:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Todos

Todos os posts do mês. Para selecionar uma seção, clique no menu ao lado.


.:: mês anterior :: :: :: :: November 2003 :: :: :: :: próximo mês ::.

29 Novembro

Rubem Alves II

Uma educadora de primeira linha defende Rubem Alves (não a teoria em questão, mas a obra). Descubro que ela não está sozinha. Tento explicar que é como Roberto Carlos: a melodia até pode ser boa, mas a rima é muito ruim.
02:00:19 - Mathieu - 3 comentários

27 Novembro

Vestibular

Rubem Alves defende na Folha que o vestibular seja trocado por um sorteio, proposta que ele mesmo chama de utópica, insólita e 'aparentemente' absurda, mas que parece levar a sério. Oferece 5 argumentos interessantes. Dizem que assim que conseguir este feito volta suas enegias para a construção de um moto-perpétuo.
16:33:24 - Mathieu - 4 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro que com um DeLorean pode-se voltar no tempo, desde que você tenha instalado um capacitor de fluxo em 'Y'. E que você vai precisar de urânio enriquecido, lixo residencial ou um raio na hora certa. Lembro também que uma máquina a vapor pode ajudá-lo a atingir as 88Mph necessárias à viagem.

(Com a colaboração de uma menina de 20, mas que sabe das coisas)
15:34:05 - Mathieu - Comentar

Eu (não) me envergonho

Eu (não) me envergonho de ouvir funk “pancadão”. Pum, pum, pum, as cachorras, pum, pum, pum, as preparadas, etc. Gosto dessa pujança lírica.
08:55:42 - Zeno - 8 comentários

Nunca é tarde

“Os meu trinta e nove outonos estão, como sempre, às ordens das tuas vinte e cinco primaveras”

Artur Azevedo

(da série “Epígrafes manjadas porém incontornáveis”)

(homenagem do blog ao aniversariante da semana que vem)
08:47:20 - Zeno - 5 comentários

Eu me lembro – Natal, bailes e aparelhos

Eu me lembro que os enfeites da árvore de natal quebravam. E que isso era motivo de stress familiar. E que havia umas pastilhas colocadas na base dos soquetes para fazer as lâmpadas da árvore piscarem. E que no primeiro baile que eu e uns amigos "produzimos", usamos essas mesmas lâmpadas de natal pra dar um clima. [Leia mais!]
08:41:29 - Zeno - 1 comentário

26 Novembro

Eu também me envergonho

Eu tenho vergonha de conhecer vocês... eu passei incólume às canções da Simone. Ri da Fafá de Belém.... Bee Gees, caray... nem pensar. Mas, Sorel, Wando é o pior!
21:56:34 - bandini - 5 comentários

Eu me envergonho

Eu me envergonho de ter visto um show da Simone no Ginásio do Ibirapuera, final dos anos setenta. Já rolava chuva de calcinhas no palco. Minha namorada, curiosamente, gostou.
20:08:01 - Zeno - 5 comentários

Eu me envergonho

Eu me envergonho de ter gostado do primeiro hit da Britney Spears, de gostar da 'Tô nem aí' e de ainda gostar dos Bee Gees. Eu também tenho 2 CDs do Wando.
19:59:39 - Sorel - 3 comentários

Coisas das quais eu me envergonho

Inauguro a pseudo seção 'Eu me envergonho', inspirada obviamente na 'Je me souviens', esta sim uma seção de verdade. Esta pseudo seção nasce das inúmeras vezes em que a auto-censura evitou que um 'Eu me lembro' fosse postado. Diante do farto material não era mais possível ignorá-lo. Nada tem do 'é uma vergonha' casoyano. São pequenas vergonhas pessoais mas de difícil confissão. Singela homenagem a todos que não são príncipes e que andam levando porrada por aí.
19:53:32 - Sorel - 5 comentários

Bares da Vila Olímpia

A filial brasileira do Triângulo das Bermudas existe e fica situada na Vila Olímpia, na esquina da Atílio Innocenti com Jesuíno Cardoso. Não há Dante que descreva aquilo. A maior concentração de babacas de estrita observância por metro quadrado, superando em muito os limites estipulados pela Saúde Pública para aglomerações desse tipo. Alguém poderia protestar: "Pô, minha tia mora ali por perto!". Como na piada da cidade pequena com putas e jogadores de futebol, nós diríamos: "Foda-se!". [Leia mais!]
10:44:51 - Zeno - 12 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro do dia em que instalaram o primeiro bungee jump na cidade de São Paulo. Ficava no estacionamento de um shopping center e que quando estava pra entrar na fila, olhei pra barriga da minha mulher grávida e desisti da idéia.
01:32:00 - Sorel - Comentar

Cherry 2000: ela é loira, linda e jovem para sempre

cherry
O ano é 2017 e a piada começa aí. O filme é de 1987 e vamos lembrar que na época as pessoas ainda achavam que o mundo do século XXI seria apocalíptico, baseado em tecnologias por serem descobertas, que a violência estaria fora de controle e que ao redor das cidades existiriam zonas onde o estado e a lei não entrariam. E Cherry 2000 é uma andróide loira, linda e jovem para sempre. [Leia mais!]
00:46:02 - Mathieu - 20 comentários

25 Novembro

Titãs do ié, ié, ié

É com pesar que anunciamos o novo disco daqueles que já foram conhecidos como os Cabeça Dinossauro, os Sonífera Ilha, os Flores de plástico, os Oblésqueblom. Um triste fim para os roqueiros da nossa geração.

