:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Todos

Todos os posts do mês. Para selecionar uma seção, clique no menu ao lado.


.:: mês anterior :: :: :: :: August 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.

31 Agosto

Trutas do Rocio

Em primeiro lugar: é Rocio, à moda lusa, e não Rócio como teima a paulistaiada. Trata-se de um criatório de trutas que aproveita o excedente da produção para atrair turistas servindo receitas simples, cujo frescor dos ingredientes e o ambiente paradisíaco determinam a diferença. Um único senão: fica na estrada que finda no radar do Cindacta —aquele que pára o tráfego aéreo do Sudeste inteiro quando resolve dar tilt—, em Petrópolis, serra fluminense. Longe demais de São Paulo, portanto. Mas ainda assim, e talvez por isso, vale a visita.

O restaurante é uma casinha junto a uma quase caverna, no meio do mato, depois de uma alameda de hortênsias e antes dos tanques das futuras refeições. Caseiro e aconchegante como deve ser. Se fizer dia bom, comer nas mesinhas ao ar livre é chique no último. A derradeira vez em que lá estive fazia 4º C e chovia cântaros, mas a truta com mostarda e mel me reconfortou. Vá antes de outubro, de preferência, que é quando os peixes estão na sua melhor forma. Se nem o passeio, a refeição ou o ambiente lhe agradarem —você deve ter um problema; discuta com seu analista—, arrisque uma visita só para ver a Luciana, a proprietária, que além de extremamente gentil, tem aquele sotaque matador dos esses chiados e é uma gata.

Nota: 9,0 miojos, porque nem mesmo um paulistano merece viajar tanto por tudo isso.
22:40:54 - Pinto - 10 comentários

Eu sou da Paz

Make peace, not war

A pedidos, Paz Vega: uma espécie de Lúcia Veríssimo que não embarangou. Uma Salma Hayek sem a burrice. Um certo olhar de Luciana Vendramini sem a paquitice. Uma Luma de Oliveira sem a vigarice.
13:59:15 - Pinto - 20 comentários

Pergunte ao Pó (2005)

O boletim Filme B dá uma nota em sua edição desta semana sobre "Pergunte ao Pó", a versão fílmica do livro do Fante adaptada e dirigida por Robert Towne (Chinatown e um monte de porcarias), com data de lançamento prevista para dezembro nos EUA e 17 de março de 2006 no Brasil. Colin Farrell no papel de Arturo Bandini faz a gente desanimar um pouco, mas a Salma Hayek como Camilla levanta os humores.
11:36:08 - Zeno - 13 comentários

30 Agosto

Programão de segunda

A tua presença morena

Rejubilem-se literatos e etílicos! Nesta segunda, 5 de setembro, a partir das 19h, no indefectível Balcão, é dia de prestigiar nosso camarada Ricardo Soares (na foto com a pororoca atrás) no lançamento do seu Cinevertigem.

Além de amigo do blogue, et pour cause, Ricardo é escritor talentoso, jornalista de respeito e, last but not least, transformista de mancheia. São lendárias suas performances dublando Watusi, Marina Montini, Maria Alcina e Daúde. Caso ele se anime com a ocasião e resolva atacar de Joséphine Baker, essa será uma noite de autógrafos gloriosa.

Pelo sim, pelo não, os hipopótamos comparecerão em peso.
16:00:00 - Pinto - 8 comentários

Tudo pela mídia

José Cérbero, guardião do inferno paulistano, liberou geral: os uniformes das escolas públicas poderão ter patrocínio de empresas, no melhor estilo dos times de futebol.

Nada contra, tudo para fazer um caixinha, mas já que vale tudo então por que não ampliar as opções? Por que não anunciar, por exemplo, nos veículos oficiais? Têm a vantagem de circular em locais mais nobres que crianças de escolas públicas. Um rabecão com o logo da Daslu exemplificaria a política de inclusão social de ambos, prefeitura e butique. E que tal aproveitar as lapelas do estafe municipal? Já pensou il doge Andrea Mataratto envergando um jaquetão com o emblema da Casa das Cuecas?

Outra alternativa seria aproveitar espaços ainda mais privilegiados, como (disclaimer: se for clicar, retire as crianças da sala) a cabeça de S.Exa. É um lugar amplo e chamaria alguma atenção, desde que contornada a dificuldade de fixar algo ali.
13:12:59 - hubbell - 2 comentários

Diálogos pedagógicos

- Quando eu vou abrir crediário, só ponho "professora" se a prestação for baixinha.
- E se for alta?
- Aí eu escrevo "promotora cultural".

(crdt: rosa a., de assalariada)
07:44:00 - Zeno - 1 comentário

29 Agosto

Sin City

Difícil chegar a uma só conclusão por que não assistir a "Sin City". Tantos e tão óbvios são os motivos —economia de trocados, tempo, saco, cérebro— que finalmente descobri como persuadir os amigos mais renitentes que porventura não tenham caído na arapuca: o problema é a tradução.

Não a das legendas. Essas até vão bem, embora seja recomendável ao espectador ser anglófilo, porque letra branca em fundo branco tende a sumir —mas o dano até aí não é tanto, já que não há mensagem mesmo. Refiro à tradução para o meio. Violência em HQ até fica estilizada. Transposta "as is" para a telona só é grotesca mesmo. E não há Tarantino que resolva.

O filme força tanto a barra assim que reduz as boas sacadas —a fotografia interessante, o visual das meninas, os efeitos especiais, bons atores (apesar dos diálogos pavorosos)— a um nada no contexto. Se fosse uma foto, iria pretender falar. Se fosse um livro, a tradução seria "to the foot of the letter". "Sin City" é só um filminho muito ruim mesmo.
17:51:15 - Pinto - 9 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro de ter juntado dinheiro com meu irmão para comprar em um supermercado perto de casa uma caixa especial para presente contendo um vidro de lavanda e um sabonete luxo de Seiva de Alfazema no dia das mães. Minhas irmãs mais velhas riram, mas minha mãe adorou. Quando eu tinha uns 16 anos lembro de ter me dado conta que minha mãe não deveria ter gostado, mas quando ganhei o primeiro desenho da minha filha me dei conta que ela deve ter adorado.
15:31:00 - Sorel - 1 comentário

Zorra Total versus Fantástico

"Nunca faça amor no sábado à noite, porque se chover no domingo você não saberá mais o que fazer".

Pierre Desproges. Quem, de novo? Aqui.

(crdt: matthieu, le rouge)
12:33:25 - Zeno - 2 comentários

Nota social

Minirreunião informal na sexta à noite reuniu cinco blogueiros numa mesa de seis pessoas. O sexto, le pauvre, estava lá para corroborar a antiga piada, "metade da população americana é filatelista e a outra metade procura sê-lo". Nenhuma nova aspiração para a humanidade foi traçada, mas o prazer da conversa pode ser estendido aos respectivos sites:

Pensar enlouquece, pense nisso, do Alexandre Farol da Blogosfera Inagaki;

Torpor, da Giu, que há tempos estava em nossa wish list de menções a blogs bacanudos;

E a nossa Assessora para Assuntos Oculísticos, a mal vigiada Cam Seslaf, que escreve as Letras e Cartas Rubras.
12:20:56 - Zeno - 10 comentários

26 Agosto

Without a song

Titio Hunter foi ao supermercado. Como é single guy ("bachelor" dá uma questão de lógica formal no Bertrand Russell, mas creio que não tenha muita gente interessada. Nem eu), foge das bandejinhas de comidinhas assépticas para solitários e compra birita e cigarro.
Mas hoje, surpresa. DVD do Sinatra, "The Man and His Music", baratão.
Como tem uma pá de fã do dago por essa blogosfera, ele merecerá um digno post. Mas vai um verso de uma que eu gosto:

"When things go wrong a man ain´t got a friend without a song".

É isso aí.
20:37:12 - hunter - Comentar

Já vai tarde

"Sem dinheiro, Anatel desativa seu call center a partir desta sexta", diz O Globo.

