: Fica na Rua da Glória, 168, e os fones são 3105-4903 e 3241-3586. Fecha às 22h e não abre aos domingos. A dica é ligar um dia antes e pedir para o homem fazer o menu degustação, com o que tiver de melhor no dia. Ah, sim: prepare o bolso, que japonês barato não existe, e japonês acima da média tem preços idem.
09:00:00 - Pinto - 11 comentários

17 Junho

Inovações culinárias

Também disponível no sabor chocolate branco, suponho.

Chegou o sorvete Chicabunda.

(crdt da foto : a vagaba da câmera do meu celular)
18:31:02 - Pinto - 3 comentários

E nossa homenagem à aula argentina de ontem

El fútbol que vuelve loca a la gente

Por Juan Jose Panno
Desde Gelsenkirchen

Hay dos cosas que no se pueden hacer en un clásico comentario de un partido de fútbol: escribir en primera persona y hablar con el lector. No voy a cumplir con ninguna de las reglas y ya sé que usted me va a comprender. Tengo que empezar por contarle que en 1974, en otro estadio aunque en esta misma ciudad, me tocó ver el partido Holanda 4, Argentina 0, un baile humillante, tremendo. Y hasta ahora, cada vez que leía, escuchaba o pronunciaba el difícil nombre de esta ciudad se me cruzaban las imágenes de las camisetas naranjas haciendo circular la pelota ante la impotencia de los de celeste y blanco que la veían pasar y no la podían agarrar, y se me aparecía el recordado maestro Osvaldo Ardizzone preguntando con su voz ronca: “¿Cuándo se acaba de una vez por todas este suplicio?” Pasaron treinta y dos años. Osvaldo ya no está, pero debería saber que el suplicio se terminó, que hubo revancha, que estos muchachos nos regalaron un verdadero desquite.

No sé si fue en el cuarto, en el quinto o en el último gol cuando se me apareció Osvaldo al lado del pibe que fui. Y me quebré. Creo que mi compañero Ariel Greco, a mi lado, entendió muy bien y no hubo necesidad de decirle lo que significaba este partido para mí, esta maravillosa tarde de... Gel-sen-kir-chen, ahora lo puedo decir con todas las sílabas y si es necesario con todas las letras. En el brillo de los ojos de mi joven compañero encontré también un espejo. Nunca nos olvidaremos –como todos ustedes que lo vieron por la tele– esta milonga, esta exhibición de fútbol, esta paliza que le dio la Selección Argentina a Serbia y Montenegro. Como aquella del ’74, parecida, pero al revés.

[Leia mais!]
12:06:12 - Zeno - 2 comentários

Nossa homenagem à seleção de Portugal

concretude


(texto na parte de baixo do rótulo: "Esta Casa nunca concorreu a nenhuma exposição nacional nem estrangeira")
11:21:21 - Zeno - 3 comentários

15 Junho

Clássicos lusitanos revisitados

Dobrada à moda do Porto
Álvaro de Campos (o irmão mais talentoso do Haroldo e do Augusto)

(...)

Sei isso muitas vezes,
Mas, se eu pedi amor, porque é que me trouxeram
Dobrada à moda do Porto fria?
Não é prato que se possa comer frio,
Mas trouxeram-mo frio.
Não me queixei, mas estava frio,
Nunca se pode comer frio, mas veio frio.

Pedi então ao garçon que lha pusesse no microondas,
Na potência máxima, por alguns três minutos,
E caí de boca na tripa.
14:26:09 - Pinto - Comentar

Eu acho que quero, assim que souber do que se trata

Release oriundo do Consulado Geral da Dinamarca:

Scandinavian No-Dig Centre Aps vende soluções e desenhos usados para Pipebursting, Sewage lining, Close Fit Re-lining e Cable insertions, tendo assim uma fatia importante na indústria não destrutiva. A empresa dinamarquesa oferece um sistema de reabilitação que consiste em uma linha de produtos de cinco pipe burstings diferentes para recuperação de tubulações e redes velhas de água, gás, esgoto e bombas de despejo. Para mais informações sobre a empresa e os seus produtos, favor acessar o site www.no-dig.dk ou através do Consulado Geral da Dinamarca.