Reproduzo a primeira estrofe e refrão:

"Quando não houver saída/ Quando não houver mais solução/ Ainda há de haver saída/ Nenhuma idéia vale uma vida (*)/ Quando não houver esperança/ Quando não restar nem ilusão/ Ainda há de haver esperança/ Em cada um de nós, algo de uma criança

Enquanto houver sol, enquanto houver sol/ Ainda haverá/ Enquanto houver sol, enquanto houver sol"


Atente para as rimas saída/ vida, solução/ ilusão, esperança/ criança. Estou passado. É só tristeza e melancolia que não sai de mim, não sai de mim, não sai. E esta é a música de trabalho, ou seja, a que consideram de melhor apelo. Não vou escutar as outras. Eu me lembro do Radar Tan Tan, do Rose Bombom e do Circo da Augusta. Respeito minha memória.

Se quiser sofrer também, escute aqui. A seguir, a letra toda. [Leia mais!]
11:40:51 - Sorel - 6 comentários

Carla Bruni é a mais bela do bairro

Salvo engano, o CD extraordinário que a modelo barra atriz barra epifania dos deuses lançou no final do ano passado, "Quelq'un m'a dit", não chegou por estas bandas tropicais ou teve repercussão anódina. Injustiça da grossa, porque a bolacha fina da moça surpreende até quem reza pela cartilha do mau humor antiestablishment. E se não bastasse a dúzia de canções irônicas e amorosas, tem também o encarte. Com fotos. Muitas. Garantimos que é melhor que o da Preta Gil.
11:40:06 - Zeno - 2 comentários

Dois pesos, duas medidas

Sobel defende a pena de morte. Hebe, idem. Sempre achei que eles tinham alguma coisa em comum além do penteado extravagante. Sinto-me vingado.
11:10:51 - Sorel - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro de ver o incêndio do Joelma pela TV, das pessoas se jogando do alto do edifício e de não ter consciência do horror que aquilo tudo significava. Quase 20 anos depois trabalhei com um dos sobreviventes e nunca tive coragem de falar com ele sobre o assunto.
01:21:00 - Sorel - 1 comentário

Eu me lembro

Eu me lembro de um amigo que encarou uma noitada de bebedeira profissa numa pastelaria (sic) e depois vomitou tudo na fachada de vidro de uma agência de banco que acabara de falir por aqueles tempos. O troço ficou grudado lá durante anos (massa falida, sabe como é) e sempre que a gente passava em frente dava uma sensação de orgulho secreto – we few, we happy few, we band of puking brothers.
01:18:31 - Zeno - 2 comentários

24 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro de um Palmeiras e Corinthians, dois a zero pro Verdão com o Jorge Mendonça fazendo dois gols iguaizinhos de falta no Jairo, o pirulão desengonçado que era goleiro do Corinthians. Vi tudo isso sentado no meio da torcida do Corinthians, sem poder gritar ou comemorar. Perto do fim do jogo, num lance sem importância na lateral, acabei me entusiasmando e gritei “Vai, Pedrinho!”, que era o lateral-esquerdo do Palmeiras. Mais rápido que o intervalo entre um sinal verde e uma buzinada, começo a escutar “Vai, Pedrinho??”, “Como assim, vai, Pedrinho?”, “Pedrinho???”, “Porra, tem um palmeirense aqui no meio, gente!!!!”. Tomei um bagaço de laranja na cabeça e alguns amendoinzinhos, e todo mundo se deu por satisfeito, inclusive eu. Mudou o futebol ou mudaram os bons costumes?

(dedicado a Álvaro P., corintiano de boa cepa)
23:43:27 - Zeno - 19 comentários

Frank Sinatra invade Berlim

Ele é um dos padroeiros deste blog. Old Blue Eyes, The Voice, ou, simplesmente, o bom e velho Sinatrão. Falamos, claro, do Sinatra dos anos da Capitol Records e da Columbia, ou seja, década de cinqüenta pra trás. Como primeira homenagem a ele (virão outras), segue abaixo a letra de uma canção pouco conhecida, que está num daqueles V-discs (Victory Discs) que ele gravou para ajudar o moral dos pracinhas - como se dizia então - durante a Segunda Guerra Mundial: "There’ll Be a Hot Time in the Town of Berlin", que, livremente traduzida, vira "O pau vai comer em Berlim" (para os mp3maníacos, dá pra baixar a canção nos soulseeks da vida): [Leia mais!]
22:18:57 - Zeno - 4 comentários

Caro Diário (1994)

No terceiro episódio do filme, após mais uma consulta médica que se sucedia a uma série de outras num rosário sem fim, o personagem de Nanni Moretti diz a si próprio: “O médico receitou os remédios e disse: lembre-se! Só depende de você. Depende de mim. Tudo depende de mim. O médico disse que devo colaborar. Tudo depende de mim. E se depende de mim, estou seguro de que não vou conseguir.”

(da série “Autocríticas com as quais nos identificamos”)
[Leia mais!]
12:20:03 - Zeno - 2 comentários

Um país se faz com homens e livros

"Como se sente um bom livro, quando ele é colocado entre dois ruins?"