E quando funcionava, pra que servia mesmo?
17:26:21 - Pinto - 1 comentário

Almost blue

Chet Baker não foi o melhor trompetista do mundo (longe disso; pra não citar os óbvios, o Fats Navarro era much better).
Seu herói no instrumento foi, inicialmente, Bix Beiderbecke; depois, tentava mimetizar o som sem vibrato de Miles Davis (que, com a cordura que o caracterizava, disse certa feita: "sempre toquei melhor que Chet Baker. Até quando me entupia de heroína").
Como cantor, não tinha as sutilezas da divisão e a elegância do Sinatra, ou (aí é coisa séria) as modulações e beleza do timbre do Johnny Hartman.
[Leia mais!]
13:52:15 - hunter - 13 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro – na verdade, acho que nunca esqueci – que nós carregamos ao longo dos anos não só os ossos e as carnes cansadas, mas também alguns truísmos difíceis de serem driblados, como por exemplo os tais pedaços de músicas, trechinhos de canções e pequenas linhas melódicas que vão e vem involuntariamente na cabeça por conta deste ou daquele encontro ou situação. Dois que me ocorrem de imediato, pra ilustrar: o "if theeey should ask", que o Chet Baker canta ao final de "I remember you", com o verso soando como se fosse tocado por um trompete, e não cantado, e o "but ohohoh my dear", que o Sinatra estica de leve na primeira volta do refrão de "Our love is here to stay".

Me lembrei de outro esta semana, por conta de uma gentil devolução de um CD emprestado há anos – o Voodoo Lounge, dos Stones. Na faixa 14, "Thru and thru", aquela "faixa-obrigatória-do-disco-pra-contentar-o-Keith-Richards", este vai desafinando uma baladona bonita durante dois ou três minutos até que o resto da banda entra em cena, a música aumenta de intensidade e lá pela minutagem de 3:40, 3:50 entram os backing vocals do Jagger fazendo o fundo ou a cortina da canção. Se houvesse justiça socio-musical neste mundão iníquo e lacrimal, estes dez, doze segundos de "uhuhuh" e "ahahah" mereceriam ser embalados e distribuídos em saquinhos à população num inexistente e necessário Programa Depressão Zero.
11:09:34 - Zeno - 4 comentários

Harakiri (1962)

obra-prima

Fazei um favor a vossa formação, à vossa cultura cinematográfica e ao vosso orçamento e sintonizai no próximo domingo, às 21 horas, o canal Telecine Classic (65 na grade da Net) para deslumbrar-se com Harakiri (em português; no original, Seppuku – não perguntai, que essa discussão é longa...), do mestre Masaki Kobayashi, figurinha fácil em qualquer lista justa ou injusta de 10 maiores filmes de todos os tempos. Aproveitai também pra descobrir de onde o Zhang Yimou copiou boa parte do celebradíssmo "Herói", tão defendido por Mestre Miyagi Self aqui nas páginas do blog. É mais barato também do que desembolsar 153 pratas (na CD Point) pela versão em DVD da Criterion Collection que acabou de sair nos EUA.

Não tendes Net? Se fordes do sexo feminino, passai lá em casa que o saquê e o hashi são por nossa conta. Se fordes do sexo masculino, ficai em vossa casa e não perdei a reprise do programa do Avallone do mesmo horário.
09:24:52 - Zeno - 19 comentários

25 Agosto

Teste de QI

Prove que é um varão inteligente: imprima e esfregue na cara da patroa assim que chegar em casa, enquanto entoa o mantra "Mulé, cadê a janta?".
17:19:16 - Pinto - 2 comentários

Casa Portuguesa

Os recentes posts cabecinha me deram fome. Lembrei então de um restaurante ali na Cunha Gago, esquina com aquela rua que margeia o Fnacão e cujo nome ignoro. Não, não é a Pedroso. Em Pinheiros, claro. Lá fica a Casa Portuguesa, mas não se deixe iludir pelo nome óbvio, que os patrícios não são conhecidos por sua criatividade nesse aspecto. Para eles, homem é "Manoel" (ou "Joaquim"), mulher é "Maria", padaria é "Dengosa" e restaurante é "Casa Portuguesa" mesmo. Menos mal. Deixem-nos ser óbvios na nomenclatrura e criativos na cozinha.

Feita a consideração, cabe dizer que é o melhor lugar de SP para comer bacalhau —literalmente falando. OK, pode não ser o melhor, mas àqueles precinhos só lá mesmo. (Se o público-leitor deste blogue gostasse de bacalhau barato não freqüentava o Photo, pensei em escrever, mas não vou!) Bacalhau bom, importado direto. O prato feito no almoço sai a R$12,50 e varia a cada dia. Já foi R$9,00, mas foi objeto de assunto na Invejinha, e aí já viu o desastre: inflacionaram preços e freqüência. Recomenda-se comedimento, unicamente porque ao final há aqueles doces que levam toneladas de ovos e açúcar. Sem drama: você sai de lá e vai flanar pelos sebos da redondeza, dá uma de intelectualóide e pretende esquecer que se entregara à glutonice minutos atrás. Todo mundo há de compreender.

Nota: 9,5 miojos.
16:03:12 - Pinto - 3 comentários

Dos Rodapés (2), a missão

Como o titio Hunter está um tanto enfarado com a já tradicional jeremiada acerca da rasteira qualidade de nossos literatos, lamúrias estas que, infelizmente, são expressão inconteste da verdade, é sempre revigorante lobrigar que a nau soçobrou, mas uma ponta dos mastros ainda sobrevive no oceano de estultice.

"Cachorros do Céu" (Planeta), do paranaense Wilson Bueno, é uma maravilha.
Coleção de contos antifábulas, antimoralistas, anti-Esopos e anti-La Fontaines, em que, se aos animais se empresta a voz, é para que esta desvele o tragicômico da condição humana. A forma é apuradíssima, aproximando-se muitas vezes do texto poético.
O livro é ácido, lírico, ridículo, inteligente. Como a maioria de nós, a se excetuar a última virtude, moeda um tanto escassa na poupança da intelligensia indígena, depositada em boa-fé no Banco Rural do Bananão.
12:19:30 - hunter - Comentar

O Karl, como sempre, Kraus.

"O que a sífilis poupou será devastado pela imprensa. Nos amolecimentos cerebrais do futuro, a causa não poderá ser determinada com precisão".

E:

"Os jornais têm mais ou menos a mesma relação com a vida que as cartomantes com a metafísica".

Para concluir:

"Quem, além dos políticos que as cometem, lamenta as asneiras na política? serão, pois, as sagacidades na política mais sagazes?"
06:37:32 - hunter - Comentar

24 Agosto

Atos falhos que esperamos ansiosamente

"É função prepúcia desta CPI apurar tudo, até o fim, doa a quem doer."

Amanhã ou depois, nos melhores urologistas do ramo.
20:27:40 - Zeno - 5 comentários

Manchetes que leremos em breve

"Buratti nas contas públicas agita mercado"

Amanhã ou depois, nas melhores casas do ramo.
13:12:53 - Pinto - Comentar

Óleo de peroba

Coluna do Luís Cacife, Fôia de hoje, grifos por conta da casa:

"Palocci integrou o grupo dos pragmáticos do PT que operaram em Santo André, Ribeirão Preto e outras grandes cidades, sim. Indicado ministro da Fazenda, imbuiu-se da importância do cargo, da relevância de sua atuação para a estabilidade do país. Afastou-se de todos os esquemas, manteve profissionais à frente de todos os cargos relevantes da Fazenda. Ganhou grandeza."

Parece a célebre homilia de Padre Cícero aos jagunços: "Quem roubou não roube mais, quem matou não mate mais". Ou então é algum trecho do Pollyana moça, que ora me foge da memória.

Tudo bem? Então depois não vale reclamar do Daniel Bancas, nem do Diogo Mimordi...
11:31:13 - Pinto - 1 comentário

Dos Rodapés e questões hepáticas

-"Is life worth living? "
-"Depends on the liver"

De um diálogo encetado por Allen Ginsberg, e que conseguiu me fazer rir, em "Quando Eu Era o Tal", uma bobajada de autoria de um fulano chamado Sam Kashner e pessimamente traduzida pelo igualmente péssimo Santiago Nazarian.
11:04:06 - hunter - 2 comentários

Dos Rodapés

Titio Hunter não é, assim, um camarada tão provecto e próximo da inexorável senectude, mas sabe que, em priscas eras, os hebdomadários cá do Bananão possuíam rodapés literários assinados por gente como Álvaro Lins, Otto Maria Carpeaux e Antonio Candido.
Já que a maionese desandou mesmo, aqui vão as sugestões de leitura do Uncle Hunter para a semana, no seu melhor espírito iluminista de propagador da cultura:

[Leia mais!]
10:34:59 - hunter - 4 comentários

A auto-referência é uma merda

De um artigo batuta do Dapieve no Nomínimo, sobre um disco do Dexter Gordon: "Tenho certeza, porém, que cheguei a Gordon após ler uma resenha de Roberto Muggiati na “SomTrês” de outubro de 1980 (ainda tenho o recorte), revista editada por Maurício Kubrusly e na qual todo mundo que valia a pena ler quando o assunto era música escrevia na virada dos anos 70 para os 80." Idem aqui, que eu também tenho vários recortes da revista guardados, revista que foi mencionada aqui no botequim graças a um post de Mestre Myagi Self.
10:16:47 - Zeno - 11 comentários

Vantagem competitiva

l'après-midi d'un faune

Anote aí na sua agenda: dias 1º e 2 de setembro você não pode deixar de perder o Fórum Mundial de Negociação: Estratégias inovadoras para obter o melhor acordo, com a presença do bonequinho da Michelin aí de cima, sério candidato a Iluminuro da semana, autor da máxima "O poder é o melhor afrodisíaco".