Fiquei encanado. Acho que vou oferecer meus serviços de tradutor para os próximos.

(crdt : dj mandacaru)
11:41:57 - Pinto - Comentar

Derrière (um post dedicado à Criss)

Terminado meu banho, lá estou eu na frente do espelho, comentando com meu marido que acho meus seios um tanto quanto pequenos.

Ao invés do esperado "Imagina amor, não são não", ou de uma promessa de cirurgia para aplicar silicone, ele me vem com uma sugestão insólita:

- "Pode parecer estranho, mas já vi funcionar... Se quiser aumentar os seios, pegue todos os dias um pedaço de papel higiênico e esfregue-o entre eles durante alguns segundos". [Leia mais!]
11:00:00 - Pinto - 2 comentários

14 Junho

Carta aberta ao vereador Ricardo Montoro

Ilmo. Sr.,

Não lhe conheço nem o Sr. a mim. Apesar disso, imagino que o Sr. não disponha de tanto tempo (nem intimidade com o micro) para perder enviando mensagens a quem julga seus correligionários. Eu não o sou, e na remota hipótese de sê-lo jamais iria querer saber da sua vida, sobretudo por email. Queira por gentileza pôr fim a essa conduta antipática que, a despeito de lhe tirar momentaneamente do anonimato, não vai se lhe refletir em votos na próxima eleição. Muito ao contrário.

Atenciosamente,

A gerência.
14:53:38 - Pinto - 1 comentário

A Terra é azul, o mundão é azul, até a rapsódia é meio azulada

Rhapsody in Blue não é exatamente uma peça desconhecida, deve ter pra lá de 200 gravações. Não ouvi todas, mas a mais bonita que conheço acabou de rolar aqui no play. Michel Camilo com a Orquestra Simfonica de Barcelona i Nacional de Catalunya, 16 MB de encantamento, para nos ajudar a atravessar esse vale de lágrimas e a Semana Santa.

Depois dos croácios, que venham os curiácios

Prum blog escrito por marmanjos e lido por tiozinhos (segundo a singela descrição de um jovem leitor destes bytes mal programados), ninguém vai cometer alguns pitacos sobre a peleja de ontem? Bueno, pra quicar la pelota:

— a defesa, os volantes e o Dida, que todo mundo perdia o sono por conta, seguraram a onda. E ganharam os Prêmios de "Não tá comigo" o Juan, "Continuo reivindicando o Título de Maior Mascarado do Grupo" o Roberto Carlos, e "Se não der na bola, vai na Cara Feia" o Lúcio. E se o torneio fosse de atletismo, e não Copa do Mundo, eu mantinha o Cafu até o final da disputa.

— o jeito com que o Kaká olha pra bola, pro goleiro, pra bola de novo e bate de chapa, no ângulo, vai redimir umas três gerações de mauricinhos, de evangélicos e de bons-moços neste país.

— o Gordo, que já perdeu o bate-boca no elevador com o Lula, vai ganhar pelo menos o título merecido de "Referência no Ataque". Segue diálogo: "Cê sabe onde fica a tribuna de imprensa?", "Tá vendo o Gordo ali, parado? À direita dele, em frente". Ou: "Como faço pra achar a saída pros túneis?" "Contorna aquele Gordo ali, vira à esquerda e segue adiante".
10:12:54 - Zeno - 8 comentários

Nova aquisição

Um adendo ao nosso pantaleão de blogues batutas: Quinteto Irreverente. Disclaimer: antes de clicar, prepare o saco de risadas
10:00:00 - Pinto - 9 comentários

13 Junho

Taí ó, pá tu pudê batê pá tua patota

Não há considerações... gerais... a fazer...
Tá tudo aí,
Tá tudo aí,
Para quem quiser ver.