Nikolaus Cybinski

(da série “Epígrafes que gostaríamos de usar”. Extraído distraidamente de um exemplar da revista Akzente, junho de 1987, perdido numa prateleira com vários livros ruins).
09:32:02 - Zeno - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro da festa do meu aniversário de 6 anos, que chovia muito e que não foi ninguém, só o Karel, meu vizinho do lado, que não era de açúcar e que também achou um absurdo as pessoas terem medo de se molhar.
01:15:00 - Sorel - 1 comentário

Eu me lembro

Eu me lembro do comício da Praça da Sé, de políticos, metalúrgicos e artistas no palanque e um povão ocupando as praças e ruas da região. Lembro da Fafá de Belém cantando o Hino Nacional e que a gente achou aquilo lindo e até chorou no final. Lembro de acompanhar a votação da emenda Dante de Oliveira e de também chorar no final. Os céticos venceram, mas nós nos divertimos muito mais.
01:10:00 - Sorel - 5 comentários

23 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro que na década de 70 ainda existia pena de morte na Inglaterra e era por enforcamento. Lembro que conheci o filho de um carcereiro que contava que, diferentes dos americanos que faziam a maior cera, os ingleses se orgulhavam de que entre entrar na cela, colocar o capuz, a corda no pescoço e abrir o cadafalso - que ficava atrás da cela - não se gastava mais do que 3 minutos e que só demorava mais se o detento tentasse ajudar.
12:26:00 - Sorel - Comentar

Torcida que canta e vibra

Naquele fatídico 17 de novembro de 2002, quando o Palmeiras era derrotado pelo Vitória em Salvador e as câmeras de TV mostravam a comemoração da torcida do Corinthians no Pacaembu, confesso que a primeira coisa que me veio à cabeça foi: “Ué? Será que a Gaviões da Fiel não leu a Fenomenologia do Espírito, do Hegel?” [Leia mais!]
10:05:53 - Zeno - 6 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro de fazer pic-nic na beira da via Anhangüera. Meu pai dirigia devagar e eu e meus irmãos íamos olhando pela janela escolhendo lugares para comer. Eu também me lembro que não adiantava nada e que a gente sempre parava onde minha mãe queria.
01:04:00 - Sorel - Comentar

22 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro quando lançaram a TV colorida, o relógio digital, o videocassete, o walkman, o computador pessoal, a secretária eletrônica, o CD, o fax, o laserdisc, o forno de microondas e a máquina de lavar louça. Pelo menos eu não me lembro quando lançaram a eletricidade.
11:37:00 - Sorel - Comentar

Mais Urbanismo

Deu na mídia:
“Nos cafés das Avenidas, grupos de intelectuais, jornalistas, comerciantes, reúnem-se para refresco e dois dedos de prosa. De que falam? Ouçamos, discretamente, uma conversa:
‘Hoje, até as mulheres são mais lindas, repara. A princípio, andei a supor que a idade é que me fazia vê-las mais lindas, mas não. (...) Para mim, sabes a quem a Mulher de hoje deve o realce encantador de sua beleza e elegância?
[Leia mais!]
09:28:01 - Zeno - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro de Emma Bovary, de Catherine Deneuve na Bela da Tarde e de que existem sim mulheres como Gilda.
01:02:36 - Sorel - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro quando li Amor de Perdição, do Camilo Castelo Branco. O mocinho definhava de amor por sua amada, ficava verde, adoecia, morria. Lembro também que quando dizem que o amor foi inventado por Hollywood eu esqueço de falar do Camilo.
00:58:42 - Sorel - Comentar

21 Novembro

Critérios Inamovíveis do Bar Absoluto

Recebemos algumas reclamações sobre nossa Seção A Busca do Graal. Os céticos se perguntam: mas existe o Bar Absoluto? Os bairristas questionam: por que vocês não falam daquele bar na esquina de casa? Os palmeirenses querem saber: onde comemorar a volta à Primeira Divisão? Os mineiros interpelam: por que diacho estaria Ele localizado em São Paulo e cercanias - por pura predileção bizarra dos deuses? Para esclarecer a todos e tranqüilizar os pés-de-cana mais afoitos, decidimos revelar alguns dos procedimentos de avaliação utilizados por este blog. [Leia mais!]
12:21:30 - Zeno - 2 comentários

Geração de renda II

Poucas coisas são tão irritantes quanto projetos de geração de renda que não geram renda. Ou melhor, geram um dinheirinho tão mixo e com perspectivas tão limitadas que você não desejaria ao seu pior inimigo. Imagine-se pobre, desempregado, desamparado e escutando um funcionário desses projetos:

-Veja, temos um projeto de geração de renda aqui pra você. É bacana. Toma, pega essa enxada e vai capinando esse matinho…
12:12:00 - Sorel - Comentar

Geração de renda I

Certa vez, um "executivo" de uma dessas ONG’s de inclusão digital contou, de boca cheia, que os alunos de suas escolas de informática que não tivessem os R$10,00 da mensalidade poderiam pagar seus 'estudos' com certa quantidade de latinhas de alumínio, que seriam vendidas e o dinheiro revertido para a escola. Ele colocava crianças para catar lixo e achava bacana. Lixo e do lixo, que seja bem dito, porque nem elas nem seus familiares consomem bebidas em latinha e só poderiam encontrá-las no lixo alheio. Chamava de projeto de reciclagem com perspectivas sócio-educativas e ambientais. Pra mim tem mais cara de exploração de trabalho infantil em ambiente insalubre e sob engodo.
10:12:01 - Sorel - Comentar

20 Novembro

Corpos Ardentes (1981)