Vai falar sobre "Estratégias além da negociação", olha que apropriado.

Kissinger é do tipo que domina o tema, na teoria e na prática. Enquanto literalmente fornicava com beldades e posava para fotos como esta, despachava diplomáticos B52s para metaforicamente foder com aldeias inteiras na Ásia, e só persuadia governos sul-americanos com ajuda da 7ª Frota espreitando na costa.

Assim, até eu!
07:00:00 - Pinto - 2 comentários

edredão nelas, quelas são muito bonitinhas

bem queu achava quera bom, e agora só ficou milhó:
um firme, gentil e, por fim e ao cabo, conversado amasso
lhas relaxa e remoça.
o blog, em mais um indefectível apoio à melhoria da saúde púbica, abre assim a campanha 'sobretudo grátis p/ todas já'.
01:50:50 - John Self - 3 comentários

23 Agosto

Eu me lembro

Eu me lembro de um sujeito que falava que não escrevia de graça e de outro que achava que ninguém iria gostar de ler o que ele escrevia. Lembro do dia em que recebi um e-mail de um leitor e me dei conta que ser lido é um remédio tão bom que a gente tem obrigação de passar pra frente.
20:28:33 - Sorel - 1 comentário

Fatwa

Suderj informa: Televangelista americano prega assassinato de Hugo Chávez.

E assim seguimos adiante.
17:23:59 - hubbell - 2 comentários

Tira essa mão daí, vagabundo!

xonei

Conhecia? Nem eu. Chama-se Aya Koren. Nome estranho, né? Vi pela primeira vez num filme outro dia. É atriz, israelense. Legal, né? Gostei. Quero pra mim. Onde encontra?
13:56:21 - hubbell - 6 comentários

Dos gurus da redação: prolegômenos



Problemas com o cursinho de inglês no Fisk?
Bobagem. Acesse: http://www.camaleon.com.br/vacuo/mussumgrapher.swf
Uma extraordinária ferramenta tecnológica que traduz qualquer expressão do idioma de Camões (aliás, de qualquer idioma) para o mussuniano, a língua oficial de um dos ídolos da redação. Que cantava, com seus inolvidáveis Originais do Samba, perólas como "Assassinaram o Camarão" e "Pela Dona do Primeiro Andar". Além de nos deliciar com o humor refinado em filmes como "Os Trapalhões na Serra Pelada".

Cacildis.
12:44:25 - hunter - 6 comentários

Essa coisa nojenta do urbanismo magenta

laerte dixit

(crdt : o solerte laerte, fsp, anteontem)
10:00:00 - Pinto - 11 comentários

22 Agosto

Extra! Extra!

Assim fica difícil de trabalhar. Acabo de topar, tardão da noite, com a inacreditável chamada de página d'O Globo, que desse jeito acaba virando um compêndio de bizarrices ao melhor estilo da saudosa Rudolf:

José Dirceu fará de tudo para evitar cassação.

Assoma-se uma dúvida principal nossa: tudo inté beijar na boca? Assomam-se outras dúvidas que nem ouso postar.

Outra coisa: esse negócio de se defender do "fruto de uma mente doentia", sei não. Depois do "V.Exa. provoca em mim os mais baixos instintos!" e do "Perdi o controle sobre o Delúbio!", na minha cabeça confusa as orgias das Cornerzetes viraram fichinha.
22:43:19 - Pinto - 2 comentários

A redação exibe sua preocupação com a crise que assola o Bananão

21:48:48 - hunter - 18 comentários

Jabá afinado

quatro pelo preço de uma

Mandaram via posta restante pra gente divulgar. Eu vou. Cês vão?

(crdt rb gates)
18:02:03 - Zeno - 13 comentários

Eu sabia (ou desconfiava)

Adivinha quem assina a original soundtrack do épico sobre Zezé di Camargo e Luciano?
Sim, sim. Caê, o sandeu de Santo Amargo da Putrefação.Que disse, com sua habitual sabedoria de Kant da região setentrional do país, que "o filme representa o processo final de 'desbreganização' da música sertaneja".
It´s gettin´better and better.
16:09:18 - hunter - 24 comentários

Don't mess with the kid

Pagando a dívida. Junior Wells deve ser o cantor de blues predileto de Uncle Hunter, e o genial Hoodoo Man Blues ("Hoodoo" é versão gringa da nossa umbanda, como a santería cubana e o vodu no Haiti. Tem coisa bem parecida, como a história das encruzilhadas, alusões a legiões de demônios, e patuás, "mojo", no linguajar da negada da gringolândia) foi a trilha sonora das degustações etílicas no final de semana.

Gaitista na tradição de Little Walter e Sonny Boy Williamson, com ataques vocais que parecem um soco no estômago e inflexões de desavergonhado erotismo nas baladas, Junior Wells ajudou a criar a sintaxe moderna do blues de Chicago. Elétrico, agressivo, rápido, sujo, vital. Os Stones dariam um braço pra tocar daquele jeito.
Há um ótimo disco acústico da dupla, Alone and Acoustic, em que Wells & Mr. Guy retomam as raízes do blues rural do delta. Só voz, gaita e violão. Vale conferir.

15:05:44 - hunter - Comentar

Baixaria dominical

Deu no UÓ (sempre uma notícia relevante para preencher seu dia-a-dia ocioso na frente deste micro): "Gugu fica na frente de Faustão por uma hora".

Comentário nosso: vai que ele achou até bom, mas periga acabar com as mesmas seqüelas deste aqui.
14:00:03 - Pinto - 6 comentários

Le dernier repas

Música francesa é, via de regra, inaudível. Aqueles tiozinhos tocando acordeão são dose para camelo iraquiano.
Mas o Jacques Brel era gênio (talvez porque fosse belga, e não francês).
Ele acabou sendo eternamente associado a Ne Me Quitte Pas, mas há outros versos maravilhosos em sua obra. Existe edição portuguesa dos poemas, bilíngüe, comme il faut, pela Assírio & Alvim.
Era sempre um pathos de fúria e lirismo disparados entre baforadas intermináveis de seus gauloises. Que acabaram por matá-lo de embolia pulmonar.
Le dernier repas (a última ceia) é um poemaço. Ao contrário da versão bíblica cheia de traições e hipocrisias, é um hino dionisíaco (sai pra lá, Zé Celso) ao amor, à vida, ao vinho. Mas a dor chega de mansinho, no final.
Leiam, pois. [Leia mais!]
13:12:52 - hunter - 9 comentários

O Daniel Piza. Uncle Hunter atira.