E assim, nesta impróvável métrica, começa "Tributo ao regional", uma das 11 geniais faixas do LP Baiano & Os Novos Caetanos, aliás Chico Anysio & Arnaud Rodrigues.

Gravado ao vivo no longínquo 1974, marcou minha infância com canções como "Urubu tá com raiva do boi", "Ciranda", "Folia de rei" e a clássica "Vô batê pá tu". Achei o CD, fora de catálogo, dando sopa nas Americanas a 12 contos. Não sei se o DJ Mandacaru aprova, mas eu adoro.

Além da sátira inteligente à baianidad e de uma poética docemente pessimista, percebe-se o quê de um mangue bit* avant la lettre na doideira toda. O disco envelheceu muito bem, aliás, ao contrário de ambos os autores e do aniversariante da semana, nosso amigo Ricardo Soares, a quem dedicamos a faixa de número 8, "Véio Zuza", por razões óbvias.

* Zeno pede para corrigir para beat. Eu fico na dúvida se sou fiel à idéia do movimento ou se me rendo à nanoaudiência desqualificada.
22:17:23 - Pinto - 6 comentários

Fergie me please

Let's get started

Esse Zeno é um sujeito muito estranho mesmo. Vive falando bem dos Black Eyed Peas e não explica por quê.

Apesar do risco de pobremas domésticos, eu digo por ele: é só por causo de que a Fergie, cantando 'nananana' com aquela voz de normalista, é algo muito digno de comer beijandérrimo.
21:48:57 - Pinto - 14 comentários

12 Junho

Trívia

Ah, é? Já que o tema é recorrente, quero ver o DJ Mandacaru disponibilizar aqui uma de Patrick Dimon, cantor de relativo sucesso entre as castas inferiores na longínqua década de 1970, interpretando uma releitura de O Guarani, dele mesmo, Carlos Gomes, intitulada "Pidgeon Without a Dove" ("Pombo sem pombinha", em tradução livre). Da trilha da novela Pai Herói, é claro. Um clássico!

Nada tão perfeito para o dia de hoje.

Como eu me lembro dessas coisas? Fácil. Passei outro dia na feirinha da Benedito Caríssimo e topei com um compacto do rapaz. Não comprei porque a eletrola de casa já não toca há muito, dir-se-á dela um pombo sem pombinha.

Em tempo: Patrick Dimon não morreu. Permanece vivo no coração de cada fã, realizando "shows internacionais em seis idiomas" em lugares seletos por esse Brasilzão de Meu Deus.
15:26:17 - Pinto - 13 comentários

Ganharás o pão com o suor do teu – vá lá! - rosto

À toa na vida? Gosta de ir ao garimpo? Sabe administrar orçamentos individuais e familiares? O Ministério do Trabalho e Emprego tem uma sugestão para você.

No menu à esquerda, há diversas dicas importantes. No item “Competências Pessoais”, tirando um ou dois pontos, colega aqui da editora que tiver o resto leva o prêmio “Funcionário do Ano”.

Jogando para a torcida

Linda, loura e japoneusa

Aos que acusam este blogue de elitista: nesta data tão especial dedicada aos amantes trazemos Joelma, a esfuziante vocalista da Banda Calypso, nosso modelo feminino de nanoaudiência e, por que não?, namorada ideal.

(Favor não insultar, ou a gente vai tascar fotos de Kelvis Duran tão logo achemos uma categoria para classificá-lo.)
10:00:00 - Pinto - 46 comentários

Nova amiguinha

And so this is Criss

Meus caros e meus ácaros, distinta nanoaudiência, respeitável púbico: apresentamos a fácil, porém complexa, Criss, tal como retratada de saída, supõe-se.
09:00:00 - Pinto - 3 comentários

10 Junho

Radiola

Meus caros e meus ácaros, distinta nanoaudiência, respeitável púbico: dedicamos esta bela página musical à moça que se assina Nena, natural da aprazível cidade de Itaquaquecetuba, que por aqui costuma passear: o conjunto Jarabe de Palo interpreta Toca mi canción.