Outro filme de cabeceira, a releitura fake e inteligente dos filmes noir feita pelo Lawrence Kasdan, com o William Hurt, ainda com cabelo, no papel de Banana, e Kathleen Turner, antes do regime de engorda, no papel de Gostosona Traiçoeira (a certa altura ela diz pra ele: "Você não é muito inteligente. Gosto disso num homem"). O filme é cheio de rimas visuais, tem uma trilha sonora jazzística do Mestre John Barry e diálogos que poderiam ter sido escritos pela dupla Billy Wilder/Charles Brackett. É tudo tão bom que até o Ted Danson está sensacional, como um promotor de quinta que passa o filme dando pulinhos e sonhando em ser Fred Astaire. [Leia mais!]
18:42:44 - Zeno - 2 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro de cortar o cabelo no mesmo lugar por vinte anos. E que fui acompanhando a calvície do meu barbeiro ao longo desse tempo todo, e ele, a minha - mas ninguém falava nada. Só um barbeiro de poucas palavras entende a gente.
12:45:17 - Zeno - 2 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro de um amigo que cismou, uma época, que iria aprender a assobiar os 6m57s de Mr. P. C., do John Coltrane, de ponta a ponta. Incluindo aquele solo esquisito de bateria, perto do final. E que ele queria botar isso como trilha sonora de um curta-metragem.
12:44:04 - Zeno - Comentar

É Proibido Fumar, de Roberto Carlos (Parte II)

O público pediu. Implorou. Exigiu. Reclamou. Nós ignoramos os pedidos de cancelamento e continuamos a publicar as Notas para uma Leitura Materialista de "É Proibido Fumar", do Moço de Cachoeiro Roberto Carlos (para os desavisados e masoquistas: a primeira parte foi publicada em 12/11/2003, na Seção Zenices). [Leia mais!]
11:45:31 - Zeno - 2 comentários

19 Novembro

Deu no rádio

"Esses artistas andam se perfazendo muito". É gíria nova? Alguém sabe o que isso quer dizer?

Lôco, né?

(Emílio Zurita, Programa Pânico, Jovem Pan FM)
18:10:20 - Mathieu - 3 comentários

Resenhistas do grand monde, uni-vos!

Para que não restem dúvidas sobre as intenções venais desse blog, relatamos a seguir história verídica: jantar a quatro no Antiquarius do Rio. Usamos a credencial de “resenhista de bares” para obter melhor atendimento no lugar. Recebemos graciosamente uma cópia do cardápio, que contém pérolas gastronômicas como Lombo de Bacalhau ao Queijo da Serra, Camarão Estufado à Moda de Macau e Cataplana de Lombo com Vieiras à Alentejana. [Leia mais!]
14:01:53 - Zeno - Comentar

Rivalidades I

[Sobre a inauguração, no Rio de Janeiro, de mais um café/restaurante dentro de uma livraria:] "Os paulistas, tão orgulhosos de suas megastores, agora morrem de inveja. Há pelo menos três projetos em andamento para levar o modelo carioca de livraria-café para animar a vida intelectual da cidade [de SP]. O mais ousado deles pode unir uma rede de livrarias com a cara do Rio com um conhecido restauranteur paulista que, mal se mudou para perto da praia, virou freguês assíduo."
Jornal do Brasil, 15/11/2003

(do nosso enviado especial ao Rio de Janeiro)
13:38:21 - Zeno - 2 comentários

Mercado 32

Querem os leitores interneteiros a dica de um bar que cobra 7 real a dose do uísque 8 anos e que ainda por cima tem um chope impecável? Basta pegar a Marginal Tietê, sentido Dutra, e seguir 450 km até chegar ao centro do Rio. [Leia mais!]
13:33:05 - Zeno - 5 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro, mais ou menos, de uma piada de português num avião que dizia que o PUSH não era pra puxar, e sim empurrar, que o PULL não era pra pular, e sim puxar, e que em caso de queda da aeronave o EXIT não era pra hesitar, e sim pular.
12:55:14 - Zeno - 3 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro de passar várias noites de sexta-feira em frente da TV, à espera: cedo ou tarde um peitinho da Vera Fischer ou da Aldine Muller pulava pra fora do vestido num dos filmes da Sala Especial.

(em homenagem a Alcione Mazzeo)
12:50:59 - Zeno - 5 comentários

Eu também já fui brasileiro como vocês

Brasileiro, quando o nome aparece no século XVIII, era o sujeito que cortava o pau-brasil. O pau-brasil era um monopólio da Coroa, mas um monopólio arrendado – terceirizado, como se diz hoje. Tanto que, originalmente, "brasileiro" em Lisboa era dito de maneira derrogatória. Hipólito José da Costa, por volta de 1816, 1817, ainda levanta o problema no Correio Braziliense: seremos independentes daqui a pouco, como vamos chamar-nos? Para ele, havia três possibilidades: brasileiro, brasiliense e brasiliano. Brasiliano não podia ser, porque brasiliano desde o começo eram chamados os índios. Brasileiro era o cortador de pau-brasil. "Eiro" é um sufixo de profissão, como ferreiro, marceneiro. O normal seria nos chamarmos brasilienses. E é por isso que ele chamou o seu correio de "Braziliense".