Uncle Hunter deve possuir traços masoquistas, ao contrário do que julga o resto do planeta, que o supõe uma combinação de Conte Lopes com Waffen-SS.
O masoquismo se deve ao fato de que o titio desperdiça parte de suas ressacadas manhãs dominicais lendo as inanidades perpetradas pelo sr. Daniel Piza, o nosso espírito renascentista (que, como os leitores já devem ter percebido, mora no coração do Uncle Hunter).
O sr. Piza é, claro, apenas um palpiteiro. Palpita de forma igualmente asinina acerca de literatura, música, filosofia, política e outras matérias que desconhece sobejamente. Fico imaginando se, caso eu seja atropelado, sofra um traumatismo craniano e tenha que ser operado às pressas, o nosso indômito herói não venha dar uns pitacos para o neurocirurgião.
Titio Hunter perdeu um segundo e estabeleceu a seguinte genealogia: o sr. Piza queria ser o Paulo Francis, que era um tremendo vigarista que queria ser o Mencken (que pelo menos era engraçado) que se achava o Nietzsche, aquele irracionalista alemão delirante que morreu de sífilis terciária mais maluco que o Bispo do Rosário.
Não dava pra surgir nada que preste daí, num é?
11:54:00 - hunter - 9 comentários

Revisão biográfica (para mais ou para menos, tanto faz)

De todos os presidentes que o Brasil já teve, Lula é apenas mais um deles.
11:36:37 - Pinto - Comentar

Sei, mas não digo

Para cobrar compostura do governo, os coleguinhas da imprensa bem que poderiam dar o exemplo e evitar notícias cifradas, histórias cabeludas contadas pela metade e notinhas que, para quem suspeita do enredo em potencial, beiram o achaque. Senão vejamos:

1. Hoje, o Noblat replica nota de uma consultoria afirmando que o ministro Palocci poderá "ficar no córner (grifo meu) novamente" —mesmo sobrenome da "promotora de eventos" associada ao seu ex-secretário Rogério Buratti, supostamente envolvido com uma das "recepcionistas" da sra. Corner, pivô, aliás, de uma querela entre os dois ex-aliados, segundo o mesmo Noblat. Destilar veneno é divertido, mas se já há tantas evidências do envolvimento do ministro com a putaria (refiro-me à sexual), por que a ilação? Ou foi só infeliz coincidência de termos?

2. Se, além do motel Gran Bittar, as "recepções" em Brasília ocorriam em "patrimônio público", conforme noticiou o "Painel" da Folha há dias, por que não se declinam os nomes do logradouro e de seu inquilino? Ou é só maledicência mesmo para apavorar a turminha braba e fazê-la mais dócil? Um leitor mais arguto irá cobrar: o que vocês sabem que eu não sei?

3. Se já se conhece a foto do deputado "de baixa estatura física e moral" —na indiscreta descrição da Veja—, nu, de charuto na boca, abraçado com duas garotas de programa, por que seu nome não vem à tona? E a própria foto, "que circula no Congresso", por que cintas caralhas d'água® ainda não ganhou a net? (Se forem publicá-la, tarjas pretas, por favor!)

4. Em sua coluna diária na Folha, Mônica Bergamo vem sistematicamente sugerindo coisas, mas ou sadicamente não entrega o serviço por preferir ver os envolvidos "sangrando" até morrer —para usar uma expressão atual—, ou então suas fontes a levam a caluniar groseiramente. Ontem mesmo foi advertida pelo ombudsman sobre alusões ao pagamento da coiffure da primeira-dama, supostamente pago pelo esquema delubiano. Onde está a comprovação, uma vez que o próprio cabelereiro alega que fazia o serviço de graça? Como dizem os gringos: "Where's the beef?". Ou essas pessoas são "blindadas", para usar outro insuportável termo da moda? Ou blindada por acaso é minha conduta à São Tomé?

5. Qual, afinal, a relação entre o prefeito assassinado de Santo André e seu ex-aliado Sérgio "Sombra"? Se envolvia mais do que interesses político-adminstrativos, por que as notinhas maliciosas? Quem é que precisa sair do armário nesse caso: personagens ou jornalistas? Ou ambos?

Em suma: cadê?

Qualquer tentativa de insistir com esse comportamento, responder perguntas a conta gotas, folhestinesca e homeopaticamente, sem expor a verdade à luz do sol, para mim é pura canalhice.
11:15:03 - hubbell - 9 comentários

20 Agosto

Tough guy

Você percebe, quando acorda numa ressaca kindda pós festim em bordel romano (Fellini, hein, Zenão?), ouve Chet Baker e não sofre, que se esqueceu.
Got my mojo workin´.Quando sarar do porre total (suponho, terça) Uncle Hunter exprica.

Cheers, amiguinhos. Chamaram titio Hunter para uma degustação de cachaça no boteco da esquina.
13:38:23 - hunter - 10 comentários

Je ne me souviens pas

Nothing at all. A língua parece sort of lixa, e jogaram areia nos olhos.
Uncle Hunter sapecou uma breja choca, acendeu um camelinho e promete um post sobre os blues-dinamite de Junior Wells, secundado pelo fiel comparsa, Buddy Guy, playin´ da guitar. Bad, mean, cool.
Dos quais tenho, em minha galeria de troféus, otógrafo.
11:35:45 - hunter - Comentar

19 Agosto

entreouvido no pandoro

"...pois é, os caras do pt foram trocar a foice e o martelo pela pá e o ventilador...''
21:51:54 - John Self - Comentar

Reinações de Narizinho — 2ª parte

Olhaí, gente boa: deu na Fronha de S.Paulo (um jornal que elas a-do-ram morder!) que o meu, o seu, o nosso governador Geraldo Aiquemimo aceita, mui honrado, o sacrifício de se candidatar a presidente, atendendo à pressão de amigos e correligionários —essa chusma de hereges e incréus.

De nossa parte, continuamos firmemente com Geraldo, nosso eterno e inconteste candidato ao Trono de S. Pedro, tão logo seja deixado vacante pelo Papa Nosferatu.

Que a Pomba do Divino Espírito Santo possa iluminar melhor nosso sacrossanto homem público e ele desista de uma vez de agradar aos amigos para somente agradar a Deus.
13:16:43 - Pinto - 4 comentários

Farewell to arms

Hoje é sexta-feira (no kiddin´), o que implica que titio Hunter abandonará os posts, para gáudio generalizado, que serão retomados (vaias ao fundo. Tomates.) em momento propício.
Como sou homem de hábitos morigerados, tenho que fazer uma incursão punitiva ao supermercado, donde retornarei com os despojos da seção de bebidas e uns pacotes de Camels.
Então, o plano é:
1)Ficar sloppy drunk.
2)Ouvir jazz.
3)Encher a cara.
4)Buscar conúbio carnal com alguma incauta.
5)Beber pra cacete.
6)´Tá, ler alguma coisa.
7)Enfiar o pé na jaca.

Uma última questão semanal para que os coleguinhas me auxiliem com suas luzes. Como pode ter um "Tony Bennett Unplugged"?
Antes ele fez tour mundial com o Iron Maiden?

E até o próximo treino balístico.
13:02:13 - hunter - 3 comentários

Esfíncter

Seriíssima candidata a melhor frase da semana, ou mesmo do mês, cuíca do ano, é a de José Odisseu, analisando a cagada que fez, n'O Globo de hoje:

"Eu perdi o controle sobre o Delúbio!".

Agora, se me dão licença vou ali comprar um pacote de Neve Soft, com folhas duplas e toque aveludado.
11:07:05 - Pinto - 10 comentários

Extra! Parem as máquinas! Schwarz e Bosi em pânico !

Este atento repórter foi informado através de fontes da mais insuspeita confiabilidade que o sr. Daniel Piza, aquele luminar do pensamento nativo (cujo último brilhantismo dominical foi asseverar que "as letras de Los Hermanos não envergonhariam Chico Buarque"; o filho do seu Sérgio, não sei, mas eu fui colocar óleo e conferir a munição da Magnum.357), prepara para breve o lançamento do mais recente fruto de seu engenho e erudição incontestes: nada menos -pasmem, amiguinhos- que um estudo de literatura comparada que contemplará Machado de Assis, Kafka, Poe e um quarto infeliz autor que se me esquece.
Apostando na indução, apesar das desconfianças de David Hume, Uncle Hunter não leu, não gostou, e garante que a douta obra granjeará enorme estima dos membros da redação, mercê sua inegável utilidade para a feitura de práticos porta-copos, relaxantes práticas de origami, ou emprego não menos funcional como calço de cadeiras balouçantes.
Só é de se lamentar, em nossa terra abençoada por Deus e bonita por natureza, mas que beleza, a ausência quase completa de lareiras, que adquiririam, além da função precípua de aquecedores mais bacanas e classudos, o status de higiênica crítica literária.
06:53:14 - hunter - 15 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro que era oferecida aos ávidos fãs-mirins de "Perdidos no Espaço" uma réplica bastante realística do robô, caso o felizardo infante achasse um cupom premiado, malevolamente oculto nas latas de Ovomaltine.
Tornei-me dependente físico de Ovomaltine, jamais ganhei o maldito robô, desenvolvi razoável grau de homofobia graças aos queixumes e desmunhecados temores alienígenas do Dr. Smith, e agora quero ver quem paga a conta da analista.
00:38:42 - hunter - 4 comentários