Clique e, se sua conexão for boa o suficiente, você conseguirá baixar o arquivo antes de conseguir dizer "Itaquaquecetuba".
14:23:13 - Pinto - 2 comentários

Greve é greve e fome é fome

Banda larga e cintura nem tanto

Deu n'O Glóbulo: Cubano completa 130 dias em greve de fome por acesso à internet.

Alô, alô, Garotinho: quem sabe faz ao vivo.
13:47:41 - Pinto - 1 comentário

És pó e ao pó voltarás

Artigo legal do Ruy Castro, hoje no Estadão, sobre o livro-antologia Cocaína – Literatura e outros companheiros de ilusão. No livro é mencionada a canção-tango de Sinhô, cuja letra teria sido escrita por uma prostituta e musicada por ele. A canção é dedicada “ao carinhoso amigo Roberto Marinho", que aparentemente não tem nenhum parentesco com o Cavalo recentemente mencionado aqui no HZ. No Leia Mais, a letra de Cocaína. Enquanto vou ali procurar a gravação, de 1923, fiquem aí se divertindo com a música homônima do Sabotage. [Leia mais!]

Clássicos do anedotário nacional revisitados (Ou "O Lula e o Baleia")

— Gordo!

— Bêbado!

— Amanhã eu tô reeleito, e tu?
09:24:56 - Pinto - 6 comentários

09 Junho

Êêêta esquadrão de ouro

Pra que não digam que este blog está alheio à Copa, ah, ímpios, nós que acompanhamos até Togo e Suíça, sério candidato a jogo mais modorrento do torneio, reproduzimos a seguir tradução resumida da sensacional matéria publicada no Frankfurter Allgemeine de hoje (no link, a matéria completa – e antes que perguntem, não, o texto não é de gozação):

Febre futebolística: o que um empregado pode e não pode durante a Copa?

Pergunta: Meu chefe é obrigado a me dispensar, caso eu tenha conseguido os difíceis ingressos para os jogos?
Resposta: "Não, ele não é obrigado", segundo Gregor Dornbusch, advogado de direitos trabalhistas na Baker & McKenzie. Apesar de o trabalhador ter direito a férias, se estas comprometem o funcionamento da empresa, o empregador pode suspendê-las. Imagine se metade da empresa decidir que quer dispensa para ver os jogos – não é possível.

Pergunta: Posso assistir às transmissões pela TV?
Resposta: Situação difícil. Juristas da área são unânimes em afirmar que a transmissão compromete o desempenho profissional. Só se o seu chefe se dispor a abrir exceção.

Pergunta: Cabe uma cerveja?

Resposta: "Depende", afirma Dornbusch. Se o consumo de álcool não for normalmente proibido na empresa, nada contra uma cervejinha (Bierchen! nota do blog...). Em escritórios que costumam comemorar aniversários com brindes de champagne, tudo bem – mas mantendo o bom-senso. Cuidado com bebedeiras: são justa causa para demissões.

Pergunta: Posso ir trabalhar vestindo uma camisa de futebol?
Resposta: O que regula é o bom tom na vestimenta. Se é o caso de ser discreto, não cabe aparecer no escritório vestindo uma camisa da seleção brasileira. Mas normalmente os chefes fazem vista grossa. Se você trabalha em salas distantes e não se relaciona com clientes, é mais fácil do que para um caixa de banco.

Pergunta: Posso organizar bolões para meus colegas?
Resposta: Em princípio, sim. A participação ou não em apostas é voluntária, e o bolão não é um jogo de azar proibido. Quem quiser fazer a coisa mais correta, porém, deve organizar as apostas no horário de almoço ou após o expediente.