(trecho de entrevista de Evaldo Cabral de Mello para o número 1 da revista Nossa História, de novembro de 2003, à venda nas melhores bancas brasilienses.)
11:33:29 - Zeno - 2 comentários

Inauguração da Avenida Central, Rio de Janeiro (1905)

Deu na mídia:

"Lembro-me sempre, por mais que queira esquecer, a amargura, o desespero com que pusemos os olhos rebrilhantes de orgulho naquele carro atulhado de caboclos, que a mão da providência meteu em préstito por ocasião das festas do Congresso Pan-Americano. A cabeleira da mata virgem daquela gente funesta ensombrou toda a nossa alegria. E não era para menos. Abríamos a nossa casa para convidados da mais rara distinção e de todas as nações da América. Recebíamos até norte-americanos!
[Leia mais!]
10:41:07 - Zeno - 1 comentário

Pudor III - A revanche

Sou informado que a tal capa de revista com a saudosa Alcione Mazzeo (ver posts Pudor I e II) foi a culpada pela separação do casal. Dizem que o Chico ofereceu, sem sucesso, um cheque no valor do cachê para que ela não fizesse as fotos. Se ela soubesse que no futuro seria Ministra da Fazenda em vez de estagiária de turismo, sua decisão teria sido diferente. Pensando bem, o Brasil também.
05:30:00 - Mathieu - 1 comentário

18 Novembro

Pudor II - In memoriam

am
Ela não morreu. Segundo Nelson Rubens,"Alcione Mazzeo (ex de Chico Anysio) ataca de guia de turismo para espantar a crise. Formada há dois anos, dá plantão no morro do Pão de Açúcar (RJ), como estagiária." Devo muito a ela. Olhem bem, o tempo não pode ter sido tão cruel. Este fim de semana embarco para o Rio. Me deu uma súbita vontade de visitar o Pão de Açúcar.
18:57:35 - Mathieu - 11 comentários

Garganta Profunda (1972)

Eu me lembro da Linda Lovelace e de suas amígdalas extraordinárias. Me lembro também que passei semanas sonhando com aquilo. E que, dentro do cinema, a gente tinha de prestar atenção nas poltronas antes de sentar, pra mó de evitar dissabores úmidos.

(da série: “Bom, todo mundo deve ter sua lembrança do Garganta Profunda”)

(da série II: “Filmes esquisitos” encontra “Je me souviens”)
18:09:07 - Zeno - 4 comentários

Crônica do Amor Louco (1981)

Eu me lembro do Belas-Artes da Consolação antes do incêndio no início dos anos oitenta. E que estava passando “Crônica do Amor Louco”, do Ferreri, que virou filme de cabeceira desde então. E que o personagem principal, alter ego do Bukowski, depois de um rala-e-rola animado com uma fulana que ele acabara de conhecer no ônibus, dizia “She ate me up like an enchilada”. O moço das legendas, cônscio da ignorância brasileira sobre a culinária mexicana, saiu-se muitíssimo bem com essa: “Ela me comeu feito uma lingüiça”. Depois, na versão pirata que circulou nas locadoras no final dos anos oitenta, a poesia havia sumido: “Ela me comeu inteirinho”. Não sabemos como está na nova cópia em DVD, recém-lançada pela Versátil. Se alguém tiver o DVD em questão e puder nos contar como ficou, fará um grande favor ao blog e à cultura cinematográfica e poética de todos.

(da série: “Filmes esquisitos” encontra “Je me souviens”)
18:00:02 - Zeno - 3 comentários

Aos incautos

Não se enganem: o hipopótamo é o animal que mais mata na África. Elefantes e leões não chegam nem perto.
15:14:01 - Mathieu - Comentar

Kelly Key quer cantar até o 7º mês de gravidez

Segundo sua assessoria de imprensa, Kelly irá seguir com sua turnê até o 7º mês de gestação. Até lá, algumas de suas coreografias devem sofrer alterações. Mas a cantora ainda não pensa nisso.
Sem sentir enjôos e em ótima forma, Kelly Key continua tendo desejo de comer batata recheada [zeno: grifo nosso]. A cantora está grávida de 3 meses e ainda não descobriu o sexo do bebê.(O Fuxico)

Lôco, né?
14:34:46 - Mathieu - 9 comentários

Odor

Cigarro fede, bacalhau fede, o rio Pinheiros fede e eu mesmo não ando cheirando muito bem.
14:20:17 - Mathieu - Comentar

Pudor I

Fui iniciado sexualmente por uma revista. Depois seguiram-se várias, de nomes, meses e capas diferentes. Elas faziam de tudo, em todas as posições e lugares. Lembro de uma em especial. Acho que era mulher do Chico Anysio. Passaram-se anos até conhecer uma mulher que falasse. Mas aí já era tarde demais.
14:10:44 - Mathieu - 8 comentários

Bagdá on the rocks

Manchete mais ou menos lembrada de um exemplar d’O Planeta Diário da década de oitenta, sobre o conflito Irã-Iraque: “Marcelo Alencar, Mario Henrique Simonsen e Jânio Quadros são contra o cessar-fogo no Iraque”.
12:56:04 - Zeno - 2 comentários

17 Novembro

40 anos

01:22:55 - Mathieu - 2 comentários

15 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro que adorava brincar de forte apache com meu tio mais novo e meu irmão. Montávamos o brinquedo no quintal de terra lá em casa - era no interior -, embaixo de uma mangueira, e ficávamos a tarde inteira matando índios e gritando enlameados. No final, o banho era a melhor parte, e ver aquela água suja escorrendo pelo ralo...

(TM, direto do oeste paulista)
17:54:04 - Mathieu - 3 comentários

14 Novembro

Campanha pela Quarentena do Com Certeza

Você vai à padaria e ele está lá. Você liga a TV e dezenas deles pulam à sua frente. Você assiste ao seu joguinho de futebol e, ao final, antes do chuveiro dos jogadores, eles dão o ar da graça. Na mesa ao lado da sua, em seu restaurante predileto, ele é servido entre o couvert e o prato principal. Estamos falando do “Com Certeza”, essa nefanda expressão que tomou conta da cena brasileira dos últimos meses.

Enquanto isso, dezenas de expressões e locuções minguam nas creches lingüísticas espalhadas pelo Brasil, vítimas do abandono das classes mais favorecidas e do descaso do poder público. Em instalações com pouca ou nenhuma salubridade, empoeiradas entre pilhas de “boco-moco”, “supimpa”, “É brasa!” e que tais, elas padecem a sina de não serem mais modismos, ou mesmo de serem apenas expressões usuais, sem apelo mercadológico.