Questão de peso

"Clodovil Hernandez passa mal e é hospitalizado com dores nas costas"
00:15:25 - hunter - 9 comentários

Valei-me, Saint Bazin

Estréia filme acerca da, ér, espinhosa carreira rumo aos píncaros da glória da dupla sertaneja (o soi-disant gênero musical que é mistura teratológica de guarânia, iê-iê-iê e country de Nashville, alcunhado pela rafaméia de "música de raiz") Zezé di Camargo e Luciano.
Nada mais tocante, pensou cá com seus botões Uncle Hunter, que a versão fílmica da ascensão de uma dupla de imbecis paupérrimos, até o almejado posto de retardados miliardários. Bildung é isso aí.
A imperdível película mereceu o seguinte comentário da Reuters:
"O encontro entre o popular e o erudito acontece em "2 Filhos de Francisco... O popular está no argumento, a vida de uma das duplas sertanejas de maior sucesso no país, Zezé di Camargo e Luciano. O erudito está na opção de não ceder ao apelo fácil de procurar seduzir apenas os milhões de fãs da dupla, resultando num filme bem-produzido técnica e dramaturgicamente".
Deve ser um novo clássico da gloriosa produção cinematográfica nacional, e a crítica é digna de um Paulo Emílio redivivo. Procurarei alguma referência mais precisa nos Cahiers du Cinéma.
00:11:27 - hunter - 8 comentários

18 Agosto

Muddy Dalai

Por razões desconhecidas deste humílimo escriba que vos tecla, caiu-me hoje nas mãos, via correios (o que já é suspeito per si; talvez artimanha de algum pícaro peralvilho), um formidável volume intitulado "Amor Incondicional - como viver de coração aberto neste mundo estressante", de autoria dos mundialmente afamados Ed e Deb Shapiro.
A referida obra ostenta belíssima capa cor-de-rosa (deve ter alguma relação com a respeitável ciência da cromoterapia, methinks) e epígrafe de sua santidade, o XIV Dalai Lama (consultei um amigo entendido - no bom sentido - na árida matéria da legitimidade sucessória do líder espiritual do Tibete, que afirmou, peremptório, que esse Dalai Lama é fajuto. É como o papinho do papado de Avignon.)
Jamais furtaria aos leitores o prazer de algumas gotas sapienciais que brotam do palimpsesto, e que julgo serão ajuda inequívoca e reconfortante bálsamo em seus negros momentos de angústia nestes tempos sombrios:

"Tentar erradicar a raiva é como lutar contra a própria sombra- não funciona!"
"Prática: o despertar da compaixão. Abra seu coração ("ponte de safena?", grunhiu, entredentes, Uncle Hunter) para as dificuldades e sofrimentos de todos os seres. Seu coração é o grande transformador. Exale sua ternura, a cada respiração abrace todos os seres com compaixão".

Imbuído da compaixão sugerida pela leitura da maviosa obra, entoei um mantra ao som de Ravi Shankar, libertando-me assim da negativa idéia de arrumar um fuzil Remington (lembram-se do sniper católico do Private Ryan?) e meter uma azeitona nos cornos dos indigitados autores. Mesmo porque o desperdício de munição full-metal jacket não lhes produziria danos cerebrais irreversíveis, por motivos óbvios.
20:45:52 - hunter - 2 comentários

O genro que sua mãe pediu

miss simpatia

Atendendo aos pedidos desvairados e ameaças de suicídio em massa do público feminil, uma foto que, além de ressaltar a beleza deste Adônis tropical, exibe algo de minha solar e cordata personalidade.
Uma frase para que a correção política que tanto prezo também não passe despercebida:"Bill Clinton does not inhale marijuana, right? You bet. Like I chew on LSD but I don't swallow it.'"
20:33:39 - hunter - 9 comentários

Conhece a do gato no telhado?

Manchete de ontem do insuspeito Hora do Povo, leitura obrigatória e fonte de inspiração de toda a equipe aqui do blogue: "Duda confirma na PF e na CPI: Campanha de Lula não teve caixa 2".

Zeno, Hunter, Sorel, Hubbell, Self: conto eu ou contam vocês?
19:25:18 - Pinto - 3 comentários

Reinações de Narizinho

"Hoje à noite, na pizzaria Macedo, no bairro de Itaim-Bibi, em São Paulo, um grupo de amigos de Orestes Quércia (PMDB) lançará de surpresa a candidatura dele ao governo do Estado no próximo ano."

Uma equipe do blogue, capitaneada pelo nosso novo membro, far-se-á presente emprestando toda solidariedade ao governador, para que não se sinta constrangido, censure sua leva de amigos insanos e os proíba de repetir tamanho descabimento.

(crdt pela boa nova: noblat)
19:13:01 - Pinto - 7 comentários

PLEASE!!!!!!!

"PLEASE!!!!!

Olha!!! Me faz um favor!!! Vai assistir a "Sin City"!!! Não deixa passar não!!!! Deixe-se transportar para os quadrinhos, pela confortável cadeira do cinema... Escolha sua história de amor, viva a fantasia da mulher ideal e do homem cafa-herói... Acomode-se... Viva o preto e branco e veja como tudo fica mais romântico e forte e que, quando vem a cor, faz jus reparar... Eu queria ser a Goldie, e você? "


Blog da Luana Piovani

Lôco, né?
18:21:49 - Sorel - 5 comentários

Seis por meia-dúzia

Finalmente um livro desbanca o "Código Da Vinci" do primeiro lugar da lista de mais vendidos: é "O monge e o executivo", aliás da mesma editora, informa o Valor Econômico de hoje.
17:18:54 - Pinto - 1 comentário

Uma ilha de absoluto na desordem

Dos prazeres da vida (não, nada de gorjeios de sabiá e quejandos bucolismos): caixinha do trompetista Clifford Brown, Brownie, gravadora Emarcy, dez cds.
Brownie morreu aos 26 anos (1930-56), sem ter atravessado o habitual calvário de alcoolismo e adição em drogas, em um estúpido acidente de automóvel (o irmão de Bud Powell, que o acompanhava, foi também fazer uma jam no empíreo). Reza a lenda que os jazzmen não tocaram nesse dia.
Estilo: Clifford Brown combinava o ataque impiedoso e a velocidade dos boppers (especialmente, Fats Navarro e Dizzy Gillespie; os discos de Clifford com o infernal baterista Max Roach trazem solos supersônicos) ao lirismo e contenção nas baladas, como o melhor Miles do Birth of the Cool. Resumo da ópera: uma espécie de Louis Armstrong (dos twenties, antes de virar palhaço pra divertir burguês branquelo) e Chet Baker (muito melhorado), num sujeito só.
Vocês têm internet, entonces, não preciso dizer mais nada. Boa garimpagem, meninas.
Trechinho do Cortázar, que ao contrário dos delírios pretensiosos de certo adiposo senhor, tocava trompete e era escritor de verdade, quando da morte de Clifford Brown: “Cuando quiero saber lo que vive el shamán en lo más alto del árbol de pasaje, cara a cara com la noche fuera del tiempo, escucho más una vez el testamento de Clifford Brown como um aletazo que desgarra lo continuo, que inventa una isla de absoluto en el desorden. Y después de nuevo la costumbre, donde él y tantos más estamos muertos”.
14:51:00 - hunter - Comentar

Sob o patrocínio de Winchester '73!!

Cansados de negar os rumores da blogosfera – e os há, tantos e tão maledicentes nas últimas semanas, que fica difícil separar o jongo do caxambu –, confirmamos que sim, o blog Hipopótamo Zeno, qual octópode/jabuti a espalhar tentáculos pelos talentos literários brasileiros, traz para os leitores e leitoras ("especialmente as leitoras", ouço em minha Inbox) seu mais novo colaborador, Hunter S. Thompson, verdadeira fênix renascida da espingarda e cujo nom de plume não deixa dúvida sobre a índole politicamente correta, bonachona e sestrosa de seu proprietário. A ele, pois:

Após dificultosas negociações, a parceria MSI-Zeno adquiriu meu passe, e inicio colaboração neste prestigioso orgão da imprensa nativa. A diferença entre o Zeno e os demais veículos da mídia é que aqui, pelo menos, você sabe que não vai receber nem um copeque ou dinar iraquiano. Tirante régia paga em ambarino néctar escocês, e cometo aqui uma inconfidência: costuma haver uma garrafinha na redação, suponho mimosa homenagem dos escribas ao falecido Pasquim.
14:48:59 - Zeno - 8 comentários

É a lama, é a lama

Hip, hip, hurra!