(crdt: nena)
18:52:19 - Zeno - 2 comentários

08 Junho

Negócio da China

Expresso SP-Contagem, com baldeações

Ou: Acompanhe a Perspicácia dos Autores deste Blog

O assunto é expertise do Pinto, nosso comentador oficial de fatos cosmopolitas, o último grito da sofisticação, a novidade ou a tendência que ainda não caiu na boca dos amigos jornalistas, etc, mas me atrevo mesmo assim. Duas ou três semanas atrás, passeando, como de hábito, pelas gôndolas do supermercado predileto, o francófilo Carrefour, 72 caixas à disposição, vejo as belezuras aí em cima a módicos 2 reais e qualquer coisa o pacote de 250 grs, 3 reais e qualquer coisa o de 500. "Caray", pensei, "quando a esmola é muita o santo desconfia. Deve ser aquele truque costumeiro de desova de produto quando tá perto da data de validade", o que sempre ocorre com as trolhas importadas em supermercado de pobre. Comprei, mesmo assim, e levei pra casa, pra mó de testar. Excelente, claro, a ponto de anteontem ter voltado lá e comprado todo o estoque disponível, 6 pacotes de café disputados a tapa com uma velhinha aposentada que segurava um folheto de promoções na mão. Chego ao lar, examino contente a aquisição, e o raio da Iluminação cai na cabeça: o troço é feito em Minas Gerais!! Nacionalizaram o Segafredo, dio mio!! Tudo bem que a Itália nunca plantou um mísero pé de café em toda a bota, mas Minas?! E o que é pior: Bairro Cincão (grafado assim mesmo), em Contagem!!! Caray, perifa de Belo Horizonte, ou seja, perifa de algo que als sich selbst já não é grande coisa. Onde vamos parar? De onde viemos? Pra que existir? Respostas no fundo da próxima xícara ou num borrão de emergência a qualquer momento.
13:11:08 - Zeno - 14 comentários

Blockbuster

Aluga-se (sic) moças

crdt : dentão
12:25:35 - Pinto - 24 comentários

Requentando marmita em louvor próprio

Cada vez que lemos mais uma nota nos jornais a respeito da prisão do injustiçado Edemar Cid Ferreira, lembramo-nos do premonitório texto publicado aqui no botequim em 3 de dezembro de 2004, logo após o anúncio das supostas falcatruas do mecenas:

The waste land, by José Sarney

Voltando à programação normal do blog, destaque para o anúncio de página dupla na revista da Net de dezembro, com fotos de Lorena Calábria e Laurent Suaudeau e o texto abaixo. As notas de pé de página são opcionais:

"O Banco Santos acaba de reinventar a relação cliente-banco (1). A partir de hoje, você tem uma equipe de profissionais (2) que usa inteligência (3) para atendê-lo ao telefone (4). Um Internet Bank (5) claro e objetivo. Um gerente (6) com um grupo seleto de clientes (7), para saber o que você realmente quer (8). E um programa de premiação (9) que leva em conta sua maneira de viver (10). Este é um banco que vai além do banco (11), para estar cada vez mais próximo de você (12). Bem-vindo ao Banco Santos. Seu estilo de vida (13)."

(1) Programa Xilindró de Adesão ao Calote (Proxaca).
(2) Advogados criminalistas.
(3) Dinheiro não-rastreável.
(4) Em horários determinados, na presença de um guarda e com vidro blindado.
(5) Código Morse, para conversar com os vizinhos de cela.
(6) Delegado Adamastor.
(7) Pessoal do Bloco C.
(8) Pacote de cigarros e uma lima escondida num bolo de pistache.
(9) Redução da pena por bom comportamento.
(10) Banho de sol das 9:00 às 10:00.
(11) Possível conversão evangélica.
(12) Túnel de fuga, projeto de Ruy Ohtake.
(13) Calça bege, sem camisa.
11:23:52 - Zeno - 12 comentários