É por esta razão que nos manifestamos: adote um “É verdade”, um “Tem razão”, um “Claro” e seu irmão “Claro, claro”, um “Não havia pensado nisso”, um “Sem dúvida”, o simpático “Puxa!”, até mesmo um “Tenho certeza”, primo do nefasto em questão. A Última Flor do Lácio agradece. Com certeza.
08:47:06 - Zeno - 5 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro que as aftas ardiam e doíam, que se aqui nevasse você usava esqui e que o A tinha som de U.
07:11:00 - sattin - Comentar

13 Novembro

E os pontos na carteira?

eros
Deu no Frankfurter Allgemeine de ontem: Gregory Nemitz, fundador da empresa Orbital Development (com sede em Carlson City, Nevada, EUA), está processando a NASA por uma multa de estacionamento proibido no valor de 20 dólares, referente ao pouso da sonda Near no asteróide de Eros, em 12 de fevereiro de 2001. Nemitz afirma que registrou a posse do asteróide junto ao Archimedes Institute, especializado em propriedades imobiliárias extraterrestres. A NASA disse que não vai pagar. Nemitz pretende levar o caso à Suprema Corte americana, por acreditar se tratar do “direito inalienável de pessoas físicas de herdar e adquirir bens imobiliários”.
16:58:33 - Mathieu - Comentar

Bar The View

A vista, como se percebe pelo nome do bar, é espetacular, mas num sentido bem preciso: sãopaulostyle – o que quer dizer que um carioca daria gargalhadas com a afirmação anterior. Se você, no entanto, se emociona com luzes, carros e prédios vistos do trigésimo andar, eis seu lugar. [Leia mais!]
14:04:38 - Zeno - 14 comentários

Dura Lex Sed Lex

Declaração do desembargador Eustáquio da Silveira, aposentado compulsoriamente (mas com remuneração garantida) por suspeita de favorecimento na concessão de habeas corpus a traficantes: “A história da humanidade nos ensina que nessas situações há sempre a necessidade de se oferecer alguém como bode expiatório”.

(da série “Frases Imortais de Magistrados”)
10:05:55 - sattin - Comentar

O rosto com que fita é Portugal

Deu na mídia: num encontro com empresários portugueses (sempre eles), o vice-presidente José Alencar causou constragimento ao declarar que Portugal representa, para o Brasil, a porta de entrada no mercado europeu, “um mercado de 400 milhões de habitantes”. O presidente português Jorge Sampaio respondeu que Portugal não era uma “porta”, mas um “país produtor”. Sem querer apimentar a polêmica, façamos nossas as imortais palavras de Juca Chaves, que anos atrás já alertava: “Viajei para Portugal, depois para a Espanha e em seguida fui para a Europa”.
09:50:18 - sattin - 2 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro da “sardinha”, praticada à farta durante o recreio, no pátio da escola: juntava-se o indicador e o médio, estalando-os nas partes pudendas das pessoas. E que isso era divertido.
08:47:00 - sattin - Comentar

12 Novembro

"É proibido fumar", de Roberto Carlos

O ano era 1964, aquele que, mais que 1968, não só não acabou como ainda continua a balizar o rega-bofe da vida cultural brasileira. O objeto, uma bolacha de petróleo cheia de sulcos e com um buraco no meio,... [Leia mais!]
17:54:53 - sattin - Comentar

Nós apoiamos a Telefoníca

Ontem, pau no Speedy. Xingamentos. Ligação pro S.A.C.O. (Serviço de Atendimento ao Consumidor Otário). Aperte 4, aperte 9, aperte 6, aperte 0 para voltar. Diálogo cheio de termos técnicos com o atendente: “A luzinha tá acesa? Qual delas? E a luzinha atrás? Qual é a marca do modem?”. Uma hora e dez minutos de aporrinhação infrutífera. “Senhor, um técnico fará uma visita pessoal em 48 horas”. Forty-fucking-eight hours?? Nós e a Espanha não merecíamos isso. Ou merecíamos?
16:24:08 - sattin - 13 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro quando ganhei meu primeiro relógio, que era um que meu pai não usava mais, que ele colocou uma pulseira nova e que eu me sentia melhor do que antes.
15:34:25 - HZeno - Comentar

Psicose (1998)

A melhor coisa da refilmagem de Gus Van Sant do clássico de Hitchcock era o slogan usado pela Universal para promover o lançamento do filme: "Check in. Relax. Take a shower."
13:32:50 - Zeno - Comentar

Ao Homem do século XXI - II

Deu no Estadão:

Preso mais um acusado de matar namorados

Polícia já prendeu dois acusados. O menor R.A.A.C. confessou o crime, entregou os comparsas e revelou o local dos crimes. Felipe morreu com um tiro na nuca. Liana, com 15 facadas, três dias depois de Felipe.

(...)
11:40:08 - kobashi - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro que se dizia, em dias com vento, que havia morrido um padre, e, em dias de muito vento, “ah, hoje morreu um bispo”. E que a gente limpava a casa só por onde o padre passava. E que se alguma coisa fosse feita nas coxas, era só pra inglês ver. E que juntando as duas últimas, tínhamos, por exemplo, um faxina de casa feita só pra bispo anglicano.
10:31:07 - Zeno - 1 comentário

11 Novembro

Ao Homem do século XXI

humanos?
A primeira foto a sair na página inicial deste blog é uma homenagem ao homem do século XXI. Primeiro porque é de uma mulher. Segundo porque é a prova cabal de que o mundo evoluiu, que a sociedade moderna abandonou a vida tribal, as superstições, a insensatez e ritos pré-iluministas, desmistificou o corpo e colocou a ciência e a consciência a serviço da razão.