O instantâneo registra a mais recente convenção de membros e admiradores deste blogue.

Nenhum jamais foi comprovadamente envolvido nas falcatruas em Brasília e tampouco teve seu nome anotado no caderninho da tia Jeany.

O Zeno é aquele ali de locomotiva do trenzinho.
13:58:36 - Pinto - 2 comentários

Sin City?

Sin City?

Parece filme ruim mas é só realidade ruim mesmo: menino observa através do vidro soldados israelenses se aproximando de sinagoga. A foto é da Reuters, via UOL.

Enquanto isso, eu me envergonho de ver Ariel Sharon polindo a biografia ao dizer que deixem os soldados em paz e responsabilizem a ele pela retirada dos colonos judeus da Faixa de Gaza. Vê se aprende, Excelência.
13:53:01 - Pinto - 2 comentários

17 Agosto

Disney

"Mickey e Donald sabiam, mas o Pateta, não".

(Cartaz que faz sucesso na manifestação malsucedida da oposição ao governo Lula na Esplanada dos Ministérios.)

(crdt: noblat)
14:02:19 - Sorel - 3 comentários

Finalmente um homem de verdade

varão

Para aplacar polêmicas, Montgomery Clift. No dizer de um biógrafo, "a beautiful loser".

(crdt foto: roddy mcdowall)
12:32:55 - Zeno - 14 comentários

16 Agosto

Desterro sanitário

Eu me envergonho de assistir diariamente a uma sucessão de bestas humanas puxando carroças, congestionando o sempre terno trânsito desta cidade, para revirar lixo doméstico em busca de recicláveis.

Me envergonho mais ainda de saber que o triste espetáculo é agravado porque as madames de fino trato não têm o cuidado de selecionar o lixo real que produzem —porque se formos tratar do lixo figurado, então não haverá reciclagem que chegue.
14:00:00 - hubbell - 11 comentários

De botequim

Noite passada presenciei o diálogo entre dois, aham.., filósofos. Um escreve aqui no blogue, outro vai escrever. Por razões óbvias, não posso diZEr Nada que pOssa ser utilizado para identificar o autor das pérolas abaixo:

Sobre a sexualidade na Antiguidade:
- Aristóteles sentava legal...

Sobre um texto espinhoso que tentava finalizar:
- Putz, coloquei uma frase do Sartre e aí ficou ótimo.
11:51:44 - Sorel - 3 comentários

Desilusão, ai!

Pitt stop

Já que neste blogue não existe homem suficiente pra atualizar a seção Iluminuros (vulgo nosso papel pega-moças, digo, moscas digital), eu assumo, em alto e bom som, que acho bonito o Brad Pitt —a quem, aliás, se atribui a paternidade do filho de um dos membros do blogue. Não vou diZEr o NOme, até porque isso é outra história.

Confesso, entretanto, que depois que vi o Rubens Ewald Filho revelar que, além de não ter modos à mesa, Brad Pitt é meio seboso e tem a pele ruim, perdi um pouco o tesão.
08:00:00 - hubbell - 22 comentários

15 Agosto

Liga pra mim, não liga pra ele

Lê-se no Noblat (que precisa ser urgentemente apresentado ao advento do permalink) que a "promotora de eventos" Jeany Mary Corner, apontada "a messalina do Mensalão", ameaça divulgar sua agenda de telefones "caso algo de mau lhe aconteça".

Lê-se também que periga quebrarem-lhe o sigilo telefônico, ou mesmo virem à tona fotos de celulares de excelências "vestidos" apenas com Cohibas legítimos.

Aguardando mais sugestões, aqui vão as possíveis manchetes de um Notícias Populares redivivo:

"Congresso joga pedra na Jeany"

"Promotora revela os anais da República"

"Jeany Corner ameaça mandar todo mundo pra escanteio"

"Parlamentar é flagrado com charuto na boca alheia".
19:06:34 - Pinto - 4 comentários

Campanha HZ pelo melhora do humor no país

Incentive a doação temporária de órgãos.
15:05:05 - Zeno - 10 comentários

Palestino, você merece um Zabo em Gaza

Deu no Estado: "(...) Colonos judeus também enfrentaram as forças de segurança israelenses no norte da Cisjordânia, depois que o Exército tentou fechar a área dos assentamentos que serão evacuados: Shavei Shomron, Homesh, Sa Nur, Kadim e Ganim. (...) Pouco tempo depois, um grupo de jovens radicais judeus do assentamento de Kfar Darom se dirigiu em direção à passagem fronteiriça para se manifestar contra o fechamento da Faixa de Gaza. Ao mesmo tempo, centenas de jovens do bloco de assentamentos de Gush Katif, no sul de Gaza, incluindo moradores e infiltrados ilegais, fecharam as portas de entrada da colônia de Neve Dekalim, capital do bloco e onde estão cerca de 2.500 pessoas.

(crdt al neehnaah)

(para mais zabos, clique aqui)
12:09:50 - Zeno - 2 comentários

Que fim levô Irène Jacô?

A fraternidade é vermelha
07:30:00 - Pinto - 3 comentários

14 Agosto

Post extraordinário

Interrompemos a modorra do domingão paterno para ilustrar este blogue com a inacreditável chamada de capa do venerando O Globo sobre a coluna de Artur Xexéo: "Dei para me pegar chorando assistindo ao 'Jornal Nacional' ".

Comentário nosso: porque bem quis.
13:32:31 - Pinto - 1 comentário

Etilíricas

bar guerra fria

eu torpedo

ela countermines
07:27:00 - Zeno - Comentar

13 Agosto

Adiós, muchacho

A gente fica de olho nas coisas boas —a CPI, o risco-país e a incomPTência dessa gente que não sabe nem roubar direito— e deixa de registrar as ruins, como o silêncio de Ibrahim Ferrer, que se foi há uma semana.

"Impressionante como esses nonagenários estão morrendo", observou uma amiga.
08:00:00 - Pinto - 1 comentário

12 Agosto

Seis manchetes positivas sobre o assalto aos cofres federais (no caso, do BC)

1. Túnel é concluído em prazo recorde em Fortaleza

2. José Dirceu não sabia, diz PF

3. Governo não é responsável por rombo no BC

4. Parceria Público-Privada injeta 160 milhões na economia

5. BC abre linha de crédito com juro zero

6. Pequena empresa sai do buraco com lucro de 160 milhões

(crdt : rr, que está se especializando nisso. digo nas manchetes, não em assaltos)
18:03:44 - Pinto - 4 comentários

Rápida digressão sobre outras dúvidas que se abatem sobre o país

Chalita ou não Chalita?

Gabriel Chalita?
17:42:01 - hubbell - 9 comentários

Paz e Amor

Como diria o Tutty Vasques (e, se não disse, vai dizer), o pronunciamento do Presidente foi considerado "pífio" pela maior parte dos analistas. O diagnóstico é claro: faltou a assessoria do Duda Mendonça.
14:16:05 - Zeno - 4 comentários

Resposta a Diálogos misóginos depois de meia garrafa de uísque

-Quiéqui tu acha de beltrano?
-Beltrano? Beltrano é lámen.
-?
-Três minutos e ele tá pronto.