07 Junho

A cavalo gago não se olham os pentes

Achei uma outra gravação de Cavalo Marinho. Faz parte de um pot-pourri (faço-me entender?) que engloba mais duas músicas de um bumba-meu-boi: Entrada do Boi Misterioso, o Cavalo... e A Burrinha. Juntando com o Hipo do logo, mais o veadinho perfumado dum post lá de baixo e o sofredor carregando o Geraldinho no lombo, isso aqui vai acabar virando Animal Planet.
A faixa foi tirada de um CD com o áudio do programa Ensaio (TV Cultura) e lançado pelo SESC, com o Quinteto Violado mesmo.

Evolution of dance

Pra você se dar bem naquela festa batuta que o Vegas vai promover em breve, cortesia do infindável YouTube.

(crdt: captcha pés leves)
08:55:14 - Zeno - 6 comentários

06 Junho

Famke me please

XXX Woman

Famke Jansen. Um nome incomum e uma beleza comum que apetecem à redação.

(Melhor pôr as coisas assim do que dizer algo do tipo "Comeria Famke Jansen beijandérrimo", que dá muito pobrema em casa.)
14:46:13 - Pinto - 14 comentários

Dominus vobiscum

Ao contrário de Paris, Pinto, Geraldinho Alquimia não vale uma missa. Atendendo parcialmente aos pedidos dos queridos ouvintes, A morte do vaqueiro, com o Quinteto Violado.

Halim

Já vou avisando: foi o Pinto que me levou lá. É verdade que eu já conhecia, já tinha provado isso e aquilo, me lembrava vagamente de um pão sírio honestíssmo, mas sacumé: árabe é tudo igual, com as exceções do Arábia, do Miski, do Jaber + Catedral e daquele em Santana que ninguém vai porque é longe pra caralho (idem aquele atrás da 25 de Março). As esfihas do Halim são bem boas, i.e., acima da média, os doces são muuuito acima da média, e tem um negócio por lá que nunca tinha visto antes, tal de Uzzi, uma bolota de massa recheada com arroz e cubos de cordeiro que custa 5 pratas e vale uma refeição. A dona do lugar, senhora vetusta e nos trinques, é atração à parte, com a somatória esperadíssima de anéis, brincos e colares de ouro, maquiagem 720 gramas acima do recomendado e um cabelo enigmático que trazia de volta, num gesto de ousadia retrô, o laquê para perucas.

Nota: 7 Miojos. Serviço: fica na Rafael de Barros, próximo da Paulista. Em frente fica outro árabe, com um pão sírio muito bom, pra levar pra casa. Dica ecumênica é conferir alguma programação cultural do Consulado japonês, que fica ali perto (entrada pela Paulista; a videoteca deles, aberta ao público, é inacreditável), e depois traçar as esfihas e os kibes ao lado, algo assim como "Quando o Oriente Médio se encontra com o Oriente Distantíssimo".
07:52:00 - Zeno - 11 comentários

Diálogos do Doutor Atkins

— E a Fulana De Tal, vai fazer o filme de vocês?

— Não dá, o papel pede uma ninfeta magrinha e ela tá muito gorda.

— Imagina, outro dia vi ela na TV apresentando um programa.

— Ab Shaper?
06:12:00 - Zeno - Comentar

05 Junho

Nós no grafo

Fogos de artifício

Este blogue, tal como visto aqui.

Por indicação dela, sempre.
19:00:00 - Pinto - 6 comentários

04 Junho

O sertanejo é antes de tudo uma foto

Gibão, chapéu de couro e oração*

Esta pantomima aí repercutiu em toda mídia brasileira hoje, com a informação adicional de que, ao descer da montaria, Geraldo Walkman traçou um bode —como fosse algo menos normal do que a feitura do instantâneo em si.