    PS: O nome da moça é Elaine Davidson, é brasileira e é recordista mundial com 1903 piercings. (fonte: UOL)
18:21:54 - Zeno - 2 comentários

Eu me lembro

Do forte apache, dos índios e cowboys, das montanhas de travesseiro, das planícies acarpetadas. Uma guerra interminável.
11:21:56 - bandini - 3 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro de receber telegramas, muitos telegramas no dia do meu aniversário: "Amiga, não mude jamais. Felicidades sempre". E ontem ainda minha sobrinha de 13 anos me perguntou: "Tia, como chama aquilo mesmo que fala pouco e chega logo?? Ah é, telegrama!!"

(Contribuição de Tia Maroca, direto da estrela do noroeste paulista)
09:57:30 - Zeno - 2 comentários

Clássicos da Literatura Brasileira Revisitados/Alphonsus de Guimaraens


Tecnicismo

Hão de chorar por ela os dinamômetros.
08:57:33 - Zeno - Comentar

10 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro do 'Gonha mó breu', pichação que mereceu matéria na Veja pelo seu ineditismo, e que foi traduzida por um 'especialista' chamado pela revista como '"Maconha é o maior barato". Também me lembro do sujeito que fazia as tais pichações, que ele tinha 14 anos, que era meu amigão, que nunca tinha fumado maconha e que seu apelido era Gonha porque andava como uma (Ce)gonha. E também me lembro que foi a Veja que me ensinou que não se deve acreditar em uma só linha do que sai na mídia e em uma só palavra pronunciada por qualquer especialista.
14:10:52 - Zeno - 10 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro que jantar com amigos é um prazer que eu espero não esquecer de novo.
12:03:59 - Zeno - 1 comentário

Eu me lembro

Eu me lembro de quando fui ao parque com meu pai e minha mãe e vi que, depois de 45 anos de casados, eles ainda caminhavam de mãos dadas. E isso me (nos) lembra que não sei a diferença entre ser piegas e ser sincero com minhas emoções. Viu? Aconteceu de novo.
11:49:59 - Zeno - 2 comentários

Aos 12 anos

O nome dele era Mário. Era do tipo calado, magro, olhos fundos e poucos amigos. Nós estávamos na 6a série e como ele morava perto da escola, a gente sempre ia na casa dele ver as revistas que ficavam escondidas dentro de uma caixa de som. [Leia mais!]
11:23:38 - Zeno - Comentar

São Paulo, 450 anos

"Meus sonhos juvenis de suprema elegância, poder e cultura tinham-se reduzido a um nível bem paulista".

Paulo Emílio Salles Gomes

(da série "Epígrafes que gostaríamos de usar, mesmo que já tenham sido usadas").
08:55:13 - Zeno - Comentar

07 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro do Cão Fila Km 26.
18:51:29 - Zeno - Comentar

Clássicos da Literatura Brasileira Revisitados/Bandeira e Drummond

Poema das Sete Faces (versão uncut)

Quando nasci, um anjo torto
aqui sob esta pedra,
desses que vivem na sombra
onde o orvalho roreja,
disse: Vai, Carlos, ser gauche na vida.
Repousa. [Leia mais!]
11:45:58 - Zeno - 4 comentários

A Ilha do Dr. Moreau

Não a versão de 96, com o banana do Val Kilmer e, coitado, Marlon Brando com mais de 200kg, mas a de 77, com o Burt Lancaster no papel título (de Dr. Moreau, não de ilha) e Michael York. [Leia mais!]
10:59:40 - kobashi - 1 comentário

Inclusão digital III

Passei a noite com uns ativistas de inclusão digital tentando convencê-los de que inclusão digital não existia e que era uma balela inventada por ongueiros e acadêmicos para conseguir financiamentos e sustentar vícios como beber o Daime fardado e/ou se candidatar a uma boquinha no governo. 1/3 da mesa ficou do meu lado e éramos 3. Já fui melhor.
02:18:32 - Zeno - 2 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro de um longo período em que não havia jantar em casa, pois minha mãe chegava tarde do trabalho e não tinha tempo de preparar nada. De tanto encomendar pizza, virei chapa do entregador, com direito a envio mútuo de cartão de natal no fim do ano. Certa vez, ao pedir pizza na casa de um amigo, abro a porta para receber a entrega e vejo o entregador com uma cara espantadíssima no portão: “Você mudou?”.
01:00:00 - sattin - Comentar

06 Novembro

"PDS já está fora", diz PT

(O Estado de S. Paulo, 03/10/1982)

Com críticas a Franco Montoro, Reynaldo de Barros e ao regime militar, o candidato do PT ao governo [Zeno: estadual], Luís Ignácio Lula da Silva, falou ontem aos portuários no cais de Santos, onde assegurou que o PDS “já está fora do páreo” e a disputa em São Paulo será travada entre o PT e o PMDB. Sua visita à cidade começou pela manhã, com uma visita ao comitê central do partido, seguida do discurso para cerca de 200 trabalhadores no armazém 35 do cais.
[Leia mais!]
15:26:58 - Zeno - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro do Kunta Kintê.
14:42:10 - Zeno - 5 comentários