(crdt nena)
14:05:39 - Zeno - Comentar

O ser é e o não-ser não sei

Apesar das presenças, na equipe de redação, de um iluminista, dois hegelianos, um filósofo genérico in natura, um palmeirense e um Alcebíades redivivo, este é um blog que fala pouco de filosofia – para o bem de ambos. No entanto, efeméride prestes a acontecer nos faz voltar ao nobre assunto. Seguem os melhores títulos de comunicações de um simpósio sobre Nietzsche a ser realizado no final do mês de agosto:

Nietzsche e o acabamento da metafísica.
Pensar contra Nietzsche: uma perspectiva feminina.
Nietzsche objeto de violência hermenêutica.
O estatuto do negativo e do transbordamento em Nietzsche.
Nietzsche: um tipo asceta.
Foucault: uma ameaça à nobreza de Nietzsche.
Nietzsche, a "besta loura" e a eugenia.
A verdade do sexo: Eros novamente envenenado?
12:06:19 - Zeno - 6 comentários

Etilíricas

bar musical

eu ária

ela área
07:23:00 - Zeno - 9 comentários

11 Agosto

Cabeça Dinossauro

22:22:16 - hubbell - 1 comentário

Diálogos misóginos depois de meia garrafa de uísque

-Quiéqui tu acha da fulana?
-Fulana? Fulana é lenhadora.
-?
-Não pode ver um pau de pé que já quer derrubar.
19:00:22 - hubbell - 5 comentários

É com esses que vamos

Olha só quanta gente boa vai para o Pantaleão, digo, Panteão da Moralidade Nacional quando toda essa poeira baixar:

Onyx Lorenzonyx
Oresques Tércia
Arthur Vargínio Neto
Acemão e Aceminho
Cesar e Rodrigo Mala, aliás Bobby Bibo Pai e Bobby Filho
Heloisa Helenda
Rouberto Chefferson
Alberto Goldemão, o preferido da Editora Abril
Eduardo Paespalho
Anthoninho e Rosy Garotinho
Geraldo Alckmimo
Jorge Borntobehausen
Severíndio Cavalinho

E outros menos votados —socorram-me os amigos de Brasília para reparar as eventuais e imperdoáveis omissões à lista. Não é um alívio? Enfim este país será entregues a pessoas da mais alta e ilibada reputação, descomprometidos com tudo o que de podre está aí sendo revelado, eleitos sem caixa dois, avessos às mandrakarias financeiros-publicitárias, que haverão de nos conduzir desta para uma melhor. Literalmente.
17:22:43 - Pinto - 8 comentários

No centro da rinha

Dr. Zaius, I presume?

No mais, é como diria Doida Mendonça —se não disse, pensou: "Quando eu marquetava para o Maluf, nunca fui envolvido em corrupção nenhuma". É fato. Profissionais são profissionais.

O publicitário, aliás, está cada dia mais a cara do Dr. Zaius, você se lembra muito bem de onde.
17:02:52 - Pinto - 2 comentários

Enquete Hipopótamo Zeno

Nestes tempos de naufrágios das moralidades e de flibusteiros à deriva (com a honrosa exceção do conhecido almirante), nosso blog, alarmado com as receitas decrescentes dos grandes conglomerados de mídia (alguém tem de se preocupar com eles, ora), lança a pesquisa: quais são as três músicas mais esquisitas (inconfessáveis/inesperadas/exclusivas/etc) que vocês têm em seus arquivos piratas de mp3?

Pra incentivar, a primeira lista, aqui do nosso HDzinho, mesmo:
1-Frank Sinatra, There'll be a hot time in the town of Berlin.
2-Tommy James & the Shondells, (My baby does the) Hanky Panky.
3-Carla Bruni, Le plus beau du quartier.
12:57:55 - Zeno - 16 comentários

Gastrolíricas

restaurante le vin da alameda tietê/sp

ela tartar

ele canard
07:25:00 - Zeno - Comentar

10 Agosto

Eu me lembro

Eu me lembro da pichação “‘Deus está morto’. Assinado: Nietzsche. ‘Nietzsche está morto’. Assinado: Deus”. E da parente desta: “Marx está morto, Nietzsche está morto, Freud está morto e eu mesmo não ando me sentindo muito bem ultimamente”, que podia receber algumas variações conforme a disposição fúnebre e a filiação a tal ou qual corrente: “Lênin está morto, Trótski..., Stálin..., etc.”.
07:50:00 - Zeno - 1 comentário

Etilíricas

bar numa quebrada

eu acabando

ela inteiraça
07:22:00 - Zeno - Comentar

milhos e milhas



conheça o interior para valer.
se deixe levar pela botucatur.

foto ss.
01:51:20 - John Self - 1 comentário

09 Agosto

O Jardineiro e a Morte

Relato de um nobre persa: "Hoje pela manhã meu jardineiro procurou-me apressado e pálido de susto: 'Por favor, Senhor, ouça meu relato! Estava eu a cortar rosas durante a aurora quando percebi, em pé atrás de mim, a Morte. Tomado de pavor, saí correndo, mas ainda tive tempo de vê-la me ameaçando, com a mão a fazer sinais. Caro Senhor, rogo-lhe seu melhor cavalo, e rápido, pois antes do anoitecer pretendo chegar a Isfahan.' À tarde, e há muito meu jardineiro partira, estava passeando pelo bosque de cedros e lá encontrei a Morte. 'Por que', perguntei do modo mais correto possível, 'você fez ameaças a meu servo hoje pela manhã?', e ela sorriu: 'Mas não foi nenhuma ameaça o motivo da partida tão súbita do servo. Apenas me surpreendi de encontrar o jardineiro aqui, pois à noite tenho de buscá-lo em Isfahan'".

Adaptado dos versos do poeta holandês Pieter Nicolaas van Eyck (1887-1954), citado por Cees Nooteboom em seu livro Im Frühling der Tau.
15:20:20 - Zeno - 4 comentários

Múltipla escolha

Por que as acompanhantes contratadas para animar as festinhas das excelências nos cinco estrelas da capital da República são importadas de São Paulo?

a. O DF carece da mão-de-obra especializada.

b. Puta em Brasília dá expediente no Congresso, não em hotel.

c. Paulista é que não perde essa mania de ser metida.

d. DNA, quer dizer, NDA.
09:00:00 - Pinto - 6 comentários

08 Agosto

Eu me lembro

Eu me lembro das mocinhas que vendiam Yakult de porta em porta, arrastando carrinhos de feira adaptados e recomendações expressas de "apenas uma garrafinha por dia!". Menos, suponho, por conta de possíveis desarranjos intestinais e mais por rombos nos apertados orçamentos domésticos de então.
20:41:00 - Zeno - 5 comentários

Etilíricas

barzinho no Village

eu: screw?

ela: drive!
20:17:05 - Zeno - 3 comentários

Bi Gol

Parece jogo com placar de 2 X 0, mas é um daqueles "nomes abecedário" que caracterizam os restaurantes coreanos. Este fica na Aclimação, e foi onde três dos membros mais ativos deste blogue —vocês não conhecem, não— estiveram sábado numa incursão etílico-gastronômica, a tratar de assuntos republicanos e não republicanos. Ao contrário do que esperávamos, a famosa pimenta coreana não se fez tão presente, e o tal do Bul Gol Gui, o churrasquinho adocicado deles, combinou muito bem com o Soju, um surpreendente saquê com cevada e ervas.

Além do indefectível arroz, uma grande variedade de acompanhamentos vai distraindo o apetite enquanto a carne assa sobre uma chapa com um molho aguado. O Kimchi, conserva apimentada de acelga que faz muito bem à memória, me causou problemas para pegar no sono e, portanto, talvez seja mais apropriado ir ao almoço, mas nada que a boa relação custo-benefício não tenha valido a pena. Acostumado à bazófia dos restaurantes populares chineses, achei o lugar um tanto asséptico, mas vai ver foi obra da ocidentalização ou da Vigilância Sanitária.

Nota: 8,0 miojos.
14:23:24 - hubbell - 5 comentários

Mora na Filosofia

Deu no Glóbulo: "Escolha de capa da 'Playboy' provoca polêmica na USP".

Comentário de uma gaiata colaboradora aqui do blogue, vocês não conhecem não: enfim um concurso em que também as aprovadas levarão pau —isso ela não disse, mas aposto que pensou.
13:06:53 - Pinto - 3 comentários

Uma boa segunda-feira pra vocês, também

argumento ontológico da existência de deus
07:17:00 - Zeno - 9 comentários

05 Agosto

Óinc!

Assim se passaram dez meses

A situação está pecuária.

(crdt : vanessinha)
21:24:02 - Pinto - 1 comentário

Dois pesos, a mesma medida

Dois exemplos didáticos de como os tucanos —que, como sabemos, não corrompem nem são corrompidos— gerenciam a coisa pública:

1. Em apenas dois dias, a Anatel, agência reguladora concebida no modelo de privataria social-democrata, conseguiu cassar a liminar que extinguia a cobrança de assinatura telefônica. Alegou um justo respeito aos contratos. Pelo mesmo motivo e com a mesma rapidez, a agência poderia fazer com que as operadoras cumprissem o que está nos contratos e prestassem um serviço minimamente decente, mas estranhamente não faz. Clientes da Claro, Vésper e Embratel —na verdade, a mesma empresa, mas pra quê concorrência?—, e não apenas eles, sabem o que é isso.