Em tempo: a cavalgadura em questão (a de cima, bem entendido) tem o saco bem puxado nas Páginas Amarelas da Veja desta semana. Mais adiante, apresenta-se Heloísa Élenda (sem eqüino nenhum por perto, que ela se basta) como a "primeira candidata relevante", ou algo assim, à presidência.

Sei...

crdt pela pauta : minha amêga que vcs não conhecem não.

(*A legenda é a oferenda da "Missa do Vaqueiro", pelo Quinteto Violado, que o DJ Mandacaru bem podia disponibilizar aqui, junto com "Cavalo Marinho", pelo seu favor.)
22:51:33 - Pinto - 9 comentários

Superchupeta

18:48:20 - Pinto - 3 comentários

Gauchismo

Por que cintas caralhas d'água® todo ator de cinema francês tem que ter desvio de septo?
18:38:39 - Pinto - 1 comentário

Intermezzo

Uma boa notícia para o cinema: Isabela Boscov não mais resenha filmes na Veja, pelo menos na edição desta semana.

Uma má notícia para a literatura: Isabela Boscov agora resenha livros na Veja, pelo menos na edição desta semana.
18:35:43 - Pinto - Comentar

03 Junho

Creme brulée

Deu no Ancelmo:
-------------------------------
Uma ala jovem do PSDB que faz a campanha de Alckmin bolou um jeito de burlar a proibição de vender camiseta com nome do candidato.
Fabricou peças com o desenho de um enorme chuchu.
--------------------------------
Podiam botar de ladinho uma fota da vaselina da saison.

02 Junho

Allons enfants!

E já que estamos na Gália (Galha?), uma região muito cara ao companheiro Zeno, aqui vai France Gall, uma espécie de Wanderléia das jovens tardes de domingo francesas. Meu bom amigo bretão Férdinand Costes que me presenteou o Best Of da moça, adquirido a peso de euro ali na lojinha de quinquilharias do La Tartine (nota na agenda: dois lugares a resenhar).

Um chouchou! Foi na tal lojinha, minutos antes de uma quiche de queijo de cabra profissionalíssima, que escutei aquela voz jovial & coquete cantando Poupée de cire poupée de son, que só conhecia em versão ao vivo, não menos jovial & coquete, dos meus amados Belle & Sebastian: compare aqui e diga qual a menos histérica das duas; eu mesminho ainda não cheguei a uma conclusão.

Os arquivos ficam disponíveis por sete dias. O YouSendIt deixou de ser muquirana e agora não limita mais o número de downloads.

(Nota do Editor, menos ignorante a cada dia: a canção é de autoria de ninguém menos que Serjão Gainsbourg, e venceu o concurso Eurovision de 1965)
19:07:31 - Pinto - Comentar

Et j'ai pleuré, pleurééééé...!

Dennis Hopper encontra Duran Duran?

Je me souviens de Christophe en chantant Aline, Les Marionettes et autres moins votées.
18:39:20 - Pinto - 6 comentários

Jabá aurático

benajmin é bossa nova
07:27:00 - Zeno - 6 comentários

01 Junho

Ninguém pediu, mas a gente insiste

Dando continuidade à série "Chalita, o Arauto do Afeto", selecionamos mais alguns versos de seu novo CD, oxalá apenas o primeiro de muitos. Desta vez, Sou Quixote, de autoria do mestre e do mesmo Guto Está Ainda Sem Graça Mello:

O mundo está sangrando.
Mulheres e homens sofrendo
Da lida, da vida perdida
Da cena passada, arrasada
Há ódio por todos os lados
Guerra matando, gente chorando
Preconceito, falta de respeito
Pela ferida, sem vida
Sou Quixote sonhador
Busco castelos, moinhos de vento
Eu sou lutador
(...)
Eu ainda vivo, Eu ainda sonho
Eu ainda acredito
Eu ainda busco um Amor
Dulcinéia
Ou qualquer outro Amor.

P.S.: Rá! A glória!! Recomendamos aos nossos clicadores uma experiência: botar entre aspas, no Google, a expressão "Gabriel Chalita canta o amor", que vem a ser, como dissemos, o nome do CD. Está lá, em sétimo lugar, nosso mui humilde bloguezinho. Depois de termos superado em número de acessos o site da BBC no quesito "Dieta do Doutor Atkins", só nos resta sonhar alto, bem alto - o dia, por exemplo, em que fulanim vai digitar "sexo com freiras anãs lambuzadas em KY com a participação especial de um autêntico Dragão de Komodo" e o nosso site vai ser o primeiro da lista do Google. Você está com sorte? Nós estamos.
19:59:00 - Zeno - 14 comentários

Galeria HZ de animais em extinção

Abalou no casaqueto de pele, bi!

Veado catingueiro (Mazama gouazoubira), que está dando lugar à subespécie Veado embebido em CK One Euphoria by CK (Jacyra consolacionis).
13:43:30 - Pinto - 87 comentários

Resenha em aberto sobre Imamura

Morreu o cineasta japonês Shohei Imamura e, pra variar, a gente não tem nada de muito relevante a dizer sobre ele – o mesmo acontecendo com todos os obituários publicados na imprensa nacional (num deles, aliás, leio que Imamura fez parte da geração imediatamente posterior à dos mestres Ozu, Mizoguchi e Kurosawa. Bueno, alguém tem de dizer ao nosso colega que Ozu, Mizoguchi e Mikio Naruse são a santíssima trindade que faz a primeira geração do cinema japonês autoral; Kurosawa vem depois, na mesma tocada do Kobayashi, do Kon Ichikawa e do Kinoshita; Imamura pertence à terceira leva, a safra da Nouvelle Vague japonesa, junto com os ainda vivos Oshima e Shinoda). Cronologias à parte, só vi três filmes do Imamura: Balada de Narayama (1983), na longínqua década de oitenta, e só me lembro de uma vaga impressão de pieguismo (vejo na filmografia do IMDB que ele já havia feito um outro Balada de Narayama em 1958, em versão kabuki, co-dirigida pelo Kinoshita citado); o merecidamente cultuado A Mulher-Inseto (1963), em p/b e com perversão de entomologista ao descrever a ascensão/descenso de uma prostituta; e A Enguia (1997), que dividiu a Palma de Ouro com o Gosto de Cereja do Kiarostami e serviu pra deixar bem claro a diferença de estatura dos dois cineastas. Lembro também pouca coisa, por exemplo que a analogia entre o personagem principal e a enguia era meio imediata, mas havia um bom punhado de cenas a denotar inteligência atrás da câmera e uma atriz principal lindíssima.

O conversê acima, na verdade, serve somente pra deixar a pergunta: alguém da nossa nanoaudiência viu algum filme do Imamura?
12:51:44 - Zeno - 24 comentários

Clássicos revisitados: Machadão versus mercadão

"Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis."

Paguei com cartão e ganhei 40 dias até receber a fatura, além de milhas aéreas.
11:02:57 - Pinto - 4 comentários

O espírito é novo, mas não está se sentindo muito bem

Esse post vai deixar o HZ parecendo aqueles filmes dublados antigos, onde os atores ficavam abrindo e fechando boca por uns três minutos até o primeiro som ser ouvido.
Seguinte: tá aqui no RapidShare o primeiro disco do João Gilberto “Chega de Saudade”, de 1959. Como faixa-ônus, “Se todos fossem iguais a você”, com a Ângela Maria, em ritmo de cha-cha-cha. O arquivo ficou pesadinho, quase 38 MB. Deixem pra baixar à noite e vão fazer coisa melhor.

.:: mês anterior :: :: :: :: June 2006 :: :: :: :: próximo mês ::.