Bar do América da Al. Santos-SP

Ora, direis, procurar o Bar Absoluto nas dependências de um restaurante standard, ainda que correto, como o América? Claro que não, responderíamos, apenas gostamos de deixar o espírito aberto para uma surpresa inesperada. Comer pelas beiradas, diria o outro. [Leia mais!]
08:39:42 - Zeno - 56 comentários

05 Novembro

Inclusão Digital II

Citação da Coluna Tá na Rede, Revista da Hora, Jornal Agora, 2003:

"Que todo mundo seja capaz de fotografar e melhor ainda, de publicar na internet ou seja lá onde for, estas imagens, se quiser, e que qualquer pessoa possa contaminar a iconografia que é construída todo dia nas bancas de jornais. Quero mais é um dia ver os manos e as minas fotografando, entrevistando, pesquisando, escrevendo, desconfiando, contaminando!!!", Marcelo Mim, trecho do blog Fotogarrafa.
20:45:49 - Zeno - Comentar

Uma lágrima...

... para Silveirinha, que está com dificuldades momentâneas para se safar. Mas a dinheirama, não.
13:13:57 - Zeno - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro que era sempre necessário levar o vasilhame para comprar bebida. E que o pai do Geraldão dos quadrinhos justificou assim seu sumiço de mais de vinte anos: “Saí pra comprar Coca com vasilhame de Pepsi”.
12:33:34 - Zeno - Comentar

De cima do hipopótamo

"Essa idéia era nada menos que a invenção de um medicamento sublime, um emplasto anti-hipocondríaco, destinado a aliviar a nossa melancólica humanidade. Na petição de privilégio que então redigi, chamei a atenção do governo para esse resultado, verdadeiramente cristão. Todavia, não neguei aos amigos as vantagens pecuniárias que deviam resultar da distribuição de um produto de tamanhos e tão profundos efeitos. [Leia mais!]
10:00:00 - kobashi - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro de que todo garoto queria uma roupa de John Travolta para brilhar nos bailes de sábado à noite e nas domingueiras. Um amigo felizardo, de pais mais compreensivos, ganhou a sua e foi à luta. Ao chegar ao baile, resolveu fazer um “aquecimento”, alguns “passos” em frente a um espelho gigantesco, na área entre as duas escadas em caracol que levavam ao salão principal. As pessoas se sentavam nos degraus e jogavam moedinhas para ele.
08:45:00 - sattin - Comentar

04 Novembro

Raquel de Queiroz

Trecho de entrevista a Cynara Menezes, Folha de São Paulo, 1992:

FSP - Você foi, é uma pessoa feliz?
RQ - Feliz, propriamente, não. Tenho uma natureza conformada com as circunstâncias.
FSP - Então por que, nas fotos, está sempre sorrindo?
RQ - Porque fico muito feia quando estou séria. Tenho duas rugas grandes ao redor da boca.
18:39:20 - kobashi - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro de um amigo que gravou os diálogos do Casablanca em fita cassete, para poder ouvir no carro e perturbar a professora do curso de inglês que freqüentava: “Teacher, a senhora não acha que numa situação dessas a melhor coisa a fazer é round up the usual suspects?”.
13:46:00 - sattin - Comentar

Minieditorial 26,5% Marxista

Este blog nasceu do fascínio peculiar exercido pelas diversas formas de canalhice, principalmente as nascidas em letra de fôrma e que se espalham depois em mesas de bar e demais discussões lítero-existenciais. A lista de padroeiros é longa, mas é puxada por Brás Cubas, Zeno Cosini e os três Patetas de Paulo Emílio Salles Gomes. Um setor relevante da boa crítica literária nacional tem tais personagens em alta conta, já que neles, e em particular em sua ironia e obtusidade (entendidas como "desfaçatez de classe"), se espelhariam os desmandos da dominação expropriadora em sua nudeza e crueza. [Leia mais!]
11:01:34 - Zeno - Comentar

Acróstico

Em conversas familiares no fim de semana, descubro que as gerações mais novas não sabem o que é um acróstico. Sou do tempo em que se fazia acróstico pra namorada. Aliás, sou do tempo em que se empregava a expressão “sou do tempo”. Este é de 1973:

Vago macambúzio por aí,
A vida que luzia se apagou;
Gozei meus dias de Ipacaraí,
Agora só Diadema me restou.

Bastava um mimo, uma luz,
Um “bem-me-quer”, ou “-queria”:
Nada mais importava – sus!
Desatinado pra ti corria.

Às vezes o ciúme dizia, “Ora,
Veja a vida que ela levava,
A cobrar por quarto e por hora”

Depois tive certeza, a dura:
Inezita, nua, num Fusca dava
A dois outros sua formosura!
10:46:53 - Zeno - 2 comentários

03 Novembro

Eu me lembro

Aliás, eu me lembro de um diálogo entre a esposa de Al Bundy e o próprio, no seriado “Married With Children” (“Um Amor de Família”, no Brasil):
-Minha mãe ligou para dizer que já está recuperada e que vai ter alta do hospital hoje.
-Meu Deus, você já avisou Tokyo?
20:45:00 - sattin - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro de um desenho animado japonês, “Guzula”, que emprestou o nome para uma série de meninas feias no ginásio. O personagem-título era um monstro boa-praça que aterrorizava sem querer uma daquelas cidades surreais japonesas.
20:44:00 - sattin - Comentar

Em nome do bom gosto e do bom senso

Os chicos e caetanos que me desculpem, mas nada mais aborrecido que citações de MPB. Evitem.
11:59:45 - Zeno - 1 comentário

.:: mês anterior :: :: :: :: November 2003 :: :: :: :: próximo mês ::.