2. O prefeito José Serra avalia a possibilidade permitir a táxis sem passageiros transitar nos corredores de ônibus de SP (os com passageiros já o fazem, caso não o saiba o leitor que tem o privilégio de poder viver decentemente noutro lugar). Inverte-se aos poucos uma premissa básica de prioridade no trânsito, já que um táxi não se encaixa no conceito de transporte coletivo, mas como explicar isso a uma gente que desde a mais tenra idade é acostumada a se locomover de carro blindado e com motorista, e só usa transporte público quando faz sightseeing em viagem ao exterior?
16:03:25 - Pinto - 1 comentário

A vida é feita de decisões

"Como dizia Himmler: 'Me tira do sério que alguém possa ser ao mesmo tempo judeu e alemão. É preciso saber escolher seu campo'".

Pierre Desproges. Quem? Vá, veja e divirta-se.

(crdt matthieu r.)
13:00:09 - Zeno - 2 comentários

Maratona Gay

Deu na Inbox: "Chegou Alexandre! Corra já para a Blockbuster!"
12:23:47 - Zeno - 1 comentário

Pequena Contribuição para o Aclaramento de Novas Expressões da Língua Portuguesa

"Não–republicano"

Epíteto polissêmico recém-incorporado ao idioma, com origem presumível no período helênico (donde o dito "o arroz à grega é um prato não-republicano") ou romano ("Joguem o não-republicano aos leões!", Píndaro, Odes Píticas). Seu significado foi se alterando ao longo dos séculos (nos elisabetanos, "É a praga dos tempos, quando os cegos lideram os não-republicanos", Shakespeare, Lear) e hoje podemos afirmar que a expressão recobre pelo menos três acepções diferentes: a) serviço ou atividade executado com pouco esmero ("que raio de conserto não-republicano você fez no virabrequim?"); b) prática ilícita de jogos de salão, carteado, tômbola e similares ("Varamos a noite, eu e o Zé, jogando um Pif-Paf não-republicano"); c) putaria lúbrica e/ou da grossa ("a primeira vez que tive uma relação não-republicana foi com a Carminha, na oitava série, em cima de uma mesa de ping-pong bamba").

(para conhecer outras contribuições vernaculares, clique aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui)
11:16:24 - Zeno - Comentar

Diálogos pedagógicos

- Por que você não bola um curso de Estética que misturasse com o de História, tipo que fosse do presente para o passado, sabe?

- Sei.

- Um olhar retrospectivo, das ruínas, meio Benjamin, sabe?

- Sei.

- Que saísse dos dias de hoje e chegasse ao Egito Antigo, ou à Grécia, sabe?

- Sei. Acumula milhagem?
09:55:43 - Zeno - 10 comentários

04 Agosto

2006, uma má idéia

Tem gente que não perde uma oportunidade de ficar calado. Com a fama de pinguço que não lhe deixa, ainda me sai com essa de "vão ter que me engolir", franca e sinceramente!

Puro ou com gelo, Excelência?

PS — E por favor, Excelência, não vamos botar a mãe do meio, que Vossa Excelência já nem tem mais idade pra isso.
15:46:06 - Pinto - 7 comentários

O tom de um outro Zé

Eu me lembro que o Edifício Itália, alto, majestoso e belo, era o rei da avenida Ipiranga... até que um dia apareceu o prédio do Hilton Hotel.

Me lembro também que, entre a Augusta e a Angélica, eu encontrei a Consolação, que veio olhar por mim e me deu a mão.
15:42:43 - Pinto - Comentar

C.q.d.

Segundo o flanelógrafo, a nota de ontem não tinha fundamento.
10:18:24 - Pinto - 2 comentários

Lexotan

Às vezes é bom ter insônia. Porque tendo insônia calha de assistir a programas como o do Jô, ontem. Quatro mulheres discutiam a crise política. Duas Lúcias, inteligentíssimas, Guimarães e Hippolito, contrabalançavam a presença de Lillian Witte Fibe, com seus esgares e espantos de uma dona de casa da Zona Leste, e Cristiana Lôbo, "uma criatura com um repertório limitado de idéias, quase todas pró-tucanos", como escreveu um amigo.
10:13:44 - Pinto - 9 comentários

Batman Begins (2005)

Um super-herói com boquinha de chupar ovo.
10:00:00 - Pinto - 3 comentários

03 Agosto

Bonus track

Cesar Maia, que se finge de louco apenas para conseguir pôr as mãos na chave do hospício, notou em seu blogue que a Folha já escolheu seu candidato para 2006, em editorial do dia 1º.

A candidatura Serra tem a vantagem adicional de deixar os 20 milhões de paulistanos à mercê de Gilberto Quem Sabe, um homem acima, abaixo e ao lado de qualquer suspeita.

Afora isso, que o texto omite como convém, nenhuma novidade. Mas poderiam ter mencionado que Serra, além de lindo, tem o cabelo bom (d'après Noblat Coiffure). A íntegra:

A entrevista de Serra

Em entrevista publicada ontem por esta Folha o prefeito de São Paulo, José Serra, não deixou dúvida sobre o profundo interesse com que observa o quadro político nacional. Analista arguto, áspero em alguns momentos, discorreu sobre a crise de um ponto de vista alto o bastante para distanciá-lo da disputa política ordinária -mas não da evidência de que está atraído pela perspectiva de disputar a Presidência.

Falou ao jornal um político que, tendo se preparado para governar o país, foi derrotado por um adversário cuja gestão, além das evidentes fragilidades políticas e administrativas, provou-se contaminada por desvios e nociva ao fortalecimento da cultura republicana.
[Leia mais!]
15:39:03 - Pinto - 6 comentários

Mercado aquecido

Deu no UOL: "Analice Nicolau e Cynthia Benini: dupla é dispensada do jornalismo do SBT. O currículo das apresentadoras está sendo examinado palmo a palmo pela redação do blog Hipopótamo Zeno. O mercado fala em dois milhões, mas ambas as partes negam". Como afirma o sítio pessoal da Cynthia, "a globalização não é só uma questão política e econômica para a humanidade".
15:15:56 - Zeno - 13 comentários

Aqui não tem Chanel

Deu no venerando O Globo, na coluna do Ancelmo Góis, o flanelógrafo do Brasil (é só chegar lá e espetar uma notinha; amanhã alguém espeta outra versão por cima e por aí vai): "A Chanel, símbolo de elegância, cancelou seu contrato com a Daslu, a megaloja de luxo paulistana investigada pela Polícia Federal".
15:04:43 - Pinto - 1 comentário

Alívio antecipado

Falta pouco mais de um ano. Termina essa ópera-bufa, a imprensa fica de novo míope e rouca, os tucanos retomam o poder e essa roubalheira tem um fim, que eles não são disso. Assinado: Velhinha de Taubaté.
00:20:28 - Pinto - 6 comentários

02 Agosto

Mais piada pronta

"Tenho plena convicção, sr. presidente, de que sou absolutamente Inocêncio."

— José DiRRRRceu, falando há pouco na CPI (Circo Para a Imprensa).
16:09:13 - Pinto - 7 comentários

Ingressos à venda!

Sabre de luz

(Rio de Janeiro/SP - HZ) Em mais um furo de reportagem, nossa equipe flagra um momento descontraído da milionária campanha para o lançamento mundial do sexto episódio da série Star Wars: da esquerda para direita, Princesa Padmé, Darth Vader, C-3PO e Tenente Uhura.

(crdt foto: oesp)
11:54:11 - Zeno - 3 comentários

O bom do Brasil é o argentino

Por culpa das turbulências recentes do Mercosul, estamos há tempos devendo uma dica preciosíssima: com vocês, diretamente dos pixels do jornal Página 12, uma palhinha de Daniel Paz, vulgo que aconteceria se o Jaguar tivesse nascido na Argentina algumas décadas depois.

consertos e remendos

mensalón

tive uma idéia!

(crdt: nena)
10:07:20 - Zeno - 3 comentários

"Não é a mamãe!"

Capa do UÓ, citando a Caras: "Caroline Bittencourt apresenta a filha à maior ave do mundo".

Eu duvido que se os redatores desse troço não se divirtam muito com essas chamadas.
10:05:15 - Pinto - 1 comentário

01 Agosto

Ela voltou!

A boêmia voltou, novamente.
10:51:33 - Pinto - 5 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: August 